Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




auto-regulação

por Rodrigo Moita de Deus, em 16.09.08

Gosto tanto da ideia do Henrique Burnay que decidi compra-la. Uma parte. Só uma parte. É tão boa ideia que tenho a certeza que só pode valorizar. Em vez de uma parte vou comprar futuros da ideia. Espera! Como isto é certo vou comprar uma opção de futuros. Ups. São sete e meia da noite. Tenho o dinheiro todo em Tóquio. Pode ser a crédito?


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Miguel Lopes a 16.09.2008 às 23:06

"Vamos explicar aos americanos que o maior banco deve ser público, para não falir."

Ele nem deve saber que o maior banco é uma espécie de "banco público", com participação privada (até 6% por cada um dos bancos membros, que ainda elegem directores). Chama-se Fed.

Depois convém também explicar que os bancos não podem falir porque são criadores de moeda através da extensão creditícia da massa monetária.
Um banco não é uma mercearia. É por isso que para abrir um banco se exige exclusividade, dispositivos sólidos, idoneidade e disponibilidade dos membros dos órgãos de administração, fiscalização e do conselho geral. Tudo isto é avaliado pelo Banco de Portugal que aprova ou não.

É claro que se deve regular a banca e punir criminalmente aqueles que põem em causa o edifício. O problema é de quem, na sua pequenez empedernida, vê mercados desregulados onde eles não podem existir.
Imagem de perfil

De Henrique Burnay a 16.09.2008 às 23:59

Caro Miguel, o maior banco comercial americano não é público, ponto. Não tente baralhar os dados. a reserva Federal existe, não é a Caixa Geral de Depósitos lá do sítio. Ninguém aqui defendeu que o mercado, o financeiro ou outro qualuer, deve ser desregulado. Houve quem dissesse que o mercado financeiro americano era auto-regulado, que isso era a causa das falências e que esse modelo tinha acabado de falir. E houve quem, como eu, dissesse que o mercado financeiro não era apenas auto-regulado, e que não era esse o problema, e que as falências faziam parte de um modelo económico capitalista (e liberal, ao que parece tenho de acrescentar).
Eu adoro que discordem de mim, mas detesto que discordem de mim no que eu não disse. Manias.
Sem imagem de perfil

De Miguel Lopes a 17.09.2008 às 01:24

"Ninguém aqui defendeu que o mercado, o financeiro ou outro qualuer, deve ser desregulado."

Folgo em saber.

"E houve quem, como eu, dissesse que o mercado financeiro não era apenas auto-regulado, e que não era esse o problema, e que as falências faziam parte de um modelo económico capitalista (e liberal, ao que parece tenho de acrescentar)."

A densa regulação que existe na banca serve para impedir a falência, que é paga sempre de forma injusta.
Um banco não deve falir, ao contrário de uma mercearia. Só deve ser capaz de falir de forma fraudulenta, isto é, contornando a legislação, subornando auditores, etc.
Imagem de perfil

De Henrique Burnay a 17.09.2008 às 10:42

Oh diabo, afinal eexiste densa regulação. Tens de dar essa notícia ao Rodrigo e ao Rui. Ou, usando uma piada de outro comentador, têm de rever os manuais da Alfama School of Economics. a outra surpresa que por lá vão ter é que a razão dessa preocupação toda não é com os empregos dos bancários e tal,é com o sistema financeiro em que assenta grande parte da nossa economia. Ou nadinha diferente de evitar falências por causa de 10 000 empregos.

Comentar post