Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




ler "zeca afonso" e a bandeirinha

por Rodrigo Moita de Deus, em 23.02.07

Uma nota sobre a dicussão que vai nesta caixa de comentários: Algures no tempo Zeca Afonso deixou de ser músico e passou a ser mais uma "bandeirinha" de comício. Condenaram a música a não sobreviver ao comício.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Pedro Farinha a 23.02.2007 às 15:59

Isso está bem, mas isso já eu disse lá em baixo em comentário a um post que não é bem isso que tu dizes. E, não sendo inocente nisso, a maior parte da culpa de ser bandeirinha não é dele.

Um pouco mais de feeling de esteta, Rodrigo, vá lá. A música, e não as bandeirinhas. Ou também te incomoda a tatuagem do Che Guevara que o Miccolli tem na perna?
Sem imagem de perfil

De Rodrigo Moita de Deus a 23.02.2007 às 16:11

Caro Pedro,

Nada nas pernas do Micolli me incomoda (pelo contrário). Obviamente, a culpa de ser bandeirinha não é dele. Resta a apreciação como músico...há melhores.

um abraço

RMD
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.02.2007 às 16:35

Também há melhores jogadores que o Miccoli.
Isso justifica vir dizer que na popularidade do Miccoli há uma enorme artificialidade, e que o Miccoli não é assim tão bom?
Enfim, a pergunta é académica. Toda a gente sabe que se o homem se tivesse chamado Zeca Câmara Pereira, e tivesse cantado trovas monárquicas, a sua música seria infinitamente melhor.
Sem imagem de perfil

De me a 23.02.2007 às 16:43

Ah, fascista!
Sem imagem de perfil

De isa a 23.02.2007 às 16:46

precisamente!
Sem imagem de perfil

De Ricardo Duarte a 23.02.2007 às 17:31

Eu estou um bocado parvo com esta discussão… é que pensava mesmo que quase ninguém achava piada nenhuma ao Zeca Afonso…que era mais pelos outros tempos…la revolucion…mas afinal não. Nunca pensei que houvesse assim tanta gente que chegasse a casa com vontade de ouvir um bom som, pegasse num cd de Zeca Afonso e o metesse a tocar… é isso que se faz com a boa musica não é?
Sem imagem de perfil

De Pedro Farinha a 23.02.2007 às 17:42

Chega a haver loucos que o estudam, Ricardo. E outros que o ouvem. Há mais marés que marinheiros e não é preciso ouvir tudo o que for música bem feita. E menos ainda ter pachorra para a ouvir.

O que é preciso é indignação. Indignação convicta contra anónimos como este que dizem a viva voz que há melhores jogadores que o Miccoli. Gente perigosa, meu caro...
Sem imagem de perfil

De Ricardo Duarte a 23.02.2007 às 17:48

Que ele é estudado e comemorado isso eu sei. :)

Em relação ao jogador em questão digo isto (e que me perdoem os meus amigos sportinguistas mais radicais): não gostam do homem, seja pelo peso, seja pelo Che, catapultem-no para o outro lado da 2ª Circular que é bem-vindo.
Sem imagem de perfil

De gpn a 23.02.2007 às 18:11

Não percebo RMD, temos que dizer bem dele só porque era comunista/revolucionário/totalitário? Eu era por ser comunista/revolucionário/totalitário que ele era bom musico? E se as pessoas, não gostarem dele artisticamente falando? Serão “fassistas”? Seremos obrigados a gostar deste musico? Alias, muitos só o consideram “bom musico” precisamente por ser comunista/revolucionário/totalitário e por ser mais uma oportunidade para apelar à Abrilada e aos seus “democráticos” feitos. Para mim, se não fosse um comunista/revolucionário/totalitário, seria mais um "Emanuel" do nosso pais, mas não, ele foi mais esperto que isso e aproveitou uma onda.
Sem imagem de perfil

De Paulo a 23.02.2007 às 18:51

Caro Rodrigo, não podíamos estar mais em desacordo, pelos vistos!
É verdade que de um lado ao outro do espectro político, mas a começar pelo PCP, tentaram comiciar a música de Zeca. É verdade que José Afonso aceitou ser bandeira durante um tempo, porque tinha convicções. É igualmente verdade que nunca se deixou engolir nem castrar pela política.
É mentira que tenham (conseguido) condenar a música a não sobreviver ao comício. A prova disso é que o José Afonso evocado não é nenhum guerrilheiro marxista-leninista mas sim o autor e cantor.
A música de José Afonso sobreviveu ao PREC e aos anos subsequentes. Graças ao Zeca, em primeiro lugar, e ao grupo restrito de amigos, mas também ao respeito que por ele tiveram em geral todas as pessoas, incluindo as que não professavam as mesmas convicções e as que não gostavam da música dele.
Imagem de perfil

De josé simões a 23.02.2007 às 19:44

vou comentar na qualidade de independente, de músico e como breve conhecido do zeca.

o homem tinha asco aos partidos!

mas entre alinhar com os esquerdalhos da udp, fsp, mes, prp's e os fascistas escondidos no cds, até que o compreendo...

o aproveitamento que se fez e faz dele é outra história.
se o zeca fosse vivo, já tinha corrido ao pontapé com os membros da associação que tem o seu nome.

quando paul simon lançou o disco graceland ficaram todos embasbacados que nem uns parvos e de boca aberta; quando o david byrne dos talking heads andou por aí a tentar descobrir músicas do mundo, a mesma boca de parvo toda escancarada, o zeca aos anos que fundia música popular portuguesa com africana, passou-vos ao lado...

talvez se tivesse gravado em inglês, nos estados unidos.... e se não fosse contra o sistema, de preferência pelo partido republicano como o neil young, esse herói do woodstock...

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.02.2007 às 23:17

BOA É A FAMOSA COXA DIREITA DO RUI COSTA

Comentar post


Pág. 1/2