Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




1+1=3

por Rui Castro, em 11.07.08

O Plano de Acção para a Matemática, que pode ser consultado aqui, é, de acordo com o Ministério da Educação, uma das razões para o sucesso obtido pelos alunos nas provas do 9.º e do 12.º anos. Só não consigo perceber como é que o referido plano, em vigor desde 2006, não teve qualquer efeito em 2007, ano em que se registaram os piores resultados de sempre. Por outro lado, é também estranho que o Plano produza efeitos nos exames do 12.º ano quando, de acordo com o mesmo, só se aplica até ao 9.º ano. Estou certo de que um qualquer assessor, dos muitos que infectam a blogosfera, rapidamente explicará o fenómenos aos mais descrentes.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Pedro Sá a 11.07.2008 às 09:43

Se havia 72% de chumbos certamente era porque os exames eram demasiado difíceis para o que se aprendia. Com números desses não há outra explicação.
Imagem de perfil

De Rui Castro a 11.07.2008 às 09:44

Ou então os deste ano eram excessivamente fáceis...
Imagem de perfil

De Carlos Nunes Lopes a 11.07.2008 às 10:07

É uma pena que o PISA (Programme for International Student Assessment) também seja muito difícil. Só assim se entendem os maus resultados a Português e matemática quando comparados com os parceiros da OCDE.
Que tal sugerir que as provas de base do PISA sejam também mais fáceis?
Imagem de perfil

De Rui Castro a 11.07.2008 às 10:11

Bem-vindo, Carlos.
Imagem de perfil

De Carlos Nunes Lopes a 11.07.2008 às 11:39

É uma honra. Vou tentar estar à altura.
Sem imagem de perfil

De Pedro Sá a 12.07.2008 às 12:38

Então meus caros o problema está no que se ensina. É que não há outra possibilidade. Porque definitivamente o exame do ano passado era demasiado difícil para o nível geral.
Sem imagem de perfil

De Zé Ferreira a 14.07.2008 às 03:22

O exame do ano passado era demasiado difícil para a vontade de estudar dos alunos. O que se ensina está muito bem, a forma de encarar a escola e os estudos é que vai muito mal. Se a matemática de uma universidade como o IST é difícil para quem tirou mais de 18 valores no exame do ano passado, imagine o que vai suceder a esta geração de caloiros.
Sem imagem de perfil

De Pedro Sá a 14.07.2008 às 19:14

Não é por acaso que há muitos anos que defendo que os currículos da matemática deviam ter como único e simples objectivo a preparação para a matemática necessária para o ensino superior.

Claro que isso implicaria programas diferentes para os diversos agrupamentos.

Comentar post