Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A ordem dos factores

por Vítor Cunha, em 16.01.07
Caro João, na política - como na aritmética -, por vezes a ordem dos factores conta, noutras conta menos. 5+4 é diferente de 4+5, embora o resultado seja idêntico; mas 3-2 é muito diferente de 2-3. No caso concreto, contudo, julgo que podemos aplicar a regra da ordem comutativa da adição. Mais interessante que saber quem é que primeiro teve a original ideia, passe o pleonasmo, de falar da Ota, é tentar perceber por que é que ambos falam da Ota: eu penso que esse nivelamento revela outras coisas; entre elas a quase ausência de ideias novas e uma enorme incapacidade de fazer oposição no actual quadro político, em boa medida porque o Governo «tomou» a agenda pseudo-reformista da Direita. Neste sentido, PND e CDS confundem-se, apesar de reconhecer que há mais concórdia interna no primeiro e até há militantes mais lúcidos, como os que propuseram a extinção do partido.
Apesar disto, não perco a esperança. Votei CDS nas eleições para a Câmara de Lisboa e não estou arrependido. Se me convencerem, quem sabe, um dia destes ainda voto para contribuir que Ribeiro e Castro possa ser primeiro-ministro. Só depende dele e do seu partido.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De isa a 17.01.2007 às 00:07

eu votei na Zezinha, que é a maior!

Comentar post