Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




a ver se eu percebi

por Rui Castro, em 17.09.08

"O Partido Socialista propôs uma única alteração à lei do divórcio que volta a ser discutida amanhã no Parlamento, para clarificar que só pode pedir uma “compensação patrimonial” o cônjuge que tiver abdicado da sua carreira profissional em favor do casamento." (Público)

Desaparecendo o conceito de culpa, se o conjuge que decidiu ficar em casa a cuidar dos putos ou, não havendo descendência, a limpar as pratas, se envolver com o carteiro, por acaso (ou por simples fastio), pode não só promover o divórcio (ainda que o outro não concorde), como também pode exigir uma compensação por ter "abdicado" da carreira. É isto? (publicado também aqui)


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De por Pedro Sá a 17.09.2008 às 11:39

É. E por isso é que a alteração é uma estupidez. Isso nunca devia entrar, porque há que socialmente fazer perceber dê por onde der que o lugar das mulheres é a trabalhar e não em casa.
Sem imagem de perfil

De O Sniper a 17.09.2008 às 12:08

É mais ou menos isso, acho eu. Sendo eu a favor da liberdade de cada um decidir o rumo que pretende dar à sua vida (sem interferir com a liberdade dos outros, claro está), há alguns pontos desta lei do divórcio que me parecem algo estapafúrdio.

Comentar post