Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O Moralista

por Henrique Burnay, em 28.03.07
O Dr Pacheco Pereira é, a bem da Nação, detentor de uma moral poderosa que serve de padrão a tudo o que mexe. E de um rancor notável. Só isso explica o post que evidentemente nos dirige.
Pacheco Pereira podia ter razão, mas não tem. Ninguém atacou o carácter de Odete Santos, ninguém gozou com a sua origem social ou se meteu com a sua vida privada nem ninguém filmou nada às escondidas. Em qualquer lugar do mundo, o que Odete Santos fez em directo na RTP é gozável. Mesmo por quem ache, como eu, que Odete Santos é uma mulher com qualidades políticas e humanas notáveis. E que respondeu com uma lição à piada demagógica do Gato Fedorento, como Pacheco diz.
 
O Dr. Pacheco Pereira é dos homens mais inteligentes que o país tem. E acha-se legitimamente grande, longe da maralha-mirin. Talvez. Mas era certamente melhor homem se fosse um pouco menos inteligente e um nadinha mais modesto nas presunções e sério nos ódios.

Tente o Dr. Pacheco afagar o peito por debaixo da camisa numa Quadratura do Círculo e verá se não vem aqui parar directo. Por mais pergaminhos sociais que acredite ter.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De José Duval a 28.03.2007 às 17:27

Não resisto a também aqui colocar o comentário que fiz num post do www.janelar.blogspot.com. Aqui vai:
O que o Pacheco Pereira queria era que os blogs fossem todos muito, mas muito, politicamente correctos. isto só revela que não tem qualquer sentido de humor. Felizmente a blogosfera é plural e livre de qualquer censura. Não foi ele que disse que a blogosfera tinha uma atmosfera ácida?
Esta "sentença" revela os tiques da sua juventude MRPP (marxista/maoista/bando dos quatro) que vão perdurando por debaixo de algumas camadas de verniz.
Eu espero e peço a um deputado do meu País bastante mais compostura e boa educação. E o facto é que à Dona Odete foge-lhe o pé para a chinela com imensa facilidade. Desta vez fugiu-lhe para o soutien!
Não tem piada e não o diverte? Mude de blog e não se arme em moralista à maneira do Anacleto Louçã!
Sem imagem de perfil

De MAO ZÉ DONG a 28.03.2007 às 19:14

Uma no cravo e outra na ferradura.um cortiçaq
Sem imagem de perfil

De João Gomes a 29.03.2007 às 02:12

Henrique,

Não tenho nada a ganhar em omitir a minha cor política, sou socialista e orgulho-me disso. Mas como pessoa minimamente racional sei admitir que Pacheco Pereira é um intelectual que tem importância na direita e na blogosfera, além de ter posições muitas vezes acertadas sobre o que se passa na mesma. Já o mesmo não consigo dizer de vocês. Por muito que goste de ler a Atlântico e em particular alguns dos seus cronistas, já não consigo superar alguma arrogância da vossa parte.
O Pacheco Pereira tem razão quando diz que vocês não deviam ter posts machistas (mesmo que esta seja uma característica intrínseca à direita que vocês representam) neste blog. Críticar a Odete Santos pelo simples facto de ter acidentalmente levantado um pouco a camisola na RTP é no mínimo mau gosto, cabutismo e arrogância.
Digo o mesmo no que concerne às críticas que já anteriormente o PPM fez ao RAP e ainda no que diz respeito à forma como vocês acolheram a vitória de um ex-ditador fascista no programa Grandes Portugueses.
Sei que vocês têm qualidade intelectual e ideias políticas diferentes das minhas e provavelmente também das do Pacheco Pereira, mas por favor subam um pouco o nível do 31 da armada.

João Gomes
http://aquelaopiniao.blogspot.com
Imagem de perfil

De Henrique Burnay a 30.03.2007 às 01:30

Caro João, li, percebi e não concordo. Mas agradeço o comentário.
Sem imagem de perfil

De Carlota a 29.03.2007 às 16:06

Vocês estão a ser um pouco caprichosos, não?
No referido post escreveram "Odete Santos não olhou a meios para seduzir o eleitorado masculino" acompanhando o tal vídeo. Quanto a mim, é nesse ponto que reside "o tratamento cruel, mesquinho, machista" que JPP atribui a alguns blogs de direita.

E, convenhamos, o "chiste" é, efectivamanete, cruel, mesquinho e machista. Porque, ironicamante, remete para algo que sabemos ser da categoria do grotesco e, como tal, cruel para com a pessoa retratada.
E sabem perfeitamente que se alguém como o JPP cometesse uma gaffe análoga num programa em directo, uma "graça" similar teria um sentido completamente diverso, isto se ousassem fazê-la, já que o mais provável seria optarem por um comentário inócuo como o que o JPH escolheu no post que apresenta o vídeo.
Cumprimentos,
Carlota
Imagem de perfil

De Henrique Burnay a 30.03.2007 às 01:38

"Carlota". Se JPP fizesse metade do que Odete Santos fez, pode ter a certeza que faríamos o que fizémos ou o dobro. E é por aí que passa o seu equívoco. Odete Santos não é uma desgraçadinha em situação frágil que os tipos maus e poderosos aproveitaram para linchar. Tal como essa insinuação de que não ousaríamos gozar JPP revela idêntica presunção. Este blog pode ter - espera-se que tenha - vários defeitos, mas esse não é um deles.
Quanto ao João Pedro Henriques, não se preocupe, é rapaz inteligente e frontal, se se tivesse sentido calunidado ou ofendido reclamava. Mas não tinha por que sentir-se.
Sem imagem de perfil

De André de Soure Dores a 29.03.2007 às 19:43

Oh Henrique só de imaginar é simplesmente arrepiante! Do que havias de te ter lembrado! Mas com razão, diga-se de passagem.
Ninguém tem sempre razão e ninguém é imune a críticas nem a ser objecto de apontamentos de humor. Isso inclui necessariamente Pacheco Pereira, por mais estima que lhe tenha enquanto historiador, intelectual e até como analista ou comentador político (embora nesta sua vertente já não seja tão peremptório no elogio e na estima...). Na minha opinião o 31 da Armada não passou dos limites. Por mim estão à vontade para usar e .. ops (mas sem abusar) do humor! Também sou, por vezes, um bocadinho moralista, só um bocadinho... mas não neste caso.
Sem imagem de perfil

De Nuno a 14.11.2009 às 04:39

Parece estar a haver um problema com o comentário que enviei acerca da Odete Santos.
Já usei a mesma password noutro texto que foi publicado.
Estranho, não é?   
Nuno

Comentar post