Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O 31 da Armada dá voz aos seus leitores

por Sofia Bragança Buchholz, em 18.05.08

"O circo está montado...Vem aí o erickon!
As televisões abrem os telejornais com a noticia. A imprensa escrita faz
menchete em tudo que é sitio, ( virá também no borda de água?) O desastre de mais uma época está a ser complectamente abafado. A nação precisa de sossego. O salvador da Pátria está a chegar montado no seu cavalo alado e assim descer na Catedral do futebol cá do burgo, não sem que antes o sobrevoe tal como a águia Victória.
Todos os anos são campeões na pré-epoca, desta vez anteciparam-se. A época ainda não terminou.
A crise foi-se, agora é que vai ser! o Camacho veio de jactinho qual D. Quixote, só que sem cavalo e foi-se embora de burro tal como o seu fiel escudeiro, (o do D. Quixote). O homem apesar de  pouco ou nada seber de treinador, pelo menos teve vergonha na cara, (partiu envergonhado). Coitado não quiz ser como o cavaleiro da triste figura, não querendo contribuir mais para aquele peditório. (Por soposto).
Os eternamente crentes estão felizes e entoam cânticos tirolezes. Será deles o reino dos Céus.
O dream Time vai ser idolatrado e os futebolistas que o vierem a compor irão ser mimados com os maiores e mais rasgados adjectivos elogiosos, como sempre.
Tudo começa de novo, tudo começa do zero. E, quando a proxima época findar? Será que os heróis sairão pela porta grande levados em ombros e beatificados, recebendo também as chaves da cidade e a mais alta condecoração nacional? ou a montanha pariu um rato?
Por mim estou convencido que tudo será diferente, ou seja, tudo vai passar a ser como dantes, nos bons velhos tempos.
Foi feita justiça, puniram-se os curuptos. Felizmente o bem pervaleceu e o mal foi derrotado. A verdade tal como o azeite veio ao de cima. Repos-se a vardade desportiva, que à muito andava arredada do futebol Nacional, a besta foi aniquilada e o grande clube nacional, direi mais, o maior do mundo vai novamente voltar aos velhos tempos de glória. É certo que já não tem na sua equipa o melhor fiscal de linha do País, chamado Humberto Coelho, mas isso pouco importa, muitos outros existem para reporem a verdade.
Gosto deste clube! tem-me dado muitas alegrias!
São os maiores em tudo, até no disparate.
A natureza é pródiga, não precisa de plantar parvos, eles nascem
expontaneamente.
"

 

Um texto da autoria e responsabilidade do nosso leitor Luís Gomes

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Luís Gomes a 19.05.2008 às 09:45

Gostei da vossa iniciativa...Obrigado.
Acho Sofia um nome bonito.
Deixe-os falar mal ou bem, o que interessa é que falem.
Respeitosamente,
Luís Gomes
Santarém
Sem imagem de perfil

De Carlos L. a 19.05.2008 às 14:30

Em aditamento à última frase, caberá acrescentar: "E alguns até julgam saber escrever Português, mas estão redondamente enganados"
Sem imagem de perfil

De Luís Gomes a 19.05.2008 às 17:27

Pela parte que me toca confesso, tirei a 4ª Classe em adulto.
No entanto desde que se compreenda o que quero dizer, directamente ou nas entrelinhas tudo bem.
Nem todos podem ser catedráticos, mas todos têm direito a ter opinião.

Peço ás altas competências
perdão porque mal sei ler
para algumas deficiências
que meus versos possam ter.
ANTÓNIO ALEIXO, POETA POPULAR.
Luís Gomes
Santarém.
Sem imagem de perfil

De Carlos L. a 19.05.2008 às 22:54

Era o que faltava cada um não ter direito à sua opinião, pois então. Eu limitei-me a dar a minha, em reacção à última frase do seu texto. Daí a criticar o seu Português escrito - que é, de facto, e objectivamente, mau - foi apenas um pequeno passo. Se efectivamente completou a 4.ª classe já em idade adulta, presumo que não terá sido por preguiça. Não avalio os méritos de ninguém enquanto pessoa de acordo com as suas habilitações literárias, mas isso não invalida o facto de que V. escreve, de facto, mal (além de as suas opiniões sobre o Benfica e os Benfiquistas serem altamente questionáveis).

Em suma, e recorrendo também às palavras do imortal (e semi-analfabeto) Aleixo:
"Foste por mim ofendido
desculpa se fiz tolice
que já estou arrependido
das verdades que te disse"

(penitencio-me pelo tom demasiado familiar, mas quis respeitar o legado do Poeta)
Sem imagem de perfil

De Luís Gomes a 20.05.2008 às 14:57

Se você o diz quem sou eu para o contrariar!?!
Direi mais; estou complectamente de acordo consigo, tem todo o meu apoio, o meu Português na verdade é muito mau!
Quanto à 4ª classe tirada em adulto, claro que não foi por pergiça, eu até era bastante esforçado, não tinha capacidade para mais, pura burrice.
(não invalida o facto de que você escreve de facto mal.) Tanto facto? Nem passa a redondância nem nada?
Mas de facto é um facto e contra factos não há argumentos. Para quê estar a argumentar ou a inventar desculpas de mau pagador, se de facto constatando os factos eu próprio chego à conclusão que de facto escrevo mal!
Por fim: ( Alem de as suas opiniões sobre o Benfica e os Benfiquistas serem altamente questionaveis).
Ora aí está o cerne da questão, sempre o Benfica o motivo de toda a discordia! Se eu quiçá escreve-se sobre o Futebol Clube do Porto, e criticando o mesmo, se não seria motivo para você? Senhor? Excelência? Sumidade? Herodito da escrita e da lingua Portuguesa? (Como quer que o trate)? me propor ao prémio nobel da litratura?
Olhe, lá terá que levar comigo, quando eu assim o entender, ou o 31 da Armada o deixar. No entanto, sem o querer aconselhar, faço-lhe uma proposta: não leia as minhas alarvidades porque eu sou assim, só está a perder o seu precioso tempo.
E fazendo minhas as seus palavras:
Em suma e recorrendo às palavras do imortal (e semi-analfabeto) Aleixo:

SÃO PARVOS NÃO RIAS DELES
DEIXA-OS SER QUE NÃO ESTÃO SÓS
ÀS VEZES RIMOS DAQUELES
QUE VALEM MAIS DO QUE NÓS.

( eu não me penitencio nada, longe de mim ter familiariedades com o Senhor)
Luís Gomes
Santarém

Desculpe os erros que desta vez são mais que muitos.
Sem imagem de perfil

De Carlos L. a 20.05.2008 às 23:54

Em resposta à sua questão, pode tratar-me por Carlos, por exemplo, e se assim o desejar, caro Sr. Luís Gomes.

Tento efectivamente respeitar o máximo possível a Língua Pátria, sem ter, no entanto, particulares pretensões de erudição nesse sentido (a propósito, Em resposta à sua questão, pode tratar-me por Carlos, por exemplo, caro Sr. Luís Gomes.

Tento efectivamente respeitar o máximo possível a Língua Pátria, sem ter, no entanto, particulares pretensões de erudição nesse sentido (a propósito, na mouche quanto à detecção da redundância – felicito-o pelo seu espírito observador).

Mas, por favor, faça-me a justiça de não me imputar trejeitos de uma suposta superioridade da minha pessoa relativamente à sua, por força de V. ser, “de facto”, e de um ponto de vista o mais objectivo possível, uma nódoa a escrever.

Você diz, gracejando certamente, que isso se deve a “pura burrice” da sua parte, mas (e muito embora a orientação clubística que perfilha não abone muito a seu favor) estou certo de não ser esse o caso.

Posso até estar errado, mas vislumbro em si a inteligência suficiente para, querendo, perceber que em lugar algum do meu comentário anterior pretendi tecer considerações menos abonatórias a seu respeito, em função das suas habilitações literárias. Alguns amigos meus licenciados desferem, recorrentemente, e sem desconfiarem sequer, inacreditáveis pontapés na gramática. Algumas das melhores pessoas que conheço, e outras que conheci, não sabem/sabiam sequer escrever o seu nome. Não estimo menos uns e outros por isso. Em contrapartida, recusar-me-ia por exemplo a partilhar uma refeição, ou o assento de um transporte público, sequer, com muitos dos génios de erudição que abundam neste País à beira-“mal” plantado.

A questão – o “cerne da questão”, como V. acutilantemente determina – está noutra ordem de razões, mais precisamente, a de criticar o Glorioso e seus simpatizantes vilipendiando, do mesmo passo, a Língua Portuguesa (o que acaba, bem vistas as coisas, por ser quase o mesmo). E isso deixa-me um pouco, vá lá, aborrecido. Mesmo o Costa do Marfim – esse injustiçado e insigne cultor de uma “finíssima ironia” apenas detectada por significativo sector de jornaleiros deste País – faz questão de declamar Régio em moldes minimamente aceitáveis. Por seu turno, o próprio Miguel Sabugo Tavares – quando não está ocupado a transcrever, por lapso, ocasionais trechos de romances já redigidos por terceiros – consegue articular um texto sem precisar de recorrer à revisão. Apesar de sentimentalmente ligados aos “seu “ FCP, certo é que o Sport Lisboa e Benfica ocupa, nitidamente, um papel central – e, ouso dizê-lo, insubstituível – nas vidas destas ressabiadas criaturas. O mesmo parece passar-se, salvaguardadas as devidas diferenças, com o Sr. Luís Gomes.

Isto dito, apesar de a “perda de tempo” ser um conceito deveras relativo, e sem prejuízo do respeito devido às suas opiniões, tentarei doravante seguir o seu conselho à risca, Sr. Luís Gomes, e, em conformidade, dedicar o “meu precioso tempo” a temas dotados de maior dignidade. Permito-me, ainda assim, endereçar-lhe os meus cumprimentos, e formular os meus votos no sentido de que – ressalvada a vertente desportiva, e por razões que me dispenso de enunciar – a sua vida lhe corra o melhor possível.
Sem imagem de perfil

De Luís Gomes a 21.05.2008 às 19:04

Senhor Carlos Anónimo, gostei. Acredite que gostei da forma como me respondeu.
Vestiu o seu fato de gala, que estou certo não foi alugado em nenhum guarda roupa e, vamos a isto que se faz tarde. Botou discurso e na verdade muito bem redigido. Trata com todo o respeito a língua Mátria, o que não é o meu caso. (Mas olhe que antes do e não leva virgula).
Quanto ao facto de eu ser uma nódoa a escrever é a sua opinião, que vale o que vale, no entanto eu também a compartilho.
Em relação á minha orientação clubística que perfilho, não abonar muito a meu favor, está redondamente enganado, para não dizer estupidamente enganado. Teria muita honra em ser adepto do grande, do maior, futebol clube do Porto, que já mostrou sobejamente ser o melhor e mais bem organizado clube Português, mas não sou. O clube do meu coração, ao qual pertenço desde que me conheço é o Sporting Clube de Portugal! Eu acertei na mouche. Quanto ao Senhor nem no alvo conseguiu acertar. ( Esse Benfiquismo, faz as pessoas ditas normais, cometerem e dizerem cada chorrilho de disparates)! Como vê meu caro, tirar conclusões precipitadas e um erro crasso.
Por tudo isso, a análise que faz a meu respeito só me favorece. Poderei mesmo considerá-la um elogio. No melhor pano cai a nódoa. E já que falou em Régio, apenas lhe digo:
- Que não sei para onde vou, mas sei que não vou por aí.
Tal como o Senhor, por razões que me dispenso de enunciar, porque se o fizesse desceria a um nível muito baixo, não vou tratar os bois pelos nomes, como se diz aqui no Ribatejo.
Que a sua vida lhe corra o melhor possível e, já agora, beba um garrafão de Água das Pedras Salgadas, dizem que faz bem ao fígado. "Que vergonha, mesmo levados ao colo, um 4º lugar!
Sempre a considera-lo, respeitosamente me despeço até uma próxima.
Assunto encerrado, siga a Marinha.
Luís Gomes
Santarém

PS: Como me parece ser um bom actor, porque não tentou um lugar na série televisiva tirada do romance Equador?
Não gostam mas têm que levar com eles. É a vida.
Sem imagem de perfil

De Carlos L. a 22.05.2008 às 23:54

Sr. Luís Gomes,

Em face da sua prosa e, em particular, do nível argumentativo por si evidenciado, vejo-me compelido a reconhecer que, manifestamente, V. bate-me em experiência. Dizer-lhe isto seria dizer-lhe quase tudo, mas que fique, para a posteridade, e com todas as letras, a confissão deste meu estado de alma: desisto. Eu tenho pelo meu lado apenas o bom senso, V. tem em seu apoio uma apuradíssima retórica e aquela exímia – e invejável – arte de tresler o que os outros escrevem e de reter apenas o que lhe julga ser conveniente para dar maior consistência à sua visão das coisas. E tudo isso seria, ainda assim, minimamente aceitável se desse a esses atributos outro uso que não fosse o de (insistir em) emitir opiniões parvas, e redigidas em péssimo Português.

Já agora: se mencionei os seus amigos andrades, foi porque a eles mesmos V. aludiu, em comentário anterior, e em termos que fazem supor – e, pelos vistos, confirmar- uma proximidade afectiva da sua parte àquele clube regional. V. afirma-se sentimentalmente ligado ao SCP, e considera que, por isso acertou na mouche? À primeira vista ninguém o diria, mas olhe, sempre é um bocadinho menos mau. Digo isto, apesar de muitas vezes não perceber muito bem a real diferença existente entre uma e outra agremiação. Por exemplo, e no que toca a aversão ao Benfica, entre Porto e Sporting vai, realmente, uma distância imensa... E, se reparar, ou quiser reparar, o “cerne da questão” continua a ser – surpresa das surpresas! – exactamente o mesmo. Por isso, vendo bem, vendo bem, talvez aquela minha conclusão contra a qual V. se insurge não tenha sido assim tão precipitada e, muito menos, um erro crasso.

Daqui para a frente, e contrariando os seus anseios, não haverá “uma próxima”. Pela parte que me toca, V. ficará a falar sózinho (de certo modo, é nitidamente o que tem feito até agora). De todo o modo, e apesar das suas infelizes – à falta de melhor epíteto – considerações finais, a que não darei troco, apresento-lhe, uma vez mais, os meus cumprimentos.
Sem imagem de perfil

De Luís Gomes a 23.05.2008 às 17:05

Olha meu, tu és o anónimo? Aquele muito mal educado? Acertei? Só que agora não utilizas o vernáculo que te é característico.
A minha proposta continua no ar, lembras-te?
Mas isso nunca vai acontecer, da tua parte é claro, porque os cobardes ladram e fogem.
Faz-te à via, estou farto deles.
Quem põe um ponto final sou eu.
Luís Gomes
Santarém

Comentar post