Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Multiculturais à força

por Henrique Burnay, em 04.09.09

A Bélgica, o coração da Europa, discute a possibilidade de proibir as mulheres de usarem Burqa. (O detalhe de serem poucas as que usam é quase irrelevante, o argumento da segurança é ridículo. Mais vale o da liberdade profunda das mulheres, ao menos é mais romântico).

A Europa tem estas esquizofrenias. É multicultural desde que a diferença caiba nos padrões do "correcto".

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Imagem de perfil

De José Manuel Faria a 04.09.2009 às 11:35

Liberdade  religiosa e de costumes.
Sem imagem de perfil

De PVC a 04.09.2009 às 11:36

Meu caro, a burka é um instrumento de submissão da mulher.

Há dúvidas sobre isso?
Sem imagem de perfil

De JMCerdeira a 04.09.2009 às 11:56

Seja um instrumento do que seja. O que têm de ser criadas é leis e instrumentos para proteger mulheres (e homens) da violência doméstica e outros que tais. 
Não me parece é justo discriminar um objecto de vestuário duma cultura milenar, porque é diferente. Já os adolescentes com as calças no joelho, símbolo da "saudável rebeldia da juventude", é perfeitamente aceitável.
Haja bom senso. E respeito pela cultura, conquanto essa cultura respeite a nossa e os nossos direitos. E não me parece que a "burka" seja um elemento culturar que desrespeite os direitos de algum belga.
Sem imagem de perfil

De nando a 04.09.2009 às 14:24

"Seja um instrumento do que seja. O que têm de ser criadas é leis e instrumentos para proteger mulheres (e homens) da violência doméstica e outros que tais. "


A Direita passa a vida a dizer que o Estado tem de sair da vida das pessoas; eu, que sou de Esquerda digo: O Estado que saia da vida das pessoas.

O Estado não tem o direito de dizer se uma mulher pode usar ou não a burqa, se ela o fizer de livre vontade. É opressão? Pois que seja, e que se tente mudar mentalidades, sem entrar directamente em conflito com a vontade própria das pessoas.

Basta de hipocrisia da vossa muy nobre Direita: vocÊs o que querem é que o Estado saia da vossa vida, e que actue directamente na dos outros quando sentem que ele permite a outras pessoas o ter valores diferentes dos vossos.

E mais, digo isto com consciência de que um dia em Portugal será a Esquerda Moderna a decretar o fim da burqa. Não estarei do lado deles nesse dia.
Sem imagem de perfil

De Henrique Burnay a 04.09.2009 às 14:42

Portanto, no essencial,  o Nando concorda comigo e com o JM Cerdeira. Mas insulta a nossa direita. Está bem
Sem imagem de perfil

De nando a 04.09.2009 às 18:29

discordo do PVC. e a direita que estou a criticar é o partido liberal da bélgica, que foi quem propôs a lei.
Sem imagem de perfil

De fsc a 04.09.2009 às 11:41

eu cá adorava ter uma brurka, principalmente quando acordo com olheiras e não me apetece pentear, ia trabalhar na boa
Sem imagem de perfil

De Intendente a 04.09.2009 às 11:45

Por acaso há aqui muita gaja q bem podiam fazer o favor aos colegas em andarem de burka.
Sem imagem de perfil

De Rxc a 04.09.2009 às 12:00

Pode-se andar com uma máscara que tape o rosto na rua? Fdx, parece que é preciso explicar tudo. E se o "culturalismo" deles fosse andar com uma Kalashnikov às costas? Também teríamos de abrir as pernas e aceitar tudo? 
Na terra deles temos de cumprir à risca o que eles impõem, por cá quer-se uma rebaldaria total.


Sem imagem de perfil

De nando a 04.09.2009 às 18:32

seria interessante saber se é permitido por lei ou não andar com máscara na rua.

se o "culturalismo" deles for andar com uma kalashnikov nas costas e isso for permitido por lei, não vejo razões para o impedir. se bem quanto à posse de armas já acredito em políticas mais restritivas.
Sem imagem de perfil

De JMCerdeira a 04.09.2009 às 22:15

A questão é permitir as diferenças culturais conquanto elas respeitem os direitos dos demais. Não me parece que algum dia uma "burka" servirá de disfarce para assalto, ou coisa parecida. Se isso vier a acontecer, dou a mão a palmatória e talvez seja necessário legislar nesse sentido. Mas então proibamos o carnaval!!

Comentar post