Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Magalhães é PIN +

por Rodrigo Moita de Deus, em 07.10.08

Eu que não sou de intrigas estava convencido que para fazer negócios com o Estado é necessário uma certidão de não dívida ao fisco e à segurança social. Provavelmente estou enganado.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Luis Melo a 07.10.2008 às 22:20

Provavelmente estamos todos enganados. Existem projectos, que como diz bem devem ser PIN +, que não estão sujeitos ás mesmas regras dos outros.

É mais do mesmo Governo. É mais do mesmo Primeiro-Ministro.
Sem imagem de perfil

De f a 07.10.2008 às 22:39

Ou vi mal, ou a notícia esteve no Público online e desapareceu.
Sem imagem de perfil

De Dinis a 08.10.2008 às 00:12

Na minha opinião pessoal: deve ao fisco quem é objecto de uma sentença (decisão) a dizer isso mesmo. Ora se recorreram, estão ao abrigo da presunção de inocência - enquanto não houver decisão transitada em julgado. Isto sou eu a dizer, que não tenho estado cá, mas da última vez que estive constava de um textozinho chamado Constituição da República Portuguese. Conhecem?
Sem imagem de perfil

De Bruno-Planetas a 08.10.2008 às 00:32

Rodrigo, ligue para algum dos Programas Operacionais do QREN e pergunte se pode apresentar uma candidatura sem a declaração das finanças!!
Depois diga alguma coisa s.f.f
Sem imagem de perfil

De Dinis a 08.10.2008 às 00:47

Ligo eu, dezenas de vezes em nome de terceiros. Não havendo decisão administrativa e/ou judicial de condenação, não tenho dívidas! Mas vc's vivem onde? No Ruanda?
Sem imagem de perfil

De aviador a 08.10.2008 às 00:53

Já foi dito e redito que a compra dos magalhães não foi feita pelo Estado.
Foram as operadoras de tm no âmbito das contrapartidas e contribuições para o "plano tenológico".

Mas se querem especular...
Sem imagem de perfil

De aviador a 08.10.2008 às 00:54

Já foi dito e redito que a compra dos magalhães não foi feita pelo Estado.
Foram as operadoras de tm no âmbito das contrapartidas e contribuições para o "plano tecnológico ".

Mas se querem especular...
Sem imagem de perfil

De F a 08.10.2008 às 08:35

O lobo xavier na quadratura, não se quis esticar muito mas frisou, que tendo conhecimento privilegiado , negava essa afirmação de que tinham sido as operadoras a efectuar a compra.
Sem imagem de perfil

De kruzeskanhoto a 08.10.2008 às 13:10

Mais uma jogada inteligente do Sócras. Na altura de pagar faz uma retenção de 25% do valor da factura e recupera a divida. O homem pensa tudo.
Sem imagem de perfil

De JPG a 08.10.2008 às 13:26

«... para fazer negócios com o Estado é necessário uma certidão de não dívida ao fisco e à segurança social.»

1. Qualquer "negócio" entre o Estado e uma Empresa (ou várias) tem necessariamente de ser sujeito a concurso público.
2. Qualquer "negócio" entre o Estado e uma Empresa (ou várias) tem necessariamente de ser publicado no DR.
3. Não existiu nem uma coisa nem outra.

Logo, não existiu qualquer espécie de "negócio" entre o Estado e Empresa alguma.

Porreiro, pá.

Comentar post