Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Para ver se eu percebi

por Rodrigo Moita de Deus, em 28.01.17

Estou longe de ser um especialista na coisa mas corrijam-me se estiver enganado. O PEC é um adiantamento de imposto por conta daquilo que o Estado presumo que vamos ter de pagar. Esse adiantamento de imposto é depois deduzido no IRC. Menos 100 euros de PEC significa mais 100 euros de IRC. Mas o valor global do imposto fica igual. É isto, não é?

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De PSC a 28.01.2017 às 11:47

Corrijam-me POR FAVOR!
E não corrigam-me????
Sem imagem de perfil

De Rão Arques a 29.01.2017 às 09:23

Nu fondamental escelente curreção
Sem imagem de perfil

De PSC a 29.01.2017 às 11:44

No fundamental quem escreve em blogues não pode dar erros de ortografia.
Ou então se se enganou a digitar uma determinada palavra - o que acontece frequentemente - deve corrigir de imediato. Ou não?
Sem imagem de perfil

De Rão Arques a 29.01.2017 às 12:19

Não! Meu caro senhor, a quem pretende escrever ou falar não se corta a palavra lá porque não é bom a português. Saiba que uma vela torta e chamuscada dá tanta luz como outra toda polida e torneada. Basta que se perceba ou não percebeu? Sim ou não?
Sem imagem de perfil

De o Zé da Horta a 01.02.2017 às 23:31

Qual ortografia?

A antiga?
ou
A hortografia moderna?
Aquela que anda a cultivar nabos e a fazer fábricas de água a ferver?


Sem imagem de perfil

De AB a 28.01.2017 às 13:21

É isso mesmo. Ao fim dum ano fiscal o resultado é nulo.
Não sei até que ponto o PEC é legal - é um imposto sobre um lucro inexistente na altura da sua aplicação. O TC nunca se pronunciou, mas o TC é uma relíquia como o relógio de pêndulo da avó do meu pai, que também não se pronuncia sobre as horas.
A única vantagem para pequenas empresas - as que pelo visto ficam de fora dessa benesse - é aliviar um pouco a tesouraria por não ter de pagar uma suposta despesa adiantadamente.
Sem imagem de perfil

De AB a 28.01.2017 às 13:22

É isso mesmo. Ao fim dum ano fiscal o resultado é nulo.
Não sei até que ponto o PEC é legal - é um imposto sobre um lucro inexistente na altura da sua aplicação. O TC nunca se pronunciou, mas o TC é uma relíquia como o relógio de pêndulo da avó do meu pai, que também não se pronuncia sobre as horas.
A única vantagem para pequenas empresas - as que pelo visto ficam de fora dessa benesse - seria aliviar um pouco a tesouraria por não ter de pagar um suposto lucro adiantadamente.
Sem imagem de perfil

De José JORGE a 28.01.2017 às 17:06

É. € 100 corresponde aproximadamente ao que uma empresa pouparia com a redução da TSU em relação a 1 (um) empregado com o salário mínimo: € 557 * 1.25% * 14 = € 97.475! Só que o PEC é um gasto apenas para quem não tem lucros. Uma pequena/micro empresa que tenha no final do ano € 5.000 de matéria coletável (lucro) paga € 850 de IRC. Se uma pequena/micro empresa não consegue fazer € 5.000 de lucro num ano (€ 416.66/mês) vai o empresário morrer de fome. Em suma, a redução da PEC não é redução. É apenas para que a opinião pública, com a ajuda da opinião publicada, pense que o salário mínimo aumenta e que as empresas não têm aumento dos custos.
Imagem de perfil

De jojoratazana a 28.01.2017 às 17:31

Para um facilitador de negócios, isto é difícil de entender.
Sem imagem de perfil

De Miguel Madeira a 29.01.2017 às 02:47

"Se uma pequena/micro empresa não consegue fazer € 5.000 de lucro num ano (€ 416.66/mês) vai o empresário morrer de fome. "

Suponho que muitas empresas paguem um ordenado ao sócio-gerente, pelo que esses € 5.000 serão o que sobra já depois de pago esse ordenado (que pode servir para o gerente comer todos os dias).
Sem imagem de perfil

De Miguel Madeira a 29.01.2017 às 02:49

" É isto, não é?"

Não é bem isso, porque (ao contrário, p.ex., da retenção na fonte do IRS) acho que não há possibilidade de receber de volta no final do ano, pelo que se o valor final de IRC a pagar for menor do pago por PEC, a empresa vai efetivamente pagar mais do que pagaria sem PEC (já que não recebe a diferença de volta)
Sem imagem de perfil

De António Pimenta a 29.01.2017 às 09:41

É assim, exatamente. Por isso os microempresários são beneficiados com o PEC
Sem imagem de perfil

De Cantiga de Embalar a 30.01.2017 às 19:13

Pois é.
A Matemática diz e garante que sim.
Os políticos, sobretudo os socialistas dizem que não é a mesma coisa.
A prática da geringonça vai, de há um ano para cá, nesse sentido.
Tira de um lado para dar metade do outro.
Como dizia a Dona Mariquinhas:
- Alterna... alterna... minha grande ....
Sem imagem de perfil

De Carlos Coutinho a 30.01.2017 às 23:18

De facto não é assim. Este PEC (pagamento especial por conta) é uma espécie de "coleta mínima" que todas as empresas têm de pagar quer tenham resultados positivos ou não no ano anterior.

Comentar post