Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




rabos de cavalo

por Rodrigo Moita de Deus, em 21.10.07

Entre o drama dos afegãos bombardeados pelos americanos, a tragédia dos terrroristas torturados pelos americanos e o fim dos ecossistemas destruídos pelos americanos, há neste Doc Lisboa o filme Zoo.

 

Zoo conta a história de homens que gostam de fazer amor com…cavalos. Nem ovelhas, nem cabras, nem cães. Cavalos. E dentro dos equídeos, nem mongóis, nem póneis, nem sequer éguas. Cavalos! Só garanhões. Só puro-sangue árabes. Aqueles bem grandes.

 

Sou tão pervertido como o vizinho do lado. Talvez um pouco mais, admito.

Mas este filme implica cinco diferentes perversões. Cada uma mais feliniana que a outra. A perversão de pensar no acto. A perversão do praticar o acto. A perversão de fazer um documentário sobre o acto. A perversão de alguém pagar para ver o acto (voyerismo)  e a perversão de, no fim de tudo, lhe chamar arte.

 

Há, em tudo isto, algo profundamente ideológico. É que a minha direita, social-marialva, pode ter imensos defeitos. E até gosta de matar toiros na arena. Matar o toiro. Violá-lo é que nunca nos passou pela cabeça.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Ana Matos Pires a 21.10.2007 às 18:02

Falta de imaginação, Rodrigo, será?

E afinal em que ficamos, é violar ou fazer o próprio do amor com o animal?
Sem imagem de perfil

De Maria Alva a 03.05.2008 às 02:45

Os animais não gostam de homens, que raio, devia saber. Para o ano parece k vai ser com mulheres a levar no traseiro, mas é por elas gostarem. Ai é que não há violação, Há uma pura libertação sexual do cavalo, E da sua mulher. Esperemos com ansiedade mas vou ver se vejo primeiro na web e descubro o nome desse doc film
Sem imagem de perfil

De nuno valente a 21.10.2007 às 18:13

já estou a imaginar os forcados amadores a colocarem-se em filinha para pegar o toiro de costas!
Sem imagem de perfil

De Pedro Soares Lourenço a 21.10.2007 às 18:20

Perdoe-me senhor Deus eu pequei: então não é que quando cheguei à bilheteira da culturgest para ver “Zoo” a sessão estava esgotada…
Sem imagem de perfil

De manoel d'oliveira a 21.10.2007 às 20:20

É natural. Num país como este...
Estou inteiramente de acordo com o Rodrigo.
A enorme propaganda ao DOC Lisboa só é possivel porque o cinema continua a ser o maior fetiche e o território preferido dos pós modernos de esquerda urbana, quase todos vestidos/fardados de preto. Como acontecimento cultural, bom, nem vale a pena comentar.
Sem imagem de perfil

De Alexandre Lagoa a 22.10.2007 às 10:37

Manoel d'Oliveira? O próprio?

!

Em relação a este filme, Rodrigo, talvez seja um pouco exibicionista, sim, mas o tema já tinha sido abordado pelo Harry Potter, na tal peça de teatro Equus, em que o jovem aparecia nuzinho em pelo em palco (a peça antecede-o, though).
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2007 às 18:56

parece que para o ano sai um parecido, mas artisticamente mais evoluído, que vai além na metáfora do blá-blá-blá... que em vez de documentar o amor aos cavalos fá-lo-á às criancinhas.
Atenção, não é pedofilia, é arte!!!
Sem imagem de perfil

De antónio a 21.10.2007 às 20:27

Olha não tens imagens de Wiriamo? É claro que os americanos por definição são maus como as cobras, mas e nós? Temos alguns esqueletos no armário? Que é como quem diz algumas populações carbonizadas a napalm e passadas a baioneta?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2007 às 21:03

Ó marialva, se perguntasses ao toiro o que ele preferia que lhe fizesses, ias ter uma surpresa...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 24.10.2007 às 00:20

Tu perguntaste-lhe ou perguntou-te ele a ti?
Sem imagem de perfil

De António de Almeida a 21.10.2007 às 21:32

-Eu até gosto de cinema, practicamente todas as semanas vou ao cinema, e vejo uns dois filmes em casa. Isso do DOC Lisboa é o quê?
Sem imagem de perfil

De Luis Oliveira a 22.10.2007 às 07:18

É um festival de cinema dedicado a documentários. Salvo erro tem lugar na culturgest.
Sem imagem de perfil

De Luís Gomes a 21.10.2007 às 21:34

È verdade! Tivemos esqueletos em armários muito antigos, tão antigos que já apodreceram com o tempo.
Sem duvida nenhuma algumas populações foram carbonizadas com napalm e, tudo isso aconteceu no tempo do EXMº. Senhor Professor Doutor António de Oliveira Salazar e Caetano. Um percurso da nossa história que deve de ser lembrado para que nunca mais se repita. Agora comparar os Americanos com este pobre povo!?!?...
Os americanos continuam a matar a torto e a direito por interesses sobejamente conhecidos. Por tudo menos pela paz.
Branquear os Americanos com um caso passado na triste ex guerra do ex Ultramar, è o mesmo que comparar o Rossio com a rua da Betesga.

Os forcados amadores por regra pegam o touro pelos cornos. Existe sim por aí muito boa gente anti touradas, que pega de empurrão, gostam mais de carne viva, de serem torturados do que torturarem.
Masoquismo, puro Masoquismo.
Luís Gomes
Santarém
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.10.2007 às 21:51

está aqui está a admitir que tourada é tortura e que os toureiros são sádicos...
Sem imagem de perfil

De Luís Gomes a 22.10.2007 às 11:00

Queimou-se?
Luí Gomes
Santarém
Sem imagem de perfil

De Alexandre Lagoa a 22.10.2007 às 11:59

O senhor Luís Gomes está por acaso a sugerir, por algum meio, que quem é contra as touradas é paneleiro?

Não preciso de resposta. Só queria mesmo desconstruir o argumento, pareceu-me que valia a pena...
Sem imagem de perfil

De Luís Gomes a 22.10.2007 às 19:06

Claro que precisa de resposta! Só os ratos são os primeiros a abandonar o navio.
O Senhor Alexandre Lagoa é livre de pensar o que muito bem entender. Olhe, é como se estivesse a analisar uma pintura abstrata. Vê-se simplesmente o que se quer nada mais. Agora aconcelho-o a ler com atenção todos os comentários proferidos à cerca do artigo e, neles encontrará a resposta ao que eu escrevi.
Nós os amantes da festa brava até temos paciência de corno para aturar o radicalismo desacerbado e provocante dos anti, dos bonzinhos da silva que só devem comer forragem e não carne de animais.

Os artistas da festa são gente boa, gente honrada, que não precisa da minha humilde defesa, no entanto e para que conste, quantas vezes não contribuem com a sua arte, para causas nobres, como a luta Portuguesa contra o cancro, por exemplo. E os anti? com manifes em frente ás praças?
Comprem minhoca no Cais do Sodré e dediquem-se à pesca que o peixe não sofre.
Luís Gomes
Santarém
Sem imagem de perfil

De p d s a 22.10.2007 às 12:17

( agora só uma provocaçãozinha a qual não consigo resistir ...)

... é que a tua direita, social-marialva, pode ter imensos defeitos. E até gosta de matar toiros na arena. Matar o toiro. Violá-los é que nunca vos passou pela cabeça.

...supeita-se que esta diferença, resulta apenas de falta de tomates !!! ( lolololololololol )

já que não os podemos "amar" (com F) então pelo menos matamo-los !!!

Sem imagem de perfil

De jpinto a 22.10.2007 às 18:28

Eu, por acaso, não tenho em muito boa conta quem é contra as touradas. São cá coisas...
Quanto aos cavalos, já nos velhos filmes westerns do Jonh Wayne e outros, normalmente, o cowboy bom acabava sempre por casar com o cavalo. Portanto, já a coisa vem daí.
Também no "Padrinho I" há um gajo que acorda na cama com um cavalo, embora aqui numa versão mais soft: é apenas a cabeça do dito, embora ainda dê para fazer qualquer coisita...
Imagem de perfil

De talvezumdiahum a 28.04.2008 às 11:56

Como diz e bem o Manuel d'Oliveira neste blog, num país como este é natural, nem percebo porque é preciso ir ao cinema e pagar para ver... Já somos F... pelos nossos politicos (e á grande, com uns bem maiores do que dos cavalos), as maternidades escolas e serviços públicos fecham enquanto aumentam o número de Mega centros comerciais hospitais e escolas privadas onde antes eram públicas. Há muito dinheiro para Tgv, novo aeroporto e nova travessia do Tejo mas não há dinheiro para recuperar escolas tribunais e esquadras da policia que estão literalmente a cair de podres e mais importante que isso equipá-las de meios e de pessoas, para por exemplo não "convidarem" os professores a terem cursos de defesa pessoal em vez de relacionamento com os alunos. De qualquer forma, já nos proibiram de contestar o chamado holocausto, já nos proibiram de fumar em espaços públicos, já nos proibiram (ou queriam proibir) de colocar piecings e fazer tatuagens, já nos proibiram (ou queriam proibir) de ter determinadas raças de cães.. já só faltava nos proibirem de ver filmes com homens a F... com cavalos!!??!!

Comentar post