Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O artista era um bom artista. Não havia necessidade.

por Sofia Bragança Buchholz, em 11.10.08

O post do Rodrigo despertou-me o saudosismo. Pôs-me a rever vídeos antigos, a ouvir sons da infância, do tempo em que o Festival da Canção fazia parar o país, e que era quase a sua única forma de divulgação no estrangeiro. Dei comigo a ver a interpretação do tema – lindíssimo, por sinal – “Estrela da Tarde”, pelo Carlos do Carmo. É indiscutível o timbre de voz do cantor e a beleza do poema do Ary dos Santos. Mas bolas, sejamos realistas, com uma performance destas do poeta, como é que alguma vez poderíamos imaginar, sequer, ganhar algum concurso?!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De Tiago Moreira Ramalho a 11.10.2008 às 16:48

foi pena o proprio ary nao saber o poema que escreveu e ter de estar sempre a olhar para o lado. de qualquer modo achei a conjugaçao entre a canção e a declamação muito interessante, nunca vi nada igual e acho que não é assim tão feio

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






subscrever feeds