Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




era exactamente aqui que eu queria chegar

por Rodrigo Moita de Deus, em 11.10.08

João Miranda diz que houve uma filosofia estatista na regulação dos mercados. Claro que sim. O próprio conceito de regulação dos mercados implica uma “filosofia estatista”. Mas o João Miranda conclui que foi essa filosofia estatista que provocou a crise. Pois.

 

Vamos por partes. As autoridades nacionais foram completamente incapazes de regular um mercado global. Foram incapazes de acompanhar a evolução dos próprios mecanismos de funcionamento do mercado. O carry trade é um óptimo exemplo disso mesmo. A regulação ficou-se – como o próprio João Miranda o disse – pela última grande crise. 

 

Ficamos com a regulação que de facto existe. E essa não funcionou. Não funcionou porque, utilizando o mesmo exemplo, durante anos o Presidente do BCP foi mais importante que o Presidente do Banco de Portugal. Que é como quem diz: faltou autoridade ao Estado.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Helder a 11.10.2008 às 23:11

Rodrigo pá tens que vir fazer uma pós graduação à L.M.B.S . :-) aprendias o que te explicaram o JM e o Gabriel sem espinhas e, de caminho, aqui perto na Roberto Ivens fica o Mal-Criado ". O peixe grelhado é bom sim senhor mas, se não gostares, está logo ali a Marisqueira dos Pobres. Essa é fraquinha, mais vale a Tasca do Godinho com as "lambretas". Cumprimentos. Pá.
Imagem de perfil

De Rodrigo Moita de Deus a 12.10.2008 às 04:04

Helder,

parece-me que as notícias destes últimos dias já fizeram um mark to market aos "ensinamentos" do JM e do Gabriel.

Comentar post