Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais uma sugestão de app

por Augusto Moita de Deus, em 30.04.16

Neste caso uma sugestão para a Antral. Contratar uns informáticos e fazer uma app com um nome sugestivo. Por exemplo: "Transporte automóvel com suporte informático", ie Tacsi. Uma pessoa quer transporte e vai ao smartphone e compara: o Uber demora 7 minutos a chegar e o Tacsi 3 minutos, o que é normal pois nesta altura ainda há muito mais taxis que ubers. Ora, a opção será claramente o Tacsi. Fica a sugestão.

 

PS- é preciso que as pessoas se lembrem do que aconteceu aos fabricantes de máquinas de escrever, a partir do momento em que apareceram os processadores de texto. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Também estou a falar do Leicester.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Como navegar na cidade em dia em que há protesto do Taxi contra o Uber? Use Waze.

Autoria e outros dados (tags, etc)

... Resultados

por Afonso Azevedo Neves, em 29.04.16

13083107_10153501801216301_4298763808755563037_n.j

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Maçar

por Afonso Azevedo Neves, em 29.04.16

Hoje os taxistas resolveram fazer uma gigantesca operação de publicidade à UBER. Porquê? Porque os taxistas não perceberam que o serviço que proporcionam não é percepcionando pelo utilizador como um serviço público mas uma actividade comercial como qualquer outra e assim estas "formas de luta" tão típicas dos sindicatos dos transportes públicos simplesmente não resultam para o utilizador e muito possivelmente afastam-no. 
Argumente-se que o resultado mede-se junto do poder político e eu até posso perceber mas no fim de tudo creio que é cada vez mais óbvio que neste caso será o consumidor a prevalecer e o consumidor não gosta de ser incomodado. Digo eu

Autoria e outros dados (tags, etc)

Jornalistas "esquecidos"

por Nuno Gouveia, em 28.04.16

Em Janeiro, a ministra Ana Paula Vitorino, numa ação que teve tanta pompa como de propaganda, anunciou o fim da greve dos estivadores e a "paz social" no sector. A notícia foi amplamente divulgada, pelos meios oficiais e oficiosos do Governo, mostrando que Vitorino conseguira "acabar", finalmente, com a greve dos estivadores. 

Passado três meses, afinal os estivadores ainda estão em greves e não há sinal de paz social no sector. O que se terá passado? A mesma imprensa "isenta" que promoveu a paz social anunciada por Vitorino, agora faz-se de esquecida? Ninguém denuncia a ação de propagada do passado mês de janeiro?

Este é apenas um exemplo do comportamento da maioria da imprensa: agem como meros "promotores" do Governo de Costa. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por Rodrigo Moita de Deus, em 28.04.16

Os taxis vão parar. Outra vez. A ANTRAL é o melhor agente comercial da Uber.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Perguntar não ofende

por Augusto Moita de Deus, em 28.04.16

Está marcada para amanhã uma marcha lenta de taxistas. Claro que isso vai causar perturbações à circulação em várias cidades e estou a imaginar o que passará pela cabeça dos automobilistas afectados. Daí a pergunta: com um pouco de imaginação, será que não se arranjava uma outra maneira de promover o sistema Uber?

Autoria e outros dados (tags, etc)

amiguismo

por Augusto Moita de Deus, em 25.04.16

Foi inaugurado o NewsMuseum. Parabéns ao João Paixão, ao Luís Paixão Martins e ao Rodrigo.

Parece-me óbvio que na própria inauguração fez-se notícia e fez-se história.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Uma notícia pode ter muitas leituras

por Augusto Moita de Deus, em 23.04.16

A presidência holandesa da União Europeia está a entregar um documento às delegações nacionais e à imprensa internacional (...)

(...) Mas, ao início da manhã um dos elementos da segurança do Museu Marítimo Nacional, onde decorre o encontro garantia a um jornalista internacional que aquele "é mesmo o ministro" português, só não sabia se ele era um dos que chegaria "de barco", por um dos canais, da cidade.

 

Leitura do adepto de futebol- olha que engraçado, uma notícia que fala em União, Marítimo e Nacional e que não é sobre futebol!

 

Leitura do adepto da demissão duma conhecida figura pública- aquela foto não devia estar ali...

Autoria e outros dados (tags, etc)

nada de novo...

por Afonso Azevedo Neves, em 22.04.16

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

falta visão comercial à audiência

por Rodrigo Moita de Deus, em 22.04.16

Everything is New confirma: vai haver devolução de bilhetes para AC/DC

Não percebo. Mesmo. Ver AC/DC com Axl Rose é estranho? Aberrante? Sim. É a mesma coisa que comprar um selo inglês em que a Rainha aparece com bigode. Uma preciosidade.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

mais vale duque para toda a vida do que rei por uns anos

por João Ferreira do Amaral, em 21.04.16

Como homem previdente que é, o Presidente da República fez questão de assegurar (aqui e aqui) que não irá morar debaixo da ponte quando for despejado da actual morada.

Palacio_Belem.JPG

 Quaisquer que sejam as circunstâncias, terá sempre à sua espera a casinha onde foi muito feliz.

Vila_Vicosa.jpg

É mais um excelente episódio da série Fundação da Casa de Bragança.

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Estou aqui para ajudar...

por Afonso Azevedo Neves, em 21.04.16

O Partido Comunista não compreendeu a importante questão do Cartão do Cidadão. Proponho que se vá mais fundo.

Porquê "o" automóvel versus "a" cozinha? Podemos manter este machismo encapotado no idioma pátrio? É ou não verdade que os homens passam mais tempo "na" cozinha que as companheiras? E as companheiras não guiam automóveis ou só podem guiar "carrinhas"? Enfim, estas são algumas das questões que deviam preocupar mais os portugueses mas "a" política ainda é dominada por machistas. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A mentira dos geringonços

por Nuno Gouveia, em 20.04.16

Nas redes sociais vários apoiantes da geringonça, incluindo deputados, andaram a espalhar que o Governo de Pedro Passos Coelho tinha retirado o Panamá da lista de offshores, para evidenciar uma suposta contradição com o que o líder do PSD defendeu recentemente sobre uma resposta conjunta europeia a esta problemática. Só que há um problema: os geringonços, mais uma vez, mentem. O Governo anterior não só manteve o Panamá na lista de paraísos fiscais (como se pode ver nesta lista de 2011 das Finanças e que não foi alterada desde então) como também agravou os impostos para rendimento de capital com origem em paraísos fiscais (retenção na fonte de IRS passou de 21,5% para 30% logo no Orçamento de Estado em 2012). E é preciso destacar que esse mesmo Governo trabalhou com a Comissão Europeia para reforçar a troca de informações entre as autoridades fiscais dos países da UE. 

 

A questão é esta: será que eles pensam mesmo que uma mentira repetida mil vezes passa a verdade? 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Post sim post não.

por Augusto Moita de Deus, em 20.04.16

Ainda sobre Paul Verhoeven. Starship Troopers é um filme visionário, ao antecipar a interactividade da televisão e a era da internet, em particular no tocante à difusão das notícias. Aquele slogan famoso "Would you like to know more?", sempre anunciado no final duma peça jornalística, acompanhado da exibição dum menu com vários links, representa algo que se tornou uma realidade, 20 anos depois.

É um filme incomum, pois é por um lado humorístico (neste caso satírico; e ironicamente, muitas pessoas ao verem o filme não se aperceberam disso), mas por outro lado é muito perturbador. Contém imagens extremamente violentas, não censuradas, das reportagens da guerra contra os insectos, que depois aparecem entremeadas com peças noticiosas igualmente violentas, mas -como se isso fizesse assim realmente tanta diferença- contendo um rectângulo a dizer "censored" tapando parte do ecran.

Um pouco como inúmeros noticiários da actualidade gerem, por exemplo, as notícias sobre o terrorismo.

Para mais informações, clique aqui ou aqui ou aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 20.04.16

mario.jpg

Mário Nogueira atribui "nota positiva" a desempenho do ministro

Dito de outra forma: O ministro da educação (na imagem) elogiou ontem o seu secretário de estado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

ainda a propósito de Paul Verhoevene do jornal Público

por Rodrigo Moita de Deus, em 20.04.16

Leio novamente a entrevista de Paul Verhoeven ao Público. A propósito de Robocop, Starship troopers e showgirl fala-se de imagética, do fascismo e de Cristo - não obrigatoriamente por esta ordem. Para quem não sabe Robocop é sobre um polícia robot, Starship troopers é sobre uma raça de insectos gigantes que ataca o planeta terra e showgirl é um filme mau sobre uma stripper boa. Imagética, fascismo e Cristo. Só o Público conseguiria intelectualizar isto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

mais ou menos...

por Afonso Azevedo Neves, em 20.04.16

... o Brasil faz lembrar aquele amigo genial, cheio de talento mas que só arranja sarilhos. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

espécie de revista de imprensa

por Rodrigo Moita de Deus, em 20.04.16

Hoje no Público: Vasco Câmara entrevista Paul Verhoeven. Noto três coisas extraordinárias. 1. As perguntas são mais longas que as respostas. 2. Afinal há imenso para dizer sobre Robocop, Starship Troopers e Showgirl. 3. A entrevista faz capa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

resumo do jogo de ontem

por Rodrigo Moita de Deus, em 19.04.16

Benfiquistas de todo o mundo: cheira-me que vamos ter um final de época à Trapattoni.

Autoria e outros dados (tags, etc)

um jatinho chamado desejo...

por Filipe Nascimento, em 19.04.16

confesso que o meu maior interesse é no logotipo do university jacket (qual chefe dentro do blindado AF#1 a caminho de Camp David) do nosso experimental primeiro...

13043311_10153341174376899_3497988923267189661_n.j

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

já pensaram que aquilo não era erro?

por Rodrigo Moita de Deus, em 18.04.16

Aquelas mensagens todas de apoio a Pinto Costa? Diziam "força"? Com ou sem cedilha?

Autoria e outros dados (tags, etc)

É curioso como o anglicismo "impeachment" (por vezes estranhamente pronunciado "impeachma") ganhou uso corrente no Brasil, mesmo existindo em português o termo "impugnação". 

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 17.04.16

Lula da Silva está tão empenhado na luta contra o impeachment de Dilma que quase parece que está a discutir a sua própria sobrevivência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

errata

por Rodrigo Moita de Deus, em 14.04.16

(travagem a fundo)

Escrevi no outro dia: "TAP anuncia negócio ruinoso no Twitter da TAP. Finalmente alguém com menos talento que João Soares para a gestão das redes sociais". Acontece que o twitter não pertence à TAP. É um perfil falso. Aqui fica o verdadeiro. Quer isto dizer que o negócio ruinoso para a TAP não foi anunciado no Twitter da TAP. Quer isto dizer que não encontrei alguém com "menos talento que João Soares para a gestão das redes sociais". Feita a correção...as minhas desculpas aos envolvidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

A cultura do elogio

por Augusto Moita de Deus, em 14.04.16

Sempre que merecido, o elogio tem um poder mobilizador que é frequentemente ignorado. Grande jogo, excelente atitude, ambiente fantástico na Luz. Arrepiante, mesmo. Golo do Bayern? Apoio imediato nas bancadas. E no final do jogo até parecia que o Benfica era o apurado. Um elogio ao futebol. 

PS- para quando um encontro com o Noah Lennox (Panda Bear), que até mora em Lisboa, para se encontrar uma letra em português para este hino lindíssimo?

 

Some might say that

To win's not all that it's about
It's just not something to say
But there is nothing more true
Or natural than wanting to win

There's nothing more to life
Nothing more to life

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

I dont want to know

por Rodrigo Moita de Deus, em 13.04.16

 Aos militares confiamos a defesa intransigente do nosso país com uma arma na mão. Coisa pouca. E há gente com perfil para defender o meu país e há gente sem perfil para defender o meu país. Estamos para além da questão do género ou da orientação sexual. Há senhoras com mais perfil para a vida militar que muitos senhores que conheço. E há homossexuais mais "homens" que muitos homens que eu conheço. E quem não tiver perfil está, evidentemente, no local errado. As Forças Armadas não podem nem devem discriminar. As Forças Armadas podem e devem selecionar. E a diferença entre estes dois pontos não é pouca. É quase tudo. Calculo que tenha sido isto que o senhor sub-diretor do Colégio Militar tenha tentado explicar. Sem talento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

coisinhas boas

por Rodrigo Moita de Deus, em 12.04.16

Com um editorial um pouco mais musculado do que na véspera, o Público saudou ontem a demissão de João Soares, considerando que se tratou da "única saída digna" para o efémero ministro da Cultura. Foi pena o jornal ter descoberto isto com 24 horas de atraso - facto tanto mais insólito quanto estavam em causa ameaças a dois conhecidos colunistas do matutino.

Pedro Correia, no Delito de Opinião. Para ler o resto aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

estamos todos de acordo nisso.

por Rodrigo Moita de Deus, em 11.04.16

Sócrates compara-se a Dilma e Lula.

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu também tenho uns activos para emprestar...se der jeito.

por Rodrigo Moita de Deus, em 11.04.16

Passámos do banco mau para o banco péssimo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 10.04.16

IMG-20160409-WA0002.jpg

TAP anuncia negócio ruinoso para a TAP no twitter da TAP. Finalmente alguém com menos talento que João Soares para a gestão de redes sociais.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Grandes revelações

por Charles Nunes Lopes, em 09.04.16

A grande investigação dos Panama Papers revela-nos que o verdadeiro nome de Patrick Monteiro de Barros é - afinal - Patrício Monteiro de Barros.

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 09.04.16

Teixeira dos Santos: “Não antevejo risco significativo de novo resgate”. Podemos ficar descansados. Teixeira dos Santos é um especialista na previsão de resgates.

Autoria e outros dados (tags, etc)

K Mossa Fonseca

por Augusto Moita de Deus, em 09.04.16

Após a derrota de 5a feira passada em casa, vai ser agora muito difícil ao Braga de Paulo Fonseca passar às meias-finais da Liga Europa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Quais são os motivos do PS...

por Nuno Gouveia, em 07.04.16

 ... para retirar a alçada da Interpol e Europol das competências da PJ?

 

O Correio da Manhã tem aqui uma explicação, dada pela Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal:

"Nos últimos anos, os vários processos no âmbito da criminalidade económica e financeira, de corrupção, de branqueamento, de tráfico de influências, vários dos visados são figuras ligadas à política e ao mundo financeiro. Não admitimos a ingerência do poder político numa esfera que pertence à Justiça".

 

E o que poderá acontecer com esta alteração que o governo socialista pretende implementar? 

 

"Trata-se de informação criminal, muito sensível, muitas vezes em segredo de Justiça, em que 80% ou mais é da competência exclusiva da PJ. Não pode passar para a égide de um lugar que é equiparado a um secretário de Estado, que é eminentemente político. Há um risco de governamentalização da investigação criminal. É um erro".

O que terá acontecido nos últimos anos, e que terá afectado o PS, para agora no governo quererem mudar? Deixo a questão em aberto...

Autoria e outros dados (tags, etc)

entretanto

por Alexandre Borges, em 07.04.16

Aguardamos, a qualquer momento, o editorial do Jornal de Angola a culpar o colonialismo português pela vinda do FMI.

Autoria e outros dados (tags, etc)

ouvido no elevador

por Alexandre Borges, em 07.04.16

É preciso aplaudir a coragem de João Soares. Não é qualquer político que assume ter promessas por cumprir há 17 anos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O post de João Soares tem três méritos importantes:

1. Lembra que Augusto Seabra ainda existe;

2. Dá assunto a Vasco Pulido de Valente;

3. Expõe as fragilidades do corretor ortográfico do Facebook.

Autoria e outros dados (tags, etc)

não percebo

por Rodrigo Moita de Deus, em 06.04.16

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou que o Fundo de Estabilidade Financeira da Segurança Social vai aplicar 1400 milhões de euros na recuperação de património, visando estimular o arredamento habitacional a preços acessíveis.

Boa. Reabilitação urbana é importante. E faz sentido. Há só aquele pormenor do estado ser o maior proprietário do país. Entre administração central, local e mais a misericórdia devem ser donos de mais de metade de Lisboa. E aqueles que menos investem em reabilitação ou arrendamento de custos controlados. É com este dinheiro que vai reabilitar o seu próprio parque imobiliário?

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 06.04.16

Alteração de estatutos do BPI vai permitir a recondução de Fernando Ulrich

A vantagem das empresas sem dono é esta. Ainda não sabemos quem paga mas já sabemos quem manda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Jonas, jogador inteligente

por Augusto Moita de Deus, em 06.04.16

Fez falta para cartão amarelo, garantindo assim que pode jogar nas meias-finais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

grandes revelações do Panamá

por Rodrigo Moita de Deus, em 04.04.16

Messi é muito rico e foge aos impostos;

Os amigos de Putin têm uns esquemas para ganhar dinheiro;

O Primeiro-Ministro Islandês é nabo e investiu em dívida Islandesa antes da Islândia falir;

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas III

por Rodrigo Moita de Deus, em 04.04.16

24 horas de Panama papers e ainda ninguém descobriu se o "fonseca" é luso-descendente? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas II

por Rodrigo Moita de Deus, em 04.04.16

O mundo divide-se entre aqueles que têm uma offshore e aqueles que gostavam de ter uma.

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 04.04.16

Este é um daqueles momentos em que alguém devia lembrar que as offshores não são ilegais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Antigamente é que era IV

por Rodrigo Moita de Deus, em 03.04.16

É giro acompanhar os digitais e a cobertura que fazem do congresso. Atualizações ao minuto, entrevistas no local, pequenas reportagens, blogs live e vídeo final. Grandes inovações. Tudo coisas que o 31 da Armada deixou de fazer em 2009.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Antigamente é que era III

por Rodrigo Moita de Deus, em 03.04.16

Frase do fim-de-semana: “estamos paulatinamente a perder o apoio dos pensionistas e dos reformados”

Autoria e outros dados (tags, etc)

Antigamente é que era II

por Rodrigo Moita de Deus, em 03.04.16

O PSD ganha as eleições e o PS governa com o apoio dos pequenos partidos. É o fim do voto útil? Não sei. Mas é certamente o fim da utilidade do voto.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Antigamente é que era I

por Rodrigo Moita de Deus, em 03.04.16

Santana Lopes entrava sem grupos, sem estrutura, sem entrevistas dadas na véspera. Era ele e o José Raul dos Santos cá em baixo a aplaudir. Subia ao púlpito, dizia o que tinha para dizer e lá virava a sala. Por ser assim. Sem contas, nem planos ou calculismos. Era o que era.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Causas fracturantes

por Augusto Moita de Deus, em 03.04.16

Felizmente que neste caso não há 14 (ou 10 ou 5 ou que fosse só 1) mortes ou feridos a lamentar. Apesar do trocadilho, o assunto não tem graça nenhuma. Não sou especialista, mas: como se pode garantir que os condutores nunca estiveram em risco? I'm just asking. Havia algum sensor de altura instalado no piso? Ou câmaras de vigilância a monitorizar a zona? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

é exatamente ao contrário

por Rodrigo Moita de Deus, em 02.04.16

A ideia de ter primárias é bonita no papel e romantica no discurso. Primárias para escolher Presidentes de Partido, primárias para escolher candidatos a candidatos. Participação do povo, abertura à sociedade e tal. Bonito. Mas tem uma consequência prática. O partido vai passar mais de metade do tempo em eleições. Diretas, mais primárias, mais internas. Mais de metade do tempo a correr de um lado para o outro em reuniões umas atrás das outras. Vimos isso no Partido Socialista quando tivemos o presidente da Câmara de Lisboa a correr pelo país para ser eleito secretário geral. O tempo de António Costa era pago pelos municipes da capital. 

Quanto mais tempo em eleições, mais profissionalização é necessária. Só quem tiver um "ordenado" na política pode perder tempo a concorrer seja ao que for. Todos os outros têm que ir para o escritório todos os dias. Ao contrário do que dizem os discursos, quanto mais diretas e primárias mais fechamos os partidos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por Rodrigo Moita de Deus, em 01.04.16

Tenho aprendido imenso com a comissão de inquérito ao BANIF. Aprendi, por exemplo, que a melhor forma de salvaguardar o sistema financeiro português é fechar as televisões.

Autoria e outros dados (tags, etc)

e foi eleito congressista?

por Rodrigo Moita de Deus, em 01.04.16

Rui Rio não vai para evitar ser "um elemento central" da reunião

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Li-be-ra-li-za-ção

por Charles Nunes Lopes, em 30.03.16

Durante anos a economia regional açoriana esteve estagnada na dificuldade que alguns responsáveis políticos regionais tinha em pronunciar a palavra "liberalização". 

Durante anos discutiu-se a imposição de diferentes modelos de obrigações de serviço público que apenas serviam os residentes, fechando o espaço aéreo do arquipélago dos açores com uma barreira invisível que impedia o resto do mundo de contactar com os Açores.

O problema só se resolveu em finais de 2014 com os liberais do Continente a imporem a própria Liberalização do espaço aéreo. A palavra maldita caiu e cresceu o turismo e a economia regional. Os Açores foram a região onde o desemprego mais baixou em 2015 e onde o turismo e hotelaria mais cresceram.

Fica a resenha história para os menos liberais:

Negociação das obrigações de serviço público no transporte aéreo começam a 12 de setembro 6 Set 2012, Açoriano Oriental

Easyjet quer voar para os Açores "a curto prazo" 23 Out de 2012

EasyJet não voará para os Açores com a proposta de serviço público açoriana [do Governo Regional]  20 Out 2013 Diário dos Açores

Sérgio Monteiro: Liberalização do espaço aéreo dos Açores "é irreversível 1 Out 2014

 

Governo da República notifica o INAC da liberalização do espaço aéreo com efeitos a março de 2015 31 Out 2014

Turismo dos Açores "bateu todos os recordes" com liberalização dos voos 29 Mar 2016

Eu ainda sou do tempo em que ir de Lisboa a Moscovo era mais barato do que chegar aos Açores. Felizmente, hoje já todos os agentes políticos assimilaram a palavra. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

As caras da hipocrisia

por Nuno Gouveia, em 29.03.16

O governo português era outro. Luaty Beirão estava em greve de fome contra a opressão do regime angolano, mas em Outubro, a hipócrita Catarina Martins e o seu grupo de deputados transformou este infeliz caso num acto de propaganda contra o Governo Português, como se este fosse responsável pelo que se passa em Angola. Não se coibiu de considerar mesmo que a posição do Governo Português era "vergonhosa", citando as suas palavras. 

Passaram cinco meses e, infelizmente, os activistas pela democracia em Angola foram condenados por algo que todos nós consideramos aberrante e inqualificável: o delito de opinião. Agora já não há apenas uma acusação, há condenações. E que fez Catarina Martins? Já acusou o Governo Português de "vergonha"? Já promoveu números de propaganda na Assembleia da República contra o governo que agora apoia? Não. Desta vez, tem direccionado as suas declarações contra o verdadeiro responsável por esta situação: o regime angolano. 

Este episódio é exemplificativo da hipocrisia e a demagogia que norteia a acção política de Catarina Martins. Em Outubro, o que a preocupava não era a situação dos activistas pela liberdade em Angola. Não foi para eles que montou o número de circo na Assembleia da República. Foi apenas contra um governo a que ela se opunha e que não tinha, como o actual não tem, responsabilidade nenhuma nesta situação. 

 

PS: Outro exemplo da hipocrisia deste Bloco da Catarina Martins é a sua complacência e até apoio à vergonhosa acção de Dilma Rouseff e Lula da Silva. A corrupção de esquerda, segundo o Bloco de Esquerda, é defensável. Que toda a gente se lembre quando voltarem a falar deste tema. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Hombridade, procura-se

por Charles Nunes Lopes, em 29.03.16

josemariacosta-viana.jpg

Hoje, 29 de março de 2016:

"Já virei a página dos estaleiros. Lutarei para apoiar a West Sea", José Maria Costa ao Negócios

 

José Maria Costa, Autarca acusa Aguiar-Branco de "desmantelar" Estaleiros de Viana Correio da Manhã, 17/09/2012

 "Acho que este processo vai ficar nos anais da história como o processo da maior incompetência que vimos até hoje na gestão de um dossier da reestruturação de uma empresa", José Maria Costa, TSF, 27/11/2013 

José Maria Costa pede "investigação policial" à subconcessão dos Estaleiros de Viana JN, 11/12/2013

José Maria Costa questiona o ministério de José Pedro Aguiar-Branco sobre se a empresa Martifer tem "currículo reconhecido" na área da construção naval e, nomeadamente, relativamente à existência de qualquer "encomenda firme com algum armador", que garanta a continuidade da atividade em Viana do Castelo. RTP, 13/12/2013

José Maria Costa deposita Coroa de flores na entrega dos Estaleiros de Viana do Castelo à Martifer, RTP, 10/01/2014

"Incompetência, gestão danosa, lesar o interesse público, despudorado, caso de polícia, pedidos de demissão, destruição dos estaleiros, suspeitas, denuncias infundadas..." e esta figurinha aparece hoje a dizer que virou a página?

E nem um pedido de desculpas a Aguiar-Branco?  Há mínimos para a hombridade. 

Coitados dos munícipes à sorte deste edil.

Autoria e outros dados (tags, etc)

mais ou menos sobre a indisciplina nas escolas

por Rodrigo Moita de Deus, em 28.03.16

 Há uns tempos ouvi um interessante fórum TSF sobre a indisciplina nas escolas. É consensual que o problema aumenta de dia para dia. O porquê é menos consensual. Cada corporação tem a sua opinião e cada opinião tem a sua razão. Os professores queixam-se do número de alunos e da falta de educação. Os pais queixam-se dos professores e dos outros alunos. Os funcionários queixam-se da vida e do ordenado. Os diretores queixam-se da falta de funcionários. Toda a gente se queixa da autonomia ou da falta dela (ainda não percebi).

Falta dizer o mais simples: a escola é uma seca. Objetivamente uma seca. Os miúdos hoje crescem com o controlo da playstation numa mão e um ipad na outra. Têm infografia em casa, multimédia no supermercado e daqui a uns meses óculos VR no telemóvel. Conhecem o mundo na wikipedia e socializam nas redes. E a escola? A escola é uma seca. É o ambiente menos estimulante a que estão expostos durante a semana inteira. O que não deixa de ser irónico. E problemático. Durante séculos a escola foi o ambiente mais estimulante de todos os ambientes. O local onde o homem familiarizava-se com o conhecimento. Hoje os muppies da rua são mais interactivos que as salas de aula e o conhecimento está no Google com pesquisa indexada. Enquanto isso continuamos a pensar na cartilha. A escola é uma seca. A indisciplina é só um sintoma.

Autoria e outros dados (tags, etc)

longa vida a Radovan

por Rodrigo Moita de Deus, em 26.03.16

Radovan Karadzic, 70 anos, foi sentenciado a 40 anos de prisão pelo Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

isto sou eu que não percebo nada de contraterrorismo

por Rodrigo Moita de Deus, em 26.03.16

IMG-20160326-WA0000.jpg

 Uma fotografia das filas e aglomerações de hoje na estação central belga. Estamos a proteger as pessoas ou as infraestruturas?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Menos é mais

por Augusto Moita de Deus, em 26.03.16

Veja-se esta análise do estilo comunicacional da forma de falar de Donald Trump. Goste-se ou não da peça. Impressionante. Frases curtas. Palavras com poucas sílabas curtas. Frases que acabam com palavras fortes. Uso de frases feitas. Repetições. Isto explica muita coisa. Interessante de Vão ver. Impressionante. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 24.03.16

É admirável o manifesto contra a espanholização da banca. Uma ideia que podia facilmente ter sido de Ricardo Salgado, Jardim Gonçalves ou mesmo de João Rendeiro. Com jeitinho eles ainda assinam.

Autoria e outros dados (tags, etc)

provas dadas

por Rodrigo Moita de Deus, em 24.03.16

Depois do sucesso que foi a gestão portuguesa todos nos devemos erguer contra a espanholização da banca.

Autoria e outros dados (tags, etc)

E se...?

por Nuno Gouveia, em 23.03.16

Um ministro de um governo PSD/CDS aparecesse num evento ao lado de um condenado por pedofilia?

Ou se um destacado militante do PSD comparasse António Costa com o ditador Salazar

 

A primeira pergunta daria certamente várias primeiras páginas de jornais e abertura de noticiários televisivos e inúmeras horas de debate. A segunda, pelo menos, daria direito a um levantamento nacional da esquerda e de muitos personalidades mediáticas. Fica a pergunta: qual o motivo para esta suavidade no tratamento "oferecido" ao Partido Socialista?  

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 23.03.16

Qual é a probabilidade estatística de dois jornalistas terem a mesma ideia de artigo fora da atualidade? Qual é a probabilidade estatística dos dois artigos sairem no mesmo dia? Qual é a probabilidade estatística de dois diretores decidirem que os dois artigos fazem capa? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

suspiremos de alívio

por Alexandre Borges, em 22.03.16

Marinho e Pinto: "Continuo a fazer a minha vida normalmente."

Autoria e outros dados (tags, etc)

estilhaços

por Alexandre Borges, em 22.03.16

É verdade que Portugal tem estado a salvo dos ataques terroristas. Mas ter de, de cada vez que acontece um, levar dias inteiros com as lições do Loureiro dos Santos e do Garcia Leandro à comunidade internacional sobre como derrotar o Daesh devia, no fim disto tudo, dar direito a indemnização de guerra.

Autoria e outros dados (tags, etc)

prometemos. cumprimos.

por Rodrigo Moita de Deus, em 22.03.16

Fevereiro: TAP: Governo trabalha para Estado ficar com 50%, garante ministro

Março: Barraqueiro fica na Metro do Porto por mais dois anos sem concurso público

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

...

por Rodrigo Moita de Deus, em 20.03.16

O ministro da agricultura defende os suinicultores. O ministro da economia defende os revendedores de combustíveis. E o consumidor? Quem defende o consumidor?

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 20.03.16

Da última vez que um governo se meteu na vida do BCP o Armando Vara foi nomeado administrador.

Autoria e outros dados (tags, etc)

o tempo passa rápido

por Charles Nunes Lopes, em 17.03.16

E não é que o País aguentou até hoje sem orçamento do Estado?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Fica uma atualização para os especialistas em assuntos gregos.

A congénere grega da CP - Comboios de Portugal, a TRAINOSE S.A., tem 100% do seu capital à venda.

Estão na corrida a Chinesa COSCO (a quem o Syriza já vendeu o Porto do Pireu) e o operador Russo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

O dinheiro do contribuinte é do PS

por Nuno Gouveia, em 16.03.16

Modernizar o setor do táxi vai custar 17 milhões de euros ao Governo

E assim vai o PS, apoiado pelo PCP e BE, "comprando" o favor de corporações amigas. Razão tinha a Elisa Ferreira quando assumiu que o dinheiro do Estado é do PS. Só assim se compreende que se use o dinheiro de todos para financiar a próxima campanha eleitoral do PS. Não há mesmo vergonha na cara da geringonça. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Primos

por Augusto Moita de Deus, em 16.03.16

Não, não é para falar de mais uma polémica José Maria Ricciardi vs. Ricardo Salgado, nem de Francisco Louçã / Vítor Gaspar, nem de Shimon Peres / Lauren Bacall, etc. É que de acordo com o trabalho de dois matemáticos de Stanford, parece que a distribuição de números primos não é assim tão aleatória como se pensava:

Mathematicians have discovered a surprising pattern in the expression of prime numbers, revealing a previously unknown “bias” to researchers.

Primes, as you’ll hopefully remember from fourth-grade math class, are numbers that can only be divided by one or themselves (e.g. 2, 3, 5, 7, 11, 13, 17, etc.). Their appearance in the roll call of all integers cannot be predicted, and no magical formula exists to know when a prime number will choose to suddenly make an appearance. It’s an open question as to whether or not a pattern even exists, or whether or not mathematicians will ever crack the code of primes, but most mathematicians agree that there’s a certain randomness to the distribution of prime numbers that appear back-to-back.

Or at least that’s what they thought. Recently, a pair of mathematicians decided to test this “randomness” assumption, and to their shock, they discovered that it doesn’t actually exist.

 

Não deixa de ser curioso constatar que 31 é primo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

dito de outra forma

por João Ferreira do Amaral, em 15.03.16

Mário Centeno concorda com a posição tomada por Maria Luís Albuquerque em relação ao inominável assalto.

Talvez tenha havido precipitação no lançamento dos foguetes .

Aguardemos serenamente o resultado do recurso. Enquanto isso, talvez fosse recomendável alguma contenção nas liberalidades praticadas com a autora da acção. Só por uma questão de decoro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Extremistas e populistas ao poder

por Nuno Gouveia, em 15.03.16

Nos últimos anos temos assistido à ascensão de perigosos populismos que evidenciam que algo de muito grave pode estar para acontecer. Se o aconteceu na Venezuela, com o inacreditável Nicolas Maduro e o que está a acontecer no Brasil, com Lula a aceitar um cargo no Governo para escapar da prisão, não surpreenderá muita gente, dado o carácter populista de muitas soluções políticas neste continente nas últimas décadas, na Europa é uma novidade recente e nos Estados Unidos é mesmo algo sem paralelo na sua história. 

 

Na Europa, populistas de direita, mas também de esquerda, sobem nas sondagens e em alguns casos, chegam mesmo ao poder. Num país como a Suécia, os descendentes de um movimento neonazi, os Sweden Democrats, aparecem como partido com mais intenções de voto; na Áustria, a FPO está a liderar destacadamente as sondagens; na França, o fenómeno da Frente Nacional de Marine Le Pen continua com força, sempre acima dos 25% nas sondagens. Na Grécia, o Syriza  (que entretanto livrou-se de Varoufakis e moderou-se) conquistou o poder e em Espanha, o seguidores do chavismo venezuelano Podemos ficaram em terceiro lugar, com perto de 20% dos votos e governam em várias cidades. Na Polónia estão no poder os populistas do PiS e na Hungria, quem lidera é Viktor Órban, e o maior partido da oposição são os nacionalistas do Jobbik. E mais exemplos existem, como o Partido para a Liberdade, que lidera as sondagens na Holanda. 

 

Nos Estados Unidos, o improvável está a acontecer, com o Partido Republicano estar perto de ter como seu candidato presidencial Donald Trump, que tem apelado aos piores sentimentos dos eleitores, fazendo recordar o pior da história dos Estados Unidos. Nas últimas décadas, o país mudou, tornou-se mais multirracial, mais tolerante e diverso. Trump, que tem feito campanha assente num populismo xenófobo, representa esse ressentimento que existe em certas camadas da população, e, até ao momento, está a ganhar. Nunca na sua história os Estados Unidos estiveram tão perto de eleger um candidato com tão tantas semelhanças com os populistas de extrema-direita europeus. Em 1968, o candidato racista George Wallace candidatou-se como independente, mas nunca teve reais hipóteses de vencer. Hoje, passados 48 anos, um candidato em muitos aspectos semelhante pode tomar conta de um dos grandes partidos do sistema político americano e, dadas das fragilidades óbvias de Hillary Clinton, poderá ter uma real hipótese de chegar à Casa Branca. Um desastre de proporções épicas para o Partido de Abraham Lincoln e Ronald Reagan, que tão cedo não conseguirá “limpar” a sua imagem.

 

Não sei como vai acabar isto, e até é possível que daqui a uns anos, a situação no mundo se tenha pacificado e que nenhuma destas ameaças tenha chegado ao poder. Ter um Viktor Órban na Hungria é mau, mas é bem diferente de ter uma Le Pen em França ou um Donald Trump nos Estados Unidos. Uma coisa é certa: estes anos vão ficar marcados pelo crescimento dos movimentos extremistas, contra os moderados, que dominaram o mundo ocidental nas últimas décadas e que agora parecem impotentes de perante o crescimento dos radicais. Algo está a falhar no mundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 12.03.16

Muito se falou sobre o retrato do Presidente. Sabemos pela SIC que afinal havia dois retratos, de dois pintores, e que votaram. Um ganhou, o outro perdeu. Tudo bem. E quanto custou aquele que perdeu? E, já agora, onde está o quadro que nós pagámos? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Notícia que poderá saír daqui a dois anos

por Augusto Moita de Deus, em 11.03.16

José Eduardo dos Santos sairá da política daqui a dois anos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Más escolhas

por Sofia Bragança Buchholz, em 07.03.16

"Carlos Barahona Possolo é o autor do retrato oficial de Cavaco Silva que passa a integrar a Galeria de Retratos dos ex-Presidentes no Museu da Presidência da República. É ele o autor do quadro escolhido entre os dois que foram pintados por dois artistas diferentes. O segundo quadro não foi revelado."
Claúdia revela-nos o segundo quadro. Ela acha que foi mal escolhido. Eu estou plenamente de acordo.

12804693_10206160339582619_7106355908141488380_n.j

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

pelo contrário

por Rodrigo Moita de Deus, em 07.03.16

Maria Luís e mais 38 deputados têm rendimentos extra

Dos 230 deputados há 39 que têm "rendimentos extra". É uma maneira de colocar a coisa. E para dizer a verdade até me parece pouco. É que isso significa que há 191 deputados que são politicos profissionais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

os cinco protagonistas da triste história dos "swap"

por João Ferreira do Amaral, em 05.03.16

Vigaristas – Os que propuseram negócios ruinosos ao Estado português.

Negligentes – Os que apostaram o dinheiro público no "casino".

Voluntaristas – Os que quiseram sobrepor a vontade à realidade.

Traidores – Os que oferecem aos assaltantes o pouco que ainda resta.

Tótós – Os contribuintes que vão ter de trabalhar para pagar tudo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Lucros da EDP caíram 12% no ano passado para 913 milhões

António Mexia tem objetivamente razão quando fala sobre as responsabilidades do Estado na tarifa social. Num mercado liberalizado se o Estado quer uma tarifa social então o Estado que pague a tarifa social. De outra maneira estão os clientes a financiar indiretamente o Estado. Há impostos para isso. Há segurança social. E enquanto o Estado não parar de se financiar indiretamente nas empresas que regula então vão existir sempre pretextos para manter aqueles preços. O que António Mexia se esqueceu de dizer é que falta a outra parte: liberalizar o mercado. Falta acabar com o serviço universal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

graçolas cefalópodes

por Rodrigo Moita de Deus, em 04.03.16

lula.jpg

Era mais polvo que lula.

Autoria e outros dados (tags, etc)

estes nórdicos adoram gastar dinheiro

por Rodrigo Moita de Deus, em 02.03.16

atlantida.jpg

Sobras dos Açores navegando nas´águas da Noruega.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Winners of Super Tuesday. Former First

por Augusto Moita de Deus, em 02.03.16

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Não conheço Elísio Summavielle. Dizem que é óptima pessoa e muito competente. Não duvido. Mas não vem ao caso.

João Soares, que conhecemos de ser filho de Mário Soares, ter perdido a Câmara de Lisboa para Santana Lopes e ser o apoiante de António José Seguro que não se importou de passar para o lado de António Costa quando este o convidou para ministro, assumiu a pasta da cultura há pouco mais de 100 dias. Desde então, viveu três episódios marcantes: ter um filho contratado pela Câmara de Lisboa por 3 mil euros por mês; aprovar o orçamento para a cultura na Assembleia num minuto e, no minuto seguinte, vir cá para fora juntar-se à manifestação que exigia mais dinheiro para a cultura; e agora este, em que deu três dias ao director do Centro Cultural de Belém para se demitir ou demitia-o ele, sem sequer se dar à maçada de explicar porquê.

Não estranha. Vem isto do governo que reverteu o negócio da TAP para conseguir seis lugares no Conselho de Administração. Do governo que, não podendo legalmente demitir o governador do Banco de Portugal, o desautoriza publicamente para o tentar afastar à força. Do governo cujo único programa consiste em desfazer o que fizeram os partidos políticos reeleitos por quase 40% dos votos.

Vem isto, aliás, do mesmo grupo de amigos que, na Câmara de Lisboa, coloca projectos em consulta pública para depois ignorar as críticas e avançar com tudo exactamente como estava. Que aprova projectos ao próprio vereador. Que avança com projectos que os estudos da própria Câmara tinham vetado.

Para gente como Soares, Costa, Salgado, Medina, a democracia é uma formalidade. Tiques de ditador ficam muito mal a quem ganha eleições. Mas ficam ainda pior, muito pior, a quem as perdeu.

Não conheço António Lamas. Pode ser a pior pessoa do mundo. Não sei se é, mas não vem ao caso. Há uma frase de João Soares que António não deve esquecer – eu, pelo menos, não me vou esquecer: “Dei-lhe uns dias para arrumar as coisas.”

Também estamos a dar uns dias ao filho do Mário e aos amigos. Nas urnas, a gente conversa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

lição moral sobre a coisa dos cartazes de Jesus

por Rodrigo Moita de Deus, em 01.03.16

Medo. O Bloco de Esquerda começou a levar-se a sério.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Um ministro tem o direito de substituir um dirigente. É absurdo um ministro estar rodeado por dirigentes que não subscrevem as suas políticas. Independentemente das políticas e independentemente dos ministros. Coisa válida para este governo, para os anteriores governos e para os próximos governos. O absurdo maior é andarmos com esta hipocrisia da “independência” dos dirigentes. Não são. Nem devem ser independentes. Logo deviam tomar posse no início da legislatura e sair no seu final. Poupávamos imensa tinta.

Autoria e outros dados (tags, etc)

a nacionalização do novo banco

por Rodrigo Moita de Deus, em 01.03.16

A questão de princípio.

Nacionalizamos o banco. Daqui a uns anos, aparece alguém a defender a privatização. Ainda acaba por ir parar à família Espírito Santo. Já outra geração. Cereja em cima do bolo: a família poupa no imposto sobre as doações. 

 

A questão dos números.

É fazer as contas. Nacionalizamos o novo banco e o estado fica com 52% de quota de mercado no setor bancário. E mais de 90% dos prejuízos que o setor bancário deu no ano passado. É um grande negócio para os contribuintes.

 

A questão dos outros números.

Outras contas. A resolução do Novo Banco custou 4.9 mil milhões de euros. Empréstimo do Estado (3.9), Bancos (700), Cofres do fundo (300). Isto foi um empréstimo único. Emprestámos o dinheiro. Se vendermos o Novo Banco o resultado abate no empréstimo. O restante é pago pelos outros bancos. Se nacionalizarmos o estado fica a dever 700 milhões de euros à banca. Isto para dizer: todo o setor bancário é a favor da nacionalização do novo banco. É maneira dos contribuintes pagarem a resolução.

 

A questão final: para quê?

No congresso da CGTP ouviu-se um slogan novo: o novo banco ao serviço do povo. Ao serviço do povo como a CGD? Que serviço público é que a Caixa presta?

Alguém responderá: o serviço público é o financiamento aos projetos estratégicos. Toda a gente sabe que há dois tipos de projetos. Os estratégicos e os rentáveis. Nos projetos estratégicos a Caixa perdeu mais de 2.1 mil milhões de euros nos últimos anos. Pelo menos 2.1 mil milhões de euros. Incluímos em projetos estratégicos o financiamento à catalã La Seda. Para o ministro Manuel Pinho o investimento em Sines era estratégico. Vai daí a La seda investe em Sines e a Caixa paga o investimento. Até uma fábrica no Reino Unido financiou. Como a compra de Vale de Lobo. Para Armando Vara o investimento em Turismo era estratégico. Vai daí a Caixa compra Vale do Lobo. Para alguém até a Saúde foi estratégica. Vai daí o banco do Estado criou uma rede de hospitais privados. E por aí fora.

 

Enfim. Do parlamento alguém explicará que só há nacionalização se o processo de venda falhar. Claro. Quanto mais gritarem "nacionalização" mais os investidores fogem. Quanto mais os investidores fugirem, pior o processo de venda vai correr. Mas sim. Só há nacionalização se fizermos tudo para que o processo de venda falhe.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Podem não acreditar, mas este senhor é o Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

o que eu disse não foi bem aquilo que eu quis dizer

por Rodrigo Moita de Deus, em 29.02.16

É claro que não há eutanásia no serviço nacional de saúde. Há excesso de morfina e de outros fármacos. Há tratamentos que se evitam porque prolongam a dor e outros porque prolongam a vida. Mas não há eutanásia. O que há não tem nome. Mas há. Existe. Serve para evitar a agonia. Fingir que não existe é desnecessário porque não há nisto qualquer hipocrisia. Simplesmente o respeito por quem trata e o respeito por quem sofre. Como continuamos nesta febre de "engenharia social" decidimos regulamentar o que não tem nome. Para quê? Transformamos um ato médico num ato administrativo. Burocrático, público, regulado e brutalmente desumanizado. E isso tem consequências. Tenho dúvidas que sejam as melhores.   

Autoria e outros dados (tags, etc)

A escolha de um diretor de jornal é da administração desse jornal, certo? A administração responde aos acionistas, certo? Quem gosta, lê. Quem não gosta, não lê. Se muitas pessoas não gostarem as vendas descem. Se as vendas descem, problema do diretor, problema da administração e problema dos acionistas. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Guerra de audiências

por Augusto Moita de Deus, em 29.02.16

O Prolongamento começa à mesma hora que o O Dia Seguinte. O Expresso da Meia-Noite começa à mesma hora que o O Último Apaga a Luz. Já o Governo Sombra começa 10 minutos antes do Eixo do Mal. Smart move. 

O Vitória de Guimarães - Sporting começa às 20h00. O Benfica - União da Madeira teve de ser adiado para hoje. Hora escolhida: 19h45. Lindo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

é suposto termos uma agenda?

por Rodrigo Moita de Deus, em 28.02.16

 Jornal Público entrevista o Secretário do Estado da Juventude e do Desporto

Na sua primeira comunicação pública, depois de assumir o cargo, anunciou que o Governo está empenhado em dar origem a uma “nova agenda para o desporto nacional”. Quer especificar?

Eu próprio ainda não sei e aquilo que fiz foi definir um método para chegar à resposta.

O governo anuncia a "nova agenda para o desporto nacional". O que é a "nova agenda para o desporto nacional"? O governo não sabe. Mas podemos estar tranquilos porque o governo "definiu um método" para chegar "à resposta". Quando chegar à resposta teremos então uma "nova agenda para o desporto nacional". Enquanto não chega nada melhor do que tentar reverter os "novos contratos dos operadores com os clubes". Os tais que resolveram, entre privados, o "velho problema" do financiamento do futebol profissional.

Autoria e outros dados (tags, etc)

sol de pouca dura

por João Ferreira do Amaral, em 27.02.16

Durante a apresentação e debate do orçamento do Estado, passou praticamente despercebida a notícia de que, em 2015 e pelo quarto ano consecutivo, Portugal alcançou um excedente nas contas externas. Para o saldo positivo de mais de 3000 milhões de euros, contribuiram não só a balança de capital mas também a balança corrente, fortemente alavancada no turismo.

Balança de Pagamentos.jpg

 

A acumulação de défices externos sucessivos durante décadas fez a dívida externa líquida subir até 105% do PIB. Sem poder desvalorizar a moeda, Portugal passou a ser um país economicamente inviável para quem nos via de fora. Consequentemente, aumentaram as dificuldades na manutenção do fluxo de crédito suicida. Seguiram-se a falência das empresas, a ruina das famílias e a bancarrota do Estado.

Nos últimos quatro anos Portugal pareceu querer afirmar claramente que tinha futuro como país independente, dentro da Europa e da moeda única. Terá sido sol de pouca dura.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Bem visto

por Nuno Gouveia, em 27.02.16

Depois de apurados os resultados eleitorais na Irlanda, tira-se uma conclusão: PPC foi o PM com melhores resultados eleitorais, medidos em termos absolutos e ainda em variação face ao resultado das eleições anteriores, dentre todos os países que tiveram de executar programas de assistência (Portugal, Espanha, Grécia - Chipre é uma realidade à parte dada a micro dimensão e de resto ainda não tivemos eleições até porque o programa de assistência está a uma revisão de terminar).
Isto devia dar que pensar. É um facto muito sugestivo sobre Portugal e o próprio PPC. Veremos se será notado por alguém.

 

Miguel Morgado, no FB. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

da série: grandes títulos

por Rodrigo Moita de Deus, em 26.02.16

Bolsas em alta em dia que Bloco de Esquerda reconhece a existência de Deus

no Diário Económico

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pequena nota informativa para não crentes

por Rodrigo Moita de Deus, em 26.02.16

É verdade que Jesus tinha dois pais. Mas nenhum deles exigiu adoptar uma criança.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Ou seja, da mood

por Augusto Moita de Deus, em 26.02.16

Fico sempre com a sensação que o teor das declarações acerca da Moody's e outras agências de rating depende essencialmente do estado de humor de quem as profere.

Autoria e outros dados (tags, etc)

blatter.jpg

Blatter: "Deus abandonou-me"

Autoria e outros dados (tags, etc)





subscrever feeds