Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




dialogos no inferno entre o contribuinte e o estado

por Rodrigo Moita de Deus, em 24.06.10

Contribuinte – Gostava de comprar um carro.

Estado – Muito bem. Faça o favor de escolher.

Contribuinte – Já escolhi tenho que pagar alguma coisa?

Estado – Sim. De acordo com o valor do carro (IVA)

Contribuinte – Ah. Só isso.

Estado – e uma “coisinha” para o por a circular (selo)

Contribuinte – Ah!

Estado – e mais uma coisinha na gasolina necessária para que o carro efectivamente circule (ISP)

Contribuinte – mas sem gasolina eu não circulo.

Estado – Eu sei.

Contribuinte – mas eu já pago para circular.

Estado – claro.

Contribuinte – então vai cobrar-me pelo valor da gasolina?

Estado – também. mas isso é o IVA. o ISP é outra coisa diferente.

Contribuinte - diferente?

Estado - muito. o ISP é porque a gasolina existe.

Contribuinte - porque existe?

Estado - há muitos milhões de anos os dinossauros e o carvão fizeram petroleo. e você paga.   

Contribuinte – só isso?

Estado – Só. Mas não julgue que pode deixar o carro assim como quer.

Contribuinte – como assim?

Estado – Tem que pagar para o estacionar.

Contribuinte – para o estacionar?

Estado – Exacto.

Contribuinte – Portanto pago para andar e pago para estar parado?

Estado – Não. Se quiser mesmo andar com o carro precisa de pagar seguro.  

Contribuinte – Então pago para circular, pago para conseguir circular e pago por estar parado.

Estado – Sim. Nós não estamos aqui para enganar ninguém. O carro é novo?

Contribuinte – Novo?

Estado – é que se não for novo tem que pagar para vermos se ele está em condições de andar por aí.

Contribuinte – Pago para você ver se pode cobrar?

Estado – Claro. Acha que isso é de borla? Só há mais uma coisinha…

Contribuinte – Mais uma coisinha?

Estado – Para circular em auto-estradas

Contribuinte – mas eu já pago imposto de circulação.

Estado – mas esta é uma circulação diferente.

Contribuinte – Diferente?

Estado – Sim. Muito diferente. É só para quem quiser.

Contribuinte – Só mais isso?

Estado – Sim. Só mais isso.

Contribuinte – E acabou?

Estado – Sim. Depois de pagar os 25 euros acabou.

Contribuinte – Quais 25 euros?

Estado – Os 25 euros que custa pagar para andar nas auto-estradas.

Contribuinte – Mas não disse que as auto-estradas eram só para quem quisesse?

Estado – Sim. Mas todos pagam os 25 euros.

Contribuinte – Quais 25 euros?

Estado – Os 25 euros é quanto custa.

Contribuinte – custa o quê?

Estado – Pagar.

Contribuinte – custa pagar?

Estado – sim. Pagar custa 25 euros.

Contribuinte – Pagar custa 25 euros?

Estado – Sim. Paga 25 euros para pagar.

Contribuinte – Mas eu não vou circular nas auto-estradas.

Estado – Imagine que um dia quer…tem que pagar

Contribuinte – tenho que pagar para pagar porque um dia posso querer?

Estado – Exactamente. Você paga para pagar o que um dia pode querer.

Contribuinte – E se eu não quiser?

Estado – Paga multa.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Moca a 24.06.2010 às 16:37


Excelente post!

Ainda bem que não tenho carro... prefiro o cavalo
Sem imagem de perfil

De Chessplayer a 24.06.2010 às 17:28

mais tarde ou mais cedo vai pagar.
eu tenho um cão e um gato e pago taxa...
Sem imagem de perfil

De gafanhoto a 24.06.2010 às 16:54


nem sempre este estilo gil-vicentiano (será?) funciona, mas este está bem bom, parabéns. 
Será que esta engenharia fiscal é inovadora? poder-se-á patentear? exporta-la? Porque quando se tem limões....
Sem imagem de perfil

De JC a 24.06.2010 às 17:50

Então e o ISV? Não se paga?
Sem imagem de perfil

De Gonçalo a 25.06.2010 às 03:31

Não me revejo minimamente neste irónico diálogo. Segredo: bicicleta e transporte público.
Sem imagem de perfil

De lucklucky a 25.06.2010 às 08:27

"Não me revejo minimamente neste irónico diálogo. Segredo: bicicleta e transporte público"


Sem vergonha.
Tinham de vir os idiotas defensores do transporte público. Não têm a noção de coisa alguma. Experimenta viver a 30 km de Lisboa e levas 1,5 a duas horas para lá chegar e mais do mesmo para voltar. 3-4 Horas desperdiçadas por dia.
Sem imagem de perfil

De António Martins a 25.06.2010 às 10:33

...ou a 15 km do Porto.
Boa
Sem imagem de perfil

De Hugo a 27.06.2010 às 12:33

Então se demora menos tempo que eu a chegar ao trabalho porque usa carro e eu comboio ou autocarro, acho muito bem que o pague. E pague bem.
Sem imagem de perfil

De David Silva a 25.06.2010 às 09:10

Muito bom, Rodrigo. A minha opinião vale o que vale, mas parece-me que voltou ao melhor!
Sem imagem de perfil

De mcdsc a 25.06.2010 às 10:20

http://oinsurgente.org/2010/06/24/utilizador-pagador-ii/#comments
Sem imagem de perfil

De António Martins a 25.06.2010 às 10:32

Deslumbrante.
Sem imagem de perfil

De Tiago a 25.06.2010 às 10:42

... eu vivo a 20km do porto, vou de transportes publicos, e PAGO 2,4 € por viagem, 5€ por dia ... de burro, de cavalo, de bicicleta, a pé ou a voar com o superhomem ... pagas, pagas muito e pagas sempre
Sem imagem de perfil

De Isaac Kojima a 26.06.2010 às 08:00

Lamento, em qualquer lugar civilizado, o uso do automóvel é desestimulado, e no lugar, transporte público e bicicleta. 


20 km? 30 km? Em Tóquio, São Paulo ou Londres, as pessoas moram no subúrbio, trabalham no centro e usam trens....

Comentar post


Pág. 1/2