Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




a culpa é do passos

por Rodrigo Moita de Deus, em 09.07.17

SEF.jpg

 Caos no aeroporto. Duas horas de espera para entrar em Lisboa

Na mesma notícia leio que estão 230 agentes do SEF de serviço ao aeroporto. Ora bem...230 em turnos de oito horas dá 76,6 agentes para carimbar passaportes. Temos as férias e as folgas e aquela coisada toda. Tiremos cinco agentes a cada turno. ficam 71,6 agentes. De cada vez. Depois há o controlo aleatório na saida. Vamos alocar quatro agentes. Não Vamos alocar oito agentes - e eu nunca vi oito agentes lá. Sobram 63,6 agentes. Vamos tirar mais 10 ou vinte para outras funções. Funções como passear e beber café. E mais um. O chefe. Os chefes não trabalham. Ficam 42,6. Como é que 42,6 agentes não chegam para preencher sequer metade das banquinhas do controlo de passaportes?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Jeremias a 09.07.2017 às 15:08

Eh pá, matemática muito fraquinha a do autor... Mesmo sem perceber nada de controlo de passaportes se vê isto tresanda a facciosismo.
Desde logo, pq se o aeroporto está sempre aberto, desses 230 praí 1/5 tem que estar de folga todos os dias.
Depois, se alguma vez lá passou, sabe que o fluxo nas saídas é o mesmondas entradas. (a velocidade do controlo é que é mto mais rápida), por isso, essa ideia peregrina de "4 nas saídas" é mesmo gozo...
Depois, quando alguém não passa no controlo (seja de entrada seja de saída), haverá alguém -digo eu- na retaguarda a entrevistar, deter, fazer expediente. Haverá alguém a levar os detidos a tribunal, a instalar pessoas nas prisões... Digo eu...
E se o sef manda alguém "para trás" acho que será de senso comum que é preciso leva-lo, nem que seja à força para dentro do avião de regresso.... Dois para um, pelo menos.
E depois, como diz, haverá os fenómenos de absentismo normal em qualquer serviço. A malta do sef deve gozar férias como os outros -digo eu. Deve adoecer como os outros, digo eu... Deve casar e ter filhos como os outros, digo eu...
E tudo isto espremido, não vejo onde esteja a "farturinha" de 230 agentes "a carimbar passaportes", como diz. Se fosse tudo tão fácil como carimbar passaportes punha se lá uma daquelas máquinas de franquiar correio e estava o problema resolvido... Digo eu...

Comentar post