Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Os Políticos e os brincalhões

por Francisco Proença de Carvalho, em 27.04.10

Pedro Passos Coelho e José Sócrates agendaram uma reunião de urgência para discutir as recentes preocupantes notícias sobre a economia portuguesa. É disto que depende o emprego, o crescimento económico, a criação de riqueza, os assuntos que afectam a vida dos cidadãos.

Enquanto isso, na Assembleia da República, um conjunto de deputados estagiários (com um patrono bem conhecido) anda a brincar aos tribunais. Sejamos claros: o que se está a passar na comissão de inquérito PT/TVI é uma perda de tempo e de recursos tão necessários na grave situação que o país atravessa. Desta comissão repetida (praticamente igual à que andou pateticamente a discutir se em Portugal existe ou não liberdade de expressão) não sairão mais do que insinuações, conclusões pessoais e pseudo verdades profundamente condicionadas. O próprio relator da comissão, um ilustre deputado do BE, já anunciou as suas conclusões antes mesmo de se iniciarem os trabalhos. Isto diz tudo! Obviamente,  é impossível apurar a verdade quando a mesma está condicionada pelo jogo político. No final disto, cada partido terá a verdade que lhe for mais conveniente, quando é suposto existir só uma.

Os verdadeiros políticos não brincam à política... Empenham-se na resolução dos reais problemas que nos afectam a vida.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.04.2010 às 20:39


eu já não vinha aqui há uns 3 meses e não tenho saudades nenhumas, continua tudo na mesma, logo sem assunto que interesse ou que se veja
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.04.2010 às 21:40

O filhinho a querer ilibar a canalhada que enquanto nos chula a todos vai enchendo a pança do papá.
Sempre houve traidores a viverem dos cadáveres. Canalhas.
Sem imagem de perfil

De Gândavo a 27.04.2010 às 22:03

Muito bem, que bela redacção!
Que bela encomenda...
Sem imagem de perfil

De NunoFCouto a 27.04.2010 às 22:31

Perfeitamente de acordo.
Sem imagem de perfil

De ALVITREIRO :)))))) a 27.04.2010 às 22:57

É a Junta de Salvação Nacional, de que falavam os velhos do restelo.
Estupor de agoirentos !
Calistos !

Agora vamos todos dar as mãos, e ser irmãos - cantando, comoo o duo ouro negro, nostalgicamente:

Menina bonita
Com tranças de trigo
Sorrindo à janela
Vem cantar comigo
Os homens fizeram
Um acordo final
Acabar com a fome
Acabar com a guerra, viver em amor

{Refrão}:
Vou levar-te comigo
Vou levar-te comigo
Vou levar-te comigo meu irmão
Vou levar-te comigo

{Refrão}

Olá companheiro

Do fato rasgado

Não estendas a mão

Foge do passado

Que os homens fizeram

Um acordo final

Acabar com a miséria

Acabar com a guerra, viver em amor

{Refrão} 2x

Olá avozinha

Colegas, pastores

Estudantes, ministros

Rameiras, doutores

Os homens fizeram

Um acordo final

Acabar com a fome

Acabar com a guerra, viver em amor

 
Sem imagem de perfil

De tric a 27.04.2010 às 23:18

não quer que saibam que o seu pai anda a defender intrujas que ja tem no curriculum levar Portugal para a m...
Sem imagem de perfil

De anónimo a 28.04.2010 às 01:18


JS e PPC vão chegar a acordo sobre se o nome da nova moeda pós-euro será "coelhócrates" ou "sócratelho". Como se pretende transmitir aos "mercados" uma imagem de modernidade, as designações "real" e "escudo" estão à partida excluídas.
Sem imagem de perfil

De Dasss a 28.04.2010 às 01:54

Não chateia branco,ó socretino do Car(v)alho!
Já reparaste na triste figura que vens aqui fazer,sempre que abres a cloaca?
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 28.04.2010 às 10:08

"Pedro Passos Coelho e José Sócrates agendaram uma reunião de urgência para discutir as recentes preocupantes notícias sobre a economia portuguesa. É disto que depende o emprego, o crescimento económico, a criação de riqueza, os assuntos que afectam a vida dos cidadãos."


Fina ironia!
Sem imagem de perfil

De javali a 28.04.2010 às 10:16

Nem mais. Aliás, sempre achei o número de deputados no parlamento perfeitamente inútil. Tal como o número de autarquias. Cabe na cabeça de alguém ter um país com uma data de penduras que não fazem nenhum e ter autarquias tão pequenas que da janela de uma câmara se avista a outra?

Comentar post


Pág. 1/2