Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




"Toda a unanimidade é burra".

por Francisco Mendes da Silva, em 30.08.10

Apesar de ter um passado povoado pelo grunge, o Bernardo Pires de Lima vem com mérito percorrendo o caminho que separa a barbárie da civilização. Hoje, por exemplo, disse uma coisa acertada. Disse-a, obviamente, com uma erudição muito própria (não sei se sabem, mas o Bernardo tem um passado povoado pelo grunge): "o novo dos Arcade Fire não vale a ponta de um chavo"

 

Porventura não deveríamos para já chegar a sentença tão superlativa - eu próprio sinto algum prazer (muito ténue e momentâneo) quando insisto na audição da obra terceira desses súbditos canadianos de Isabel II, e acho que talvez um segmento de chavo se lhe há-de poder atribuir. Mas, claro, há esse cancro da comunidade melómana pop portuguesa: o unanimismo. Ah, o filho-da-mãe do unanimismo. No caso, não partilha com "onanismo" apenas a coincidência aliterativa. Na pop, o unanimismo acaba sempre em orgias em que se acariciam sem reserva os deuses pagãos que os profetas mandam acariciar. E isso é que me vai corroendo a erudição discursiva até níveis próprios de um gajo com um passado povoado pelo grunge. Não sendo um esforço indigno, Suburbs também não é a salvação da civilização ocidental. E a discrepância entre o valor real e o valor facial é tanta que, em reacção à estupidez, só me apetece dizer que é uma merda. É desinspirado e brando e cheio de inconsequências.

 

Vou mas é ouvir - sei lá - os Super Furry Animals.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Josué Capilé a 30.08.2010 às 21:50

Só não percebo a que se deve tanta admiração. O novo dos Arcade é tão mau como o primeiro. Acontece que nesta terra de surdos bastou alguém dizer que aquilo era fashion para toda a gente ir atrás de uns tipos que nunca passaram de uma banda banal e são do mais overrated que se ouviu nos últimos tempos.

Grunge? Esterco musical para putos com acne na cara.
Imagem de perfil

De Daniel João Santos a 30.08.2010 às 22:04

estou deslumbrado com a blogosfera de elite, até uma opinião sobre um grupo musical serve para um link e uma calorosa troca de argumentos... impressionante.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.08.2010 às 14:11

Se eles não fossem conhecidos o album seria considerado fantástico. Snobismo cultural à vista
Sem imagem de perfil

De jota a 31.08.2010 às 19:25

Afinal há quem não goste. Então não há unanimismo. Fixe.

Eu gosto do Suburbs, já não gosto tanto do Neon Bible. Vão me bater?
Sem imagem de perfil

De Manca Mulas a 01.09.2010 às 20:29

Mas alguém inteligente liga a esse entachado imbecil do Pires de Lima? O gajo dos lugares-comuns quando fala como "perito" (lol) de Relações Internacionais e com a mania que é metaleiro? O Suburbs é bem melhor do que o Neon Bible; mais variado e menos cansativo, apesar de ter maior número de músicas.
Quanto à besta que diz que os Arcade Fire são sobrevalorizados: mata-te, a sério. Deves ser mais um tonto do Rock FM, do progressivo e, com jeitinho, do grunge ou do metal, que chama "hype" a tudo o que tem surgido de bom nos últimos 8 ou 9 anos.
Também gosto imenso do Bernardinho a dizer mal de Nirvana e armado em "alternativo", dizendo que Mudhoney é que é bom. Onde é que aprendeu essa? A ler revistas de Indie dos States e britânicas? Pessoalmente, penso que são mais estas últimas, dado o pendor anglófilo desse coitado.
Mas vá, ao menos é do Sporting.

Comentar post