Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




não admira que os rapazes estejam traumatizados

por Rodrigo Moita de Deus, em 22.08.07

Diogo,

 

Se a charanga da Guarda Nacional Republicana é a única que toca a galope, também é preciso não esquecer que a GNR é a única força militarizada do mundo que, por lealdade ou falta de talento, conseguiu estar sempre do lado errado da história.

 

A Guarda Real de Polícia de Lisboa nasce em 1801. Fiel ao bom regime, e de tão fervorosamente miguelista, foi extinta por D. Pedro em 1834.

Nasceu então a Guarda Municipal de Lisboa e Porto. A 5 de Outubro de 1910 são, orgulhosamente, as últimas forças em combate a render-se à república…no quartel do Carmo. Roubaram essa distinção a Paiva Couceiro e aos Lanceiros da Rainha. Tamanha devoção monárquica valeu-lhe do novo regime nova refundação como, pasme-se, Guarda Nacional Republicana.

 

Muda-se o nome, não se muda a predisposição genética. A 25 de Abril de 1974 a GNR é a única força que responde às ordens do regime condenado. Cercada outra vez no Carmo, tem como última incumbência a protecção do governo. Só se rende depois da missão cumprida.

 

Três vezes os ventos mudaram, três vezes a Guarda não mexeu.Tens razão, Diogo. Dedicação, lealdade e falta de jeito. A Guarda tem tudo o que a direita conservadora gosta.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Miguel D a 22.08.2007 às 17:01

Em 1836/1838 também voltou a estar do lado errado, mas dessa vez não era pela lealdade.

Comentar post