Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




em directo da quinta da fonte

por Rodrigo Moita de Deus, em 12.07.08

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Imagem de perfil

De António de Almeida a 12.07.2008 às 23:11

-Nas trincheiras ainda existia trágua pelo Natal, calculo que entre Africanos e Romani nem isso. Odeiam-se! Depois a esquerda caviar e alguns dos seus subsidiados afirmam que os portugueses são um povo racista. Provavelmente a culpa é do PNR, do Vale e Azevedo ou do George W. Bush.
Sem imagem de perfil

De al kantara a 13.07.2008 às 09:44

E o que é que isto tem a ver com o facto dos portugueses serem ou não racistas ? Se calhar, o caríssimo acha que lá porque os ciganos e os negros andam aos tiros, o PNR deixa de ser fascista, o Vale Azevedo deixa de ser vigarista e o Bush deixa de ser burro...
Imagem de perfil

De António de Almeida a 13.07.2008 às 19:09

-Meu caro, se fosse um grupo de marginais brancos a provocar os desacatos, sim porque o racismo não é exclusivo de qualquer etnia, já teriamos José Falcão e o SOS racismo aos berros. Perante estes confrontos obviamente racistas, o SOS racismo nada tem a dizer.
Sem imagem de perfil

De al Kantara a 13.07.2008 às 21:15

Tem o caríssimo toda a razão em achar que as organizações anti-racistas deveriam manifestar vigorosamente e sem paninhos paternalisticamente aquecidos a sua indignação perante acontecimentos de cariz obviamente racista como os da Quinta da Fonte. O que não retira qualquer validade aos protestos que fazem ouvir quando o racismo tem como alvo as comunidades minoritárias...
Imagem de perfil

De António de Almeida a 14.07.2008 às 11:13

-De acordo, o que pretendi foi criticar o silêncio e a incoerência de quem se manifesta apenas quando os autores são de extrema-direita, quando se deveriam manifestar sempre, porque o racismo não é um problema de extrema-direita ou extrema-esquerda, é uma estupidez que deve ser denunciada, qualquer que seja a origem.
Sem imagem de perfil

De Bruno Costa a 13.07.2008 às 10:32

Estes acontecimentos sao fruto de uma desautorizaçao das policias, com o desinvestimento nas forças de segurança, estes nacionaiS " , que vivem de expedientes começam a chegar a conclusao que estao num país em que podem fazer tudo. Nao me admira que ninguem repeite os policias , alguns deles sao individuos mesmo sem perfil, baixos, magros, e com aparencia de fracos. Para ser policia basta crer, alguns deles têm cara de adolescentes. Agora o que me indigna è: SENDO EU PORTUGUES , NASCIDO E CRIADO, CIDADAO ELEITOR, PARTICIPANTE NA COMUNIDADE, CUMPRI SERVIÇO MILITAR , E CONTRIBUINTE HONESTO, HAJAM RUAS E BAIRROS DO MEU PAÍS QUE EU NAO POSSO VISISTAR POR SER BRANCO!!!!!!!!!
Nao tem isto que ser aproveitado pelo partido fascista, porque nao é uma observaçao de raça, mas é uma verdade.
Sem imagem de perfil

De Bruno Costa a 13.07.2008 às 10:43

Se isto acontece com um telefone de 500 euros, e maior parte dos compradores nem idade para trabalhar tem, só temos que dar razao ao socrates, para nos continuar a chular. Queixamo-nos que os combustiveis estao caros, o pao esta caro, o leite esta caro e depois damos quase um ordenado minimo e meio por um telefone para o menino. ALguma coisa vai mal na Parvalheira.
Mas digo uma coisa, os portugueses sao os que se deixam enrolar mais pela publicidade, sejam elas de bancos ou de uma simples campanha de um bonequinho qualquer, se fizer-mos um boneco de peluche para ajudar as vitimas da gripe e da constipaçao, e o anuncio passar na televisao, o boneco vende como rebuçados. Se acrescentar-mos uma musiquinha entao esta feito o negocio.
Sem imagem de perfil

De A. R a 13.07.2008 às 15:18

Hoje lá estava a habitual catilinária da esquerda com a crise e com isto e mais aquilo para justificar o reboliço. Aparentemente os subsídios e os apoios, dados generosamente por Guterres, e que de nada serviram afinal para diminuir a criminalidade nesses bairros, são ainda poucos. Mas pronto ... é a exclusão mas não percebemos porquê nem de quê! Como dizia o desiludido presidente da Câmara de Loures as casas atribuídas, em condições preferenciais, nem sequer merecem ver a renda paga. Então que fazer .. reforçar os subsídios, apoios, policiamento e culpar tudo e todos (mesmo o Grupo Amorim) menos os subsidiados. Nestas comunidades o subsídio é uma espécie de forma de vida, que se vai enraizando nos mais novos, os quais assumem desde logo que não precisam de ir à escola, se forem podem armar as desordens que entenderem (os pais aparecem insultam tudo e todos na escola e continuam a receber subsídios), se não forem à escola o subsidio também contínua, trabalho é para os lorpas e os bairros são território de guerrilha e tráfico de droga. Em minha opinião as atitudes tomadas pelos sucessivos governos, e especialmente a dos subsidio gratuito sem retorno (por retorno entendo a ida à escola, a sã convivência com os outros, o respeito pelos equipamentos públicos, etc) não são de inclusão: são de exclusão e exclusão perene e assassina das futuras gerações.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 13.07.2008 às 16:32

Com este post, o Rodrigo demonstra o exagero de quem chama "guerra" ao que aconteceu na Quinta da Fonte. De facto, não sabem o que é guerra.
Sem imagem de perfil

De NFM a 14.07.2008 às 07:24

Com este comment, o Ser não identificado por falta de perfil na net ou por razões bem piores demonstra a total falta de sentido de humor e sentido crítico. De facto, com a cabotinice que plasma nos comentários com que nos agracia ocasionalmente uma pessoa é levada a pensar se não será um destes assessores do governo que pululam aqui pela net a tentar salvar a imagem do patrão...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 14.07.2008 às 18:00

a única coisa é que o Ser não identificado por falta de perfil na net ou por razões bem piores ... é qualquer anónimo que aqui escreva.
não me insulte a mim pelo que o Ser não identificado por falta de perfil na net ou por razões bem piores ... de 13 de Julho de 2008 às 16:32 escreveu.
de resto, não precisámos de nos preocupar com o racismo, antes juntar os racistas das diversas raças e esperar que resolvam os problemas entre eles (à porrada ou não) assim tipo rugby, que até nos divertíamos um bocado
Imagem de perfil

De blogdaping a 14.07.2008 às 13:59

Daqui , eu quero que me paguem umas férias no Algarve, com vista prá praia e não podendo ser quero uma apartamento em qualquer Câmara Municipal, ( não sou exigente ) para passar o verão com a família... mulher e 4 filhos.... e não e ntenho carrinhas Mercedes nem télélés topo de gama nem dinheiro para pagar a advogado do Jet... insectiiii...

Como portuga que sou, só quero o que é meu....

Comentar post