Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O crime compensa

por Manuel Castelo-Branco, em 23.04.09

 

 

Otelo Saraiva de Carvalho foi o líder operacional das FP-25 de Abril. Este facto foi julgado e provado em tribunal. Entre os crimes de que foi  acusado, estavam o assassinato de 17 pessoas, de uma forma fria, brutal e cobarde. Apesar disso, Otelo foi promovido a Coronel por despacho conjunto do Ministro da Defesa e das Finanças.
Entre as vitimas, estava o meu Pai, Gaspar Castelo-Branco, Director Geral dos Serviços Prisionais, assasinado a sangue frio, de forma cobarde, com dois tiros na nuca. Apesar da sua coragem e sentido de dever, Gaspar Castelo-Branco, foi ostensivamente esquecido pelo poder vigente. No ano da sua morte, foi proposto para uma condecoração, recusada por Mário Soares.
Hoje, Otelo é promovido a Coronel, com uma indemnização superior aquela que receberam as famílias das vítimas que assassinou. Não vale a pena expressar ainda mais a minha vergonha, revolta e incompreensão. Este Ministro que o promoveu, não tem memória nem vergonha, não merece o meu respeito nem dos Portugueses.

 

 

PS 

Gaspar Castelo-Branco não foi assassinado por se opor ou discordar das FP-25 Abril, mas porque no exercício da sua função, ao serviço do Estado, cumpriu o seu dever, acatou ordens com coragem e sentido de dever. Era o homem certo no lugar errado e por isso foi morto.  Foi o mais alto funcionário do estado a ser vitima dos terroristas das FP-25 de Abril.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De PDuarte a 23.04.2009 às 13:57

o blog o O Último Pingo e o seu autor Pedro Duarte solidarizam-se com Manuel Castelo-Branco e seus familiares.
Imagem de perfil

De Pedro F. a 23.04.2009 às 14:09

Concordo em absoluto. Esta promoção é, no mínimo, vergonhosa e um verdadeiro atentado à memória de Portugal e dos Portugueses.
Sem imagem de perfil

De miguel carvalho a 23.05.2015 às 13:09

lembre-se só k se está a revelar esses factos, que muito lamento e acho mesmo desnesseçários e gratuitos, em muito o deve a homens como Otelo.Nesses tempos existiam grupos armados de todas as areas e feitios, isso não desculpa os actos, que serão justificadamente razão para a sua revolta, mas uma explicação de que, com a desilusão que o caminho que o pós-revoluçaõ levava, as pessoas que mais para ela tinham contribuido sentiam.Os meus sentimentos pela perda do seu pai são sinceros, mas não podemos misturar as coisas.....hoje em dia vemos o porquê de nesse tempo se assaltarem bancos e se atentar contra a "burguesia", conforme nos tem mostrado os escandalos que tem sido revelados sobre os partidos, a quem homems como otelo entregaram o poder.SE calhar nessa altura já previam o que se iria verificar no futuro (o nosso presente), o que não justifica em nada alguns dos actos que praticaram, entre eles o assassinato de seu pai, sem culpa nenhuma, e como diz, apenas o homem certo no lugare, junto eu, lugar, errado!
Saudações e pêsames sentidos pela sua perda.
Miguel Carvalho Penafiel
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.04.2009 às 14:27

Infelizmente este é o estado/governo que temos. A falta de vergonha começa a ser ofensiva para todos nós. E o maior problema é não saber como parar esta carruagem, que vai a toda a velocidade, como se pode ver pelo comentário acima do meu. Acredita Manuel que a memória de alguns servirá para fazer a justiça na história. Mas pode é tardar.
Carlos Furtado
Sem imagem de perfil

De leonor a 23.04.2009 às 22:04

Olá "prefiro não dizer quem sou"!
(Muito prazer, Carlos Furtado. )

Manuel, a minha solidariedade e cague nas cabecinhas pensantes como a do Miguel.

Sem imagem de perfil

De miguel carvalho a 23.05.2015 às 13:14

o "prefiro não dizer quem sou" já é auto -explicatório....não tem coragem de assumir os seus pensamentos?a srª é k é o verdadeiro espelho do k este pais se tornou......
Sem imagem de perfil

De Alexandre Kulcinskaia a 23.04.2009 às 14:32

O pior de tudo é que quem não olha com olhos de ver para os factos da história de Portugal deixasse enganar e assimila Otelo Saraiva de Carvalho como se fosse um grande herói da nossa Nação apenas porque este foi a programas de televisão onde o vendiam como tal.
Se perguntarem a alguém da mesma geração que eu, que tenho agora 27 anos, quem é este senhor a resposta que irão receber é que foi um dos que lutou para a liberdade do país quando na verdade é apenas e só um dos seres mais reles que pisou solo lusitano.
É provavelmente o maior assassino que Portugal já teve pois muito matou no Ultramar e mais alguns matou em Portugal.
Só num país com governantes nojentos como o nosso é que um terrorista pode ser visto como herói.
_____________________________
http://kulcinskaia.blogs.sapo.pt/
Sem imagem de perfil

De Daniela Major a 23.04.2009 às 14:45

Primeiro de tudo, lamento pelo seu pai. Este post fez-me perceber certas coisas. Não é justo que alguém assim seja promovido a coisa alguma, muito menos a coronel das Forças armadas portugueses. Os oficiais devem matar em cenários de guerra quando defendem o seu país. Otelo não o fazia e penso que nunca o fez
Sem imagem de perfil

De David Silva a 23.04.2009 às 15:07

O espelho do país...
Imagem de perfil

De António de Almeida a 23.04.2009 às 15:10

Não se trata de estar do lado certo ou errado da História. Desconheço o valor de Otelo enquanto oficial do exército durante a guerra colonial, teve mérito no 25 de Abril, reconheço-o sem qualquer problema, quis um rumo diferente para Portugal durante o PREC, não terá sido o único, e não o condeno pelos seus ideais, mas a vida não terminou em 25 de Novembro de 1975. Quando o país entrou na normalidade, Otelo começou por aceitar a via democrática, candidatou-se a Presidente da República, fundou a FUP, tudo legítimo até aqui, como foi legítimo foi os portugueses escolherem outras alternativas, Ramalho Eanes, primeiro o PS, depois a AD para os governar. O que já não foi legítimo, mas cobarde e desperzível, foi assassinarem pessoas, assaltarem bancos, colocarem bombas, em nome dum suposto Socialismo à sua maneira, que quiseram impor a 99% dos portugueses, porque as suas propostas não obtiveram 1% dos votos. Não fora essa opção, e Otelo até seria General, mas se os crimes não apagam o passado, este também não concede carta branca para cometer crimes. Esta promoção é de facto uma vergonha, não me pronuncio pela sua legalidade que provavelmente até terá, mas o pecado original está no indulto presidencial concedido por Mário Soares à pressa, quando era Presidente da República. Otelo deveria ter sido julgado, condenado, e cumprido pena com os direitos que a sua patente militar lhe conferia. Há que preservar a memória da História, e não branquear alguns episódios, apenas porque dá jeito, para que certos figurões não fiquem mal na fotografia.
Sem imagem de perfil

De João a 23.04.2009 às 15:42

No mínimo vergonhoso! E é deprimente a forma como a nossa sociedade engole estas m....
Imagem de perfil

De Paulo Ribeiro a 23.04.2009 às 15:51

não existe nada que desculpe o otelo . nada! é. um. criminoso. com. provas. dadas! ponto. o que eu não suporto, não entendo, é verificar que alguns, palhaços, são capazes de rasgar as vestes, e discorrer em campanhas odiosas, onde, só existe presunção de inocência, e, perante este fulano que chegou a dizer para quem o quisesse ouvir: que juntava todos os retornados de áfrica , dentro de um estádio, e os fuzilava, só conseguem comportar-se como focas siberianas amestradas. haja paciência, haja dó de nós, haja, no fundo, a justa paga, neste ou n'outro mundo!
Sem imagem de perfil

De António P. Castro a 24.04.2009 às 18:08

"Otelo deveria ter sido julgado, condenado, e cumprido pena (...)".

Foi julgado e condenado. Só não cumpriu pena porque Mário Soares o amnistiou.
A promoção é uma monstruosidade; a indemnização é uma ofensa à dignidade do povo português.
Será que os responsáveis por esta vergonha vão também ficar impunes?
Sem imagem de perfil

De XanaeR a 23.04.2009 às 15:12

A minha solidariedade para as vítimas da falta de vergonha que reina neste País.
Sem imagem de perfil

De Pete a 23.04.2009 às 15:21

Manuel Castelo-Branco, para si e para toda a sua família, toda a minha solidariedade. Gostava que neste país não houvessem pessoas a pensar (?) como o comentador Miguel.
Sem imagem de perfil

De Pete a 27.04.2009 às 08:36

Obrigado, Dra. Edite.
Sem imagem de perfil

De miguel carvalho a 23.05.2015 às 13:22

eu não estou a branquear nada, a 1ª coisa k isse foi k era um CRIME inutil e desnecessario, e não sou comentador, apenas penso com a minha propria cabeça, e a 2 foi lamentar o ASSASSINATO do pai do sr.Mas isso não ker dizer k não possa ter a minha opinião.FOI EXACTAMENTE PARA TODOS TERMOS DIREITO A OPINIÃO E EXPRESSA-LA K FOI FEITO O 25/A......e nenhum de nós estaria aqui a discutir civilizadamente este e outros assuntos se ele (25/a) não tivesse acontecido.Excessos houve de todos os espectros ideologicos, e não se pode admitir uns e condenar outros, eu CONDENEI logo ao inicio todos os actos desta índole bárbara.

Comentar post


Pág. 1/10