Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Fellatio a Fallaci

por Francisco Mendes da Silva, em 28.11.06

Na Vanity Fair de Dezembro, Christopher Hitchens faz o elogio de Oriana Fallaci (indisponível online) e a elegia da Arte da Entrevista, da qual a italiana intranquila foi o maior exemplo e que hoje - com a excepção esporádica de alguns jornalistas-celebridade (por exemplo, Jeremy Paxman) - é apenas uma saudosa memória. O artigo começa com uma comparação entre a entrevista feroz de Fallaci ao Xá do Irão nos anos 70 e a conversa amena de Dan Rather a Saddam Hussein em 2003.

Quase no fim do texto, o camarada Hitch revela que «all her life she had denounced clericalism and fundamentalism in every form, yet now her loathing and disgust for Islam had drivem her into the embrace of the Church. She had, she told me, been given one of the first private audiences with the new Pope, whom she referred to as "Ratzinger". "He is adorable! He agrees with me - but completely!"»

Felizmente que os integristas islâmicos não lêem a Vanity Fair, esse repositório da alienação, do despudor e da decadência do Ocidente.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De pedro oliveira a 28.11.2006 às 23:07

"He is adorable! He agrees with me - but completely!" (citando)

Considero o título mais que despudorado, despropositado. Os meus parcos conhecimentos de inglês fazem-me interpretar a citada frase como um auto-elogio por parte da falecida senhora.
Tenho muita dificuldade em imaginar um «auto-fellatio», provavelmente, serei menos imaginativo que o autor do «post».
Já agora qual é o tema do «post»?
Defende-se aqui o «manuelamouraguedismo» jornalístico?
Sem imagem de perfil

De octanas a 28.11.2006 às 23:13

Mas o que se passa com esta malta que desde que o '31 da armada' começou não consegue ter uma opinião que não seja ela maioritariamente destrutiva?!
Bolas que começa a cheirar a inveja e mais coisas que nem comento
Sem imagem de perfil

De Máquina Zero a 28.11.2006 às 23:55

Título infeliz. As tentativas para se ser original a qualquer preço pagam-se caro.

Comentar post