Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




É pena

por Henrique Burnay, em 08.02.07
Se o Ricardo Araújo Pereira fosse um tipo decente, já que veio à blogosfera comentar o assunto, tinha aproveitado para dizer aos comentadores (não preciso de dar exemplos, pois não?) - e não ao Paulo (é esse o ponto) – que a rábula do provedor nada tinha que ver com o Paulo Mascarenhas. Em vez disso, fez músculo e um texto parvo.
E se fosse corajoso  - coisa que ninguém pode exigir a ninguém – tinha dito quem eram os pequenos poderes que os tentaram intimidar. Em vez disso, insinuou. E terá enviado um sms.
Quem acha que um bom humorista tem que ser um tipo decente ou corajoso é capaz de ter ficado desiludido. Acontece muito a quem tem ilusões sobre a natureza humana ou se fascina com a fama. É pena.

Sobre o assunto principal já disse o que tinha a dizer.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Jorge Gomes a 08.02.2007 às 10:02

A questão é, a parcialidade (direito inalienável), tira-lhes público, fãs, etc. , que se sentem afectados por essa parcialidade. Qualquer humorista inteligente evita isso. O extremamente político Jon Stewart só casca mais nos republicanos porque estão na Casa Branca, quando saírem passam a ser os democratas motivo de galhofa. São incontáveis os exemplos que souberam manter este equilíbrio durante muitos anos. Com esta atitude pouco inteligente, ainda que legítima, RAP e companhia dificilmente durarão um sexto do que durou o Herman. RAP pode sempre dedicar-se à política, visto gostar tanto, mas já vimos que não vai ter propriamente muito sucesso.

Pessoalmente, sendo liberal e portista, o enorme apreço que tinha por esta malta foi-se desvanecendo chegando ao ponto em que me irritam profundamente. Confesso que aquela entrevista à Judite Sousa em que sabemos o que Nietzsche pensava sobre o humor ajudou, mas por si só não teria chegado.
Sem imagem de perfil

De Diogo a 08.02.2007 às 10:43

Só por terem gozado com o FCP e serem de esquerda? Mas um humorista não pode ter cores? Isto da pluralidade tresanda a censura, já não se pode ser comunista em Portugal?

E eu até sou um gajo de direita e do Sporting e eles gozaram bastante com o Paulo Bento...

Quando uma pessoa não se consegue rir de si mesma, não tem verdadeiro sentido de humor.

A minha fé é que nem o RAP nem o Gato como um colectivo alguma vez cedam ao Pequeno Poder.
Sem imagem de perfil

De Sara a 09.02.2007 às 01:36

Apoiadissimo!! Este circo todo só porque criticaram um lado (pudera!!) é ridiculo. É so uma prova de que as mentalidades neste país pequeno, envelhecido, acomodado e saudosista têm de mudar! E está a mudar, para desgosto de uns e alegria de outros, como eu. O facto de só haver liberdade há 31 anos já deixou de ser desculpa. Para a frente é o caminho!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 08.02.2007 às 11:05

"a parcialidade (direito inalienável), tira-lhes público, fãs, etc. , que se sentem afectados por essa parcialidade. Qualquer humorista inteligente evita isso."

Por outro lado, um humorista que esteja menos interessado no público do que em ser fiel a si próprio, não o evita. Prefiro este tipo de humorista.
Imagem de perfil

De AnaPaulaMachado & MarianaLourenco a 21.03.2007 às 16:21

Tirou-me as palavras da boca .
É isso mesmo .
Também penso assim .

Perfiro o tipo de humoristas que sim têm a atitude inteligente : Fazem o humor como sabem que deve ser feito , sem dar tanta importância ao público e aos fãs .
Fazem humor com aquilo que realmente tem piada .
Se há pessoas que ficam ofendidas com isso , são pessoas que não tem sentido de humor .
Nem devem saber o que isso é .
'Quando uma pessoa não se consegue rir de si mesma, não tem verdadeiro sentido de humor.' - Frase muito boa mesmo .

É com a atitude inteligente que os Gato Fedorento estão a ter que acabam por ter verdadeiros fãs .
Fãs com sentido de humor .
Fãs que se sabem rir mesmo quando o humor é feito sobre qualquer assunto que eles não gostem que se fale , qualquer assunto que os pudesse ofender .

Nenhum humorista consegue ser imparcial para já .
Há sempre qualquer assunto , por mais parvinho que seja , que ofende alguém .

É a coisa mais estúpida que já vi foi pedirem imparcialidade ao Gato Fedorento .

Chama-se ou burrice , ignorância ou pura e simplesmente inveja .

Ass: MarianaLourenco
Sem imagem de perfil

De EU a 09.02.2007 às 12:31

Peço desculpa, mas a parcialidade não lhes tira público. Só se lhes tirar o público pouco inteligente. Qualquer pessoa normal sabe rir-se de si próprio, tal como o próprio Marcelo provou ao comentar a rábula dos Gato.

Não sei se eles quererão manter público pouco inteligente que ao se sentir afectado lhes ameaça a família. Toda a gente tem direito à sua própria opinião e um dos muitos problemas dos apoiantes do não é a completa intolerância por quem tem uma opinião diversa da deles. E essa intolerância manifesta-se em tudo, não só na questão do aborto.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 04.03.2007 às 23:32

Concordo. Tenho provavelmente menos de metade da idade destes senhores, mas permitam-me opinar...

Portugal é um país livre de repressões há mais de trinta anos! E todos têm direito a ter uma opinião e a poder exprimi-la livremente. O humor para ser bom, não tem de ser imparcial. Aliás, quando o é, perde a piada. Sou um grande admirador do trabalho dos Gato Fedorento, mas nem sempre estou de acordo com as suas opiniões. Considero que rirmo-nos de nós próprios (e, consequentemente, das rábulas às nossas posições e opiniões) é muito importante para que consigamos viver bem em sociedade. A falta de tolerância com os outros e, principalmente, a falta de auto-crítica é um problema de muita gente que prejudica a sua relação com o resto da sociedade.

Vou dar um exemplo que pode não ser dos melhores, mas é aquele que vos posso dar: sou portista e nunca me senti no direito (nem nunca o quis fazer) de exigir que os Gato Fedorento, pelo facto de terem feito um sketch sobre o presidente do FCP, fizessem também um sketch sobre os presidentes de todos os outros clubes portugueses. Assim como nunca achei incorrecto o facto de se pronunciarem publicamente acerca da sua posição política, do seu clube de futebol, da sua religião, da sua preferência sexual, da sua comida preferida, da cor dos boxers que usam, da pasta de dentes que compram, da maneira como cortam as unhas dos pés ou do que for. Aquilo que algumas pessoas querem é que os humoristas representem a sua opinião e não a deles próprios. Isto só revela um certo egoísmo.

Sinceramente, nunca pensei que pudesse haver gente que se sentisse tão incomodada com o excelente trabalho que os Gato Fedorento têm vindo a desenvolver. E se actualmente, eles conseguem ser vistos por mais de 1 milhão de pessoas todas as semanas, não me parece que estejam a perder público, seja público que gosta deles, seja público que apenas os vê com a intenção de mais tarde criticar o que viu.
Sem imagem de perfil

De Beatriz Araújo a 11.04.2007 às 12:50

"pode sempre dedicar-se à política, visto gostar tanto, mas já vimos que não vai ter propriamente muito sucesso"
Já vimos? Não se deve falar pelos outros, muito menos quando o parecer não é comum. Se ficam tão nervosinhos com estes meninos a fazer um programa de humor na TV, que seria de vós se estes se tornassem políticos?
O que eu já vi é que estes jovens são promissores e cheios de coragem e de criatividade. Ai aquele cartaz, aquele cartaz! :) Um valente viva aos Gato, uma vez que sabem fazer frente a ideias xenófobas e retrógradas, de forma inteligente!
Quem é HB para insinuar que RAP é indecente? Espero que essa falta de bom senso não seja a mesma sem escrúpulos que vive de ameaças à liberdade de expressão e à vida dos poucos humoristas de qualidade neste país ou dos seus familiares. (Vergonhoso!)
Está na moda armarem-se em "Salazarinhos"?

Comentar post