Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




histerismos

por Rodrigo Moita de Deus, em 03.07.08

A lei portuguesa não prevê casamentos entre homossexuais. Ferreira Leite disse que concordava com a lei. Logo Ferreira Leite é homofóbica. Faz sentido.  

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De JPG a 03.07.2008 às 12:31

Não entendo esta parte do casamento "gay". Mas então, se as bichonas e os sapatões fazem questão de se meter em semelhante alhada, se querem também provar do mais letal veneno que liquida os heterossexuais, para que havemos nós de os impedir? Querem enforcar-se com lacinhos cor-de-rosa? Ó, fáxavor! À vontadinha, carago, não se acanhem! É uma maneira de rapidamente passarem do estado "gay" ao estado "sad". Uma cura milagrosa, em suma.
Imagem de perfil

De blogdaping a 03.07.2008 às 15:24

Já tou a ver no registo civil :

- Sr. Manel, aceita casar com o Sr. Zé ?
- Sim !
- Sr. Zé, aceita casar com o Sr. Manel ?
- Sim !
- Considerem-se casados, ide levar no olho....!
Imagem de perfil

De blogdaping a 03.07.2008 às 15:24

Já tou a ver no registo civil :

- Sr. Manel, aceita casar com o Sr. Zé ?
- Sim !
- Sr. Zé, aceita casar com o Sr. Manel ?
- Sim !
- Considerem-se casados, ide levar no olho....!
Sem imagem de perfil

De Pedro Delgado Alves a 03.07.2008 às 18:04

O problema é que parece que Manuela Ferreira Leite disse mais qualquer coisinha, um pouco mais do que apenas concordar com a actual lei. Até parece que foi o seguinte:


"Admito que esteja a fazer uma discriminação porque é uma situação que não é igual. A sociedade está organizada e tem determinado tipo de privilégios, tem determinado tipo de regalias e de medidas fiscais no sentido de promover a família". "no sentido de que a família tem por objectivo a procriação."


1 - Em primeiro lugar, admitiu expressamente que a orientação sexual é um factor de discriminação.


2 - Em segundo lugar, reduziu a família a uma instituição construída em torno da procriação, discriminando não só as famílias sem prole, como as famílias formadas na sequência da adopção, deixando de lado as múltiplas normas que protegem a família nas suas cada vez mais ricas e plurais manifestações.

3 - Ainda que se tivesse limitado a concordar com a manutenção em vigor da actual lei, a defesa de um regime jurídico discriminatório em relação a determinada categoria de cidadãos e cidadãs não pode ser visto como um potencial factor de identificação de um preconceito?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.07.2008 às 01:51

«A sociedade está organizada e tem determinado tipo de privilégios, tem determinado tipo de regalias e de medidas fiscais no sentido de promover a família.»
A sra. só pensa em impostos e dinheiro, mais nada.
Julgo que o parágrafo transcrito define totalmente a filosofia que MFL defende para um Governo credível. JPP não diria melhor!
Imagem de perfil

De José Manuel Faria a 03.07.2008 às 20:01

Num casal heterossexual ninguém leva no olho!
Imagem de perfil

De blogdaping a 07.07.2008 às 17:41

Cada um , leva naquilo que é seu e ningué tem nada com isso .
Sem imagem de perfil

De Miguel Lopes a 03.07.2008 às 22:40

O silogismo é o seguinte:

A lei é homofóbica,
Manuela concorda com a lei,
Manuela é homofóbica.

Faz sentido.
Sem imagem de perfil

De Zé Pinga a 03.07.2008 às 23:45

Gosto muito deste posts homofóbicos. Felizmente há sempre a posibilidade de os vossos filhos poderem ser gays. Talves mesmo os netinhos da mfl. Isso é que seria giro
Sem imagem de perfil

De Lionheart a 04.07.2008 às 14:25

A senhora não só é homofóbica, como misógina. Dizer que a família se destina apenas à procriação é reduzir a mulher ao papel de mãe. É triste que a primeira mulher a liderar um partido português tenha logo de ser mais retrógrada e machista que a maioria dos homens até. Costumo votar no PSD, mas enquanto o partido tiver essa senhora (que parece ser do tempo da outra senhora, à sua frente) o meu voto não levam. Aliás não é só por causa das questões sociais, em que a acho aberrante, mas também porque ela representa uma mão cheia de nada. Diz tudo e o seu contrário. Que não põe em causa nenhum investimento, mas depois põe em causa todos. Enfim, populismo e água benta. Que pobreza!

Comentar post