Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




o casamento gay XII

por Rodrigo Moita de Deus, em 10.10.08

Direitos fundamentais, conceitos jurídicos e tácticas partidárias. A minha pergunta é muito mais simples: para que raio querem eles casar?


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2008 às 01:16

deve ser para fazerem bebés...

mas lembro-me agora:
não era precisa outra coisa para isso???

porque se é por qualquer outra coisa, não vejo qual. quais são as vantagens do casamento?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2008 às 01:18

se calhar querem casar-se para substituir o contrato laboral:
ainda é muito dificil despedir um empregado, ao passo que, com a nova lei do divorcio, é bastante facil divorciar-se. assim um gajo casa-se com o empregado e põe-no no papel de mulher do século xiv, assim tipo escravo e, quando já nao for util, divorcia-se
Sem imagem de perfil

De Jeronimo a 10.10.2008 às 01:41

Porque têm andado estes anos todos a ser discriminados que já só se sentem bem quando se acham discriminados por qualquer razão. A seguir vai ser pela adopção, depois pela licença de parto, pelo subsidio de aleitamento, por poder faltar à ginástica uma vez por mês, etc, etc. Há pessoas que só se sentem bem no eterno papel de vítimas de perseguição e discriminação. Na realidade, o masoquismo deles e tamanho que acabam por ser os maiores adeptos dos PNRs e de outros imbecis como tal ...
Sem imagem de perfil

De E... a 10.10.2008 às 01:57

E porque é que não hão-de poder? Em que é que isso vos afecta? Se a possibilidade existir e se assim o entenderem, duas pessoas devem poder casar; não vejo que mal vem ao mundo se "eles" puderem casar. Ou não pagam impostos e têm direitos como o resto da malta? Claro que haverá sempre a possibilidade de prevalecerem os princípios do Deus e dos seus seguidores...
Sem imagem de perfil

De Jeronimo a 10.10.2008 às 09:13

Portanto a resposta à pergunta do Rodrigo é ... porque sim ! Não podia estar mais de acordo. Esse é realmente o único argumento dos que fazem disto a questão mais importante neste momento.
Sem imagem de perfil

De Luis Melo a 10.10.2008 às 10:18

Sou obrigado a concordar com o 1º e 2º comentário do Jerónimo.
Imagem de perfil

De Jonasnuts a 10.10.2008 às 09:22

Rodrigo: Porque raio quis o Rodrigo casar?

:)
Sem imagem de perfil

De al kantara a 10.10.2008 às 10:23

Caro Rodrigo, a pergunta deveria ser : E porque é que vocês estarão tão preocupados em impedi-los de casar ?...

Sem imagem de perfil

De jms a 10.10.2008 às 10:39

Caro Rodrigo, estes seus posts o que parece é revelarem uma enorme homofobia. Porque é que o preocupa tanto o casamento gay? Acha que se casarem vai diminuir ainda mais o índice demográfico português ( o que seria sinal de que, afinal, há mais gays do que se imagina)? Que o casamento visa apenas procriar, como disse a líder do PSD? Ou é a palavra casamento que o incomoda, porque se for união de facto, tudo bem?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2008 às 10:39

Ó Jerónimo, e que tem você a ver com as razões pelas quais os outros querem casar? O porque sim não lhe chega? Quer que as pessoas que querem casar vão a sua casa explicar-se?
O mesmo vale para o Rodrigo, claro.

Pedro
Sem imagem de perfil

De Jeronimo a 10.10.2008 às 11:34

Não tenho nada a ver com as razões porque alguém quer casar. Só com as razões que alguém apresenta para querer mudar a lei do país onde vivo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2008 às 14:28

Ó Jerónimo, mas as razões para alterar a lei é para haver pessoas que se possam casar. Por isso, volto a perguntar-lhe: que tem você contra o casamento dos outros ou com as suas razões para casar?

Pedro
Sem imagem de perfil

De Jeronimo a 10.10.2008 às 14:55

Já lhe respondi: absolutamente nenhumas. A minha questão é que se não há direitos fundamentais ou qualquer tipo de discriminação que as pessoas sofram por viver numa união de facto, porque é que é tão importante a questão do casamento. E suspeito que é apenas por uma questão de princípios, de valores e de consciência. Se assim é, este debate e a votação desta lei não deve ser assim abrupta. Deve ser explicada às pessoas o alegado absurdo dessa discriminação.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2008 às 14:59

Jerónimo, você, por um lado, repete que não tem nada contra o casamento dos outros, que não quer saber das suas razões, etc. E por outro lado, diz que devem ser debatidas as razões pelas quais os outros casam...
Está bem, pronto.

Pedro
Sem imagem de perfil

De Jeronimo a 10.10.2008 às 15:17

Reconheço que não consegui ser muito claro. E penso que não o consigo precisamente não ter uma posição bem definida. Lá está, talvez com um debate mais aprofundado, numa altura em que as pessoas não andem angustiadas com outras questões mais críticas, eu já consiga ter uma opinião mais precisa e possa esclarecê-lo devidamente ou até, quem sabe concordar consigo.
Sem imagem de perfil

De M.ª Eduarda Lemos Godinho a 10.10.2008 às 10:43

porque hoje apenas os gays e os padres querem casar....é assim.
Sem imagem de perfil

De Paulo a 10.10.2008 às 11:19

Possa, ainda quase ninguém o apelidou de homofóbico... É de estranhar, hoje em dia, o mais pequeno desvio de opinião em relação à comunidade homossexual vem imediatamente rotulada de tal. Desculpem-me à comparação, mas parece que falamos de uma espécie em vias de extinção. E todos sabemos que não é esse o caso.
Sem imagem de perfil

De Tiago falcoeiras a 10.10.2008 às 11:32

Concordo. Estamos numa era em que nos dizem que o importante é a liberdade de pensamento. Mas...se discordamos de alguns grupos somos chamados de xenófobos, palhaços e afins.
Ora, eu sou homofóbico só porque discordo deles?
Tenham paciência.
Se for de direita, sou fascista, de esquerda comunista, se sou contra o casamento homossexual, sou homofóbico.
Tá bem!!!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2008 às 12:02

Ó Tiago, o seu colega Paulo ali em cima acabou de dizer que quase ninguém acusou o autor do post de homofóbico. Não se faça você de vitima.
Sem imagem de perfil

De Tiago falcoeiras a 10.10.2008 às 12:43

Ó Ser não identificado por falta de perfil na net ou por razões bem piores,
Em primeiro lugar, não é meu hábito fazer-me de vítima. Como se pode ver neste caso.
Em segundo lugar, e se for português, há-de compreender a diferença entre nenhum e quase ninguém, como uma leitura atenta dos comentários o elucidará.
Ou não posso ter opinião sem ser vítima.
Já agora, colega deduz, pelo menos, um certo relacionamento, coisa que não existe.
Elucidado?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2008 às 14:31

Você disse isto, Tiago

"se discordamos de alguns grupos somos chamados de xenófobos e palhaço e afins" e disse ainda que o chama de homfóbico?

Quem é que lhe chamou isso? Afinal, sente-se ou não se sente vitima?
Sem imagem de perfil

De Tiago falcoeiras a 10.10.2008 às 14:44

Acho que temos um problema de comunicação.
Sinto-me vítima, não. Quis somente apontar para um hábito normal da sociedade.
Considero-me homofóbico? Não!
Sou a favor de casamentos homossexuais? Não!
Quis somente apontar que não considero estas duas proposições antagónicas.
O comentário nasceu de dois comentários acima colocados.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 10.10.2008 às 15:02

Ó Tiago, ninguém lhe perguntou o que achava do casamento homossexual ou se era homofóbico. É consigo. Eu apenas me referia à sua afirmação de que havia pessoas a insultá-lo por causa disso.

Sem imagem de perfil

De Fenéco a 10.10.2008 às 14:03

Querem casar, porque estão cheios de complexos e falta de auto-estima, devido ao seu comportamento desviante. A sua batalha ideológica é basicamente equiparar a sua união ao casamento entre homem e mulher, para que depois de terem os dois o mesmo valor perante a sociedade, nenhum tenha de facto valor, nessa altura vencerão sim, e o casamento hetero e o gay vai ser igual... A ZERO.

Mas não se preocupem, depois disto, veremos que a luta continua pela aceitação e aprovação da poligamia, poliamoria, incesto, etc... Porque uma vez aberto o precedente, não há nada a impedir que 3,4,7,10 ou 20 homens se resolvam casar e ir viver para um condomínio onde pretenderão educar as crianças adoptadas e a si entregues. Não há argumentos contra, já não pode haver, os argumentos dos "sentimentos" e direito à "felicidade" dão tanto para os homossexuais como para todos os outros com algum tipo de desvio.

Comentar post