Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Se partirmos para uma discussão lançando a ideia de que os nossos opositores defendem soluções radicais, ficamos com muito mais hipóteses de fazer passar a nossa mensagem como uma mensagem ponderada e sensata (mesmo que seja errada).

 

Se, por exemplo, o nosso opositor defender a primazia do poder político sobre os poderes económicos, e nós alegarmos sistematicamente que ele quer nacionalizar os meios de produção, confiscar os bens, fechar as fronteiras, expropriar as terras e proibir as transacções, o mais natural é que, ao fim de algum tempo, os mais desatentos comecem a achar que a primazia do poder político sobre os poderes económicos é tudo isto, e que a solução ponderada, sensata, “moderada” é a primazia dos poderes económicos sobre o poder político.

 

A blogosfera, como qualquer comunidade mediática onde haja mais de 5 pessoas, age muito por silogismos miméticos: fulano, que é muito lido, disse que quem quer regular e fiscalizar o mercado é socialista; beltrano sugeriu que era necessária uma fiscalização mais apertada; beltrano é um safado dum socialista. E eu, antes que me chamem de socialista, vou tratar de defender aquilo que o fulano que é muito lido diz.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Imagem de perfil

De E a 23.09.2008 às 16:17

Claro, Henrique, o exemplo é só um exemplo. A moral é a mesma se se inverterem as posições.

Comentar post