Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Grandes esperanças (II)

por Francisco Mendes da Silva, em 03.09.08

Rui, o teu reparo não faz sentido, pelo menos relativamente a mim. Acho que dos meus textos se consegue perceber que eu faço mais uma "sindicância" do entusiamo de alguns dos apoiantes de Obama (à luz do que vou impressionisticamente recolhendo das informações mais facilmente disponíveis) que um escrutínio da proposta política do candidato. São, se quiseres, refutações da "obamania", enquanto facto ou movimento político mais conspícuo da actualidade. Se vires bem, tenho incluído ou acompanhado esses textos com outros em que me mostro muito pouco próximo de alguns dos hábitos do debate partidário americano. E aí não tenho propriamente aplaudido a campanha de McCain. Convido-te, aliás, a procurar as referências que tenho feito a este último e a identificar alguma de sentido favorável (confere, por exemplo, o meu comentário em resposta a um outro de um leitor, no meu último post). O problema é que não há uma McCainmania tonta por onde pegar. E por isso é que não existe nenhuma obrigação de comparação ou simetria que eu deva respeitar (como se outras razões não houvessem).