Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Gripes e constipações

por Augusto Moita de Deus, em 04.07.20

Não sou profissional de saúde, mas parece-me lógico concluir que uma consequência directa de todas as medidas que estamos a adoptar relacionadas com o Covid-19 é que o número de gripes e constipações comuns deve diminuir bastante.

Forismo

por Augusto Moita de Deus, em 25.06.20

PAN, PAN, queixas, queixas.

este país é um milagre

por Rodrigo Moita de Deus, em 18.06.20

Só agora vi as imagens do anúncio da Champions. No dia de Pedrógão. Não há risco do populismo chegar ao poder em Portugal. O populismo já está no poder.

Pela calada da noite, uma pessoa faz uns graffitis provocadores numa qualquer parede ou estátua. Qualquer não, tem que haver visibilidade. No dia seguinte, surgem as fotos de denúncia (já alguém explorou a possibilidade de algumas delas até poderem ter sido tiradas pelo próprio, qual pirómano que perversamente se infiltra na reportagem do incêndio?). E surge também a indignação, amplificada por shares e retweets, que mais não fazem que dar voz à mensagem que tanto se abomina, e provocar reacções extremadas, que permaneceriam no limbo das potencialidades, não fora essas acções.

E a seguir vem o efeito de bola de neve e uma avalanche de ainda mais posts e tweets e petições online. Eu sei que já chateava estarmos a ser bombardeados com notícias sobre o Covid, 24 sobre 24. E o futebol pelo menos para já perdeu encanto e relevância. Portanto nada como novas e antigas polémicas para agitar os teclados. E tudo porque uma pessoa escreveu umas coisas numa parede ou estátua. Que pode até ser uma mera brincadeira de mau gosto. Ou uma mistificação. Ou uma declaração, é certo, mas que se numa mera parede e feita numa noite estaria confinada no espaço e no tempo, até que os serviços municipais aparecessem para a respectiva limpeza.

A reacção pode ser justificada. A causa pode ser e frequentemente é nobre. Mas, quem são os lobos e quem são as ovelhas? E quem são as ovelhas com pele de lobo e vice-versa? Ou quem são os lobos que fingem ser ovelhas que eram disfarces de lobos falsos que no fundo eram ovelhas? E quem são as raposas e quem são as galinhas? Não haverá galinhas que são raposas afinal? Em quem devemos acreditar? E o que nos chega via media e redes sociais é um reflexo da realidade, ou estão elas a criar a própria realidade? Estamos, portanto, a ser manipulados? Tempos estranhos, estes.

spider.jpgzorro.jpg

Isto de ir a todo o lado com máscara tem a desvantagem de poder passar ao pé de alguém conhecido e nem notar quem é. Ou não ser reconhecido.

Ou a vantagem

Tinta vermelha

por Augusto Moita de Deus, em 12.06.20

whatsapp-image-2020-06-11-at-18-42-01_770x433_acf_

Não fosse por aquele "descoloniza", até se poderia pensar que aquilo era mais uma manifestação de desagrado pela gestão do actual Presidente do Benfica.

...

por Rodrigo Moita de Deus, em 04.06.20

Nos EUA são precisos 9m para morrer às mãos de um polícia. Em Portugal foram 15 horas. A diferença é que o nosso ucraniano nunca teve direito a hashtag. E sem hashtag não há indignação.

Simulacro

por Augusto Moita de Deus, em 19.05.20

Concorde-se ou não com as medidas de confinamento que foram tomadas, é inegável que um dos seus méritos que tem sido pouco salientado é o seguinte: tais medidas foram um simulacro para uma pandemia de maior letalidade. É possível parar tudo ou quase tudo? Ficou demonstrado que sim. Perdeu-se tempo precioso (visto nas dúvidas iniciais a nível de cuidados intensivos, na escassez de equipamentos de protecção, num certo adiamento das medidas de confinamento)? Sem dúvida. Foram aplicadas medidas exageradas que afectaram desnecessariamente pessoas e empresas, em que o uso de máscaras e distância teria permitido lidar com a situação? Certamente que sim e há que aprender com esta experiência, especialmente perante a quase inevitável segunda vaga. Mas tudo isto ocorre com uma doença (ainda pouco compreendida mas) não tão letal como outras infecções.

Não se pretende minimizar a letalidade deste coronavirus (maior que a gripe; e nem estou a minimizar a letalidade da própria gripe, que percebemos agora que normalmente até é menosprezada). Só estou a dizer que no universo das possíveis pandemias, há pior. E portanto é positivo estarmos preparados. 

Fomos treinados pelo simulacro-Covid-19. Mas e se a tal pandemia pior não acontecer? É fácil responder. Se nunca ocorrer esse cenário pior, melhor. 

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 19.05.20

Covid-19: afinal, ví­rus pode não se transmitir atravês de superfícies e objetos

É o efeito Trump. Trump é Trump. E como Trump é Trump o mundo prefere ignorar o óbvio. Há qualquer coisa na OMS.

coisinhas simples de entender

por Rodrigo Moita de Deus, em 17.05.20

O sucesso do desconfinamento será sempre proporcional ao tamanho da recessão.

Da série O céu é azul

por Augusto Moita de Deus, em 16.05.20

Este ano teremos muito menos gripes e constipações.

Não. A DGS retirou aos imigrantes ilegais o acesso ao SNS.

por Rodrigo Moita de Deus, em 16.05.20

Ontem, na RTP3, falei sobre o extraordinário caso dos imigrantes. Portugal anunciou, com pompa e circunstância, que qualquer migrante, legal ou ilegal, com documentos ou sem documentos, teria acesso ao Serviço Nacional de Saúde. Lembram-se? Aquela coisa de um dos “países mais avançados do mundo”? Muito embora fosse desnecessário, porque já estava previsto, foi bem. Muito embora seja quase tão útil ao país como ao imigrante, foi bem. Mas o diabo está nos detalhes. E em Portugal nos regulamentos e nas aplicações. É que no dia 8 de maio a Direção Geral de Saúde resolveu fazer uma informação sobre o assunto. Informação para o SNS. E reafirma as palavras do governo explicando que os imigrantes, para irem a um hospital só precisam de…um documento do SEF. Na prática a DGS, essa bonita instituição, faz a “interpretação” da lei para não cumprir a lei. Todos os dias há um membro do governo que se senta com a Diretora Geral de Saúde. Era recomendável que lessem o que está escrito até ao fim e depois falassem com ela antes de anunciar um dos "países mais avançados do mundo".

Aqui fica o documento.

o que estamos a discutir

por Rodrigo Moita de Deus, em 14.05.20

O Estado quis uma auditoria ao período em que o Novo Banco esteve entregue à gestão do Estado para ter a certeza que o Estado não fez nenhuma malfeitoria que prejudicasse o Estado. Faz sentido. 

O novo "the dog ate my homerwork"

por Rodrigo Moita de Deus, em 14.05.20

"stora um hacker russo encriptou os meus trabalhos de casa no desktop"

eu que não sou de intrigas

por Rodrigo Moita de Deus, em 14.05.20

As provas de que o Covid foi feito por cientistas na China estão guardadas no mesmo armário onde guardam a localização das armas de destruição maciça do Iraque.

Balls

por Rodrigo Moita de Deus, em 10.05.20

 

perguntar não ofende

por Rodrigo Moita de Deus, em 09.05.20

ainda antes do rendimento mínimo europeu: a Ana Mendes Godinho oferece dinheiro dos contribuintes portugueses para sustentar o subsídio de desemprego dos espanhóis?

perguntar não ofende

por Rodrigo Moita de Deus, em 08.05.20

Perguntas que não se conseguem fazer: o confinamento seletivo de hoje (com 26 mil infetados) era uma alternativa ao confinamento generalizado do princípio de março (com 150 infetados)?

este país é um milagre

por Rodrigo Moita de Deus, em 08.05.20

o que me mais impressiona nesta coisa do rendimento mínimo europeu? é esta capacidade que alguns têm de passar a vida a pedir dinheiro sem dizer "se faz favor".

este país é um milagre

por Rodrigo Moita de Deus, em 08.05.20

Pedir uma troika é mais honesto que pedir o rendimento mínimo europeu. E o efeito é o mesmo.





subscrever feeds