Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Citações

por Augusto Moita de Deus, em 24.10.17

Não sou jurista, por isso não sei se é adequado citar a Bíblia num acordão. Mas não sei se não há aqui uma reacção exagerada às palavras do Sr. Dr. Juiz. Ele poderia ter citado Gandhi, Tolstoi, Mark Twain ou Nelson Mandela. Acho que estaria tudo bem. Neste caso, citou (de forma infeliz, é certo) a Bíblia. E então? É um livro omnipresente na matriz cultural do Ocidente.

 

Eu diria mesmo mais. Quem nunca citou a Bíblia que atire a primeira pedra.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.10.2017 às 12:49

A 3ª religião do " Livro" - o Islão, não só refere o mesmo como não condena o mau trato das mulheres adúlteras ( nalguns casos ainda procede a lapidação). As outras duas há séculos que a condenam.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.10.2017 às 15:16

mas que tem a ver o cú com as calças? Que tem a ver a Biblia com uma mulher raptada e maltrada? Pode citar o que se dê na veneta, mas para basear um julgamento o que tem de ter em conta é a lei. E a lei diz que não se pode discriminar por sexo. O resto é falta de tino.
Sem imagem de perfil

De pitosga a 27.10.2017 às 18:56

O acordão não se justifica na Biblia, nem no Codigo do seculo XIX suspenso já depois do 25. Ainda não foi feita nova lei sobre o tema.
O acordão justifica-se na Lei e foi assinado por um homem e uma mulher, ambos magistrados do T da Relação do Porto.
E o J. Desmbargador foi tolo em querer ensinar a malta. E safou-se em não ter falado em Mafoma...
O acordão não alterou a sentença; e é a que está a vigorar; e que fora aplicada por tribunal de 1a instancia.

Basta ler o acordão e, sobretudo, o que José da porta da loja bem explica há uns tres dias.

Comentar post