Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




trinta anos de corporativismo na educação

por Rodrigo Moita de Deus, em 14.11.08

Alunos protestam porque querem faltar às aulas sem justificação. Professores protestam porque não querem ser avaliados. Lindo serviço. Nem avaliação para os professores nem assiduidade para os alunos. Depois queixem-se do país que temos.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Tiradentes a 14.11.2008 às 16:21

Tem muito jeito para os trocadilhos mas muito pouco informado ou deverei dizer "deformado"?

Com tipos assim, é esta a futura geração de políticos? Pffffffffffffff
Sem imagem de perfil

De rodrigo moita de deus a 14.11.2008 às 17:09

Claro que sim. Futura geração. De políticos. Ò pra mim a conquistar os votos da classe.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.11.2008 às 10:37

entre o seu amor à Manelinha e os tostoes do Paixao Martins parece que se vende por pouco? eu nao acredito ou sera que devo ouvir os que a respeito de si dizem que outra coisa nao seria de esperar de um aspirante a marialva de origem pouco adequada....
Sem imagem de perfil

De Bruno - Planetas a 14.11.2008 às 16:26

O Circo chegou à praça!!

http://planetaspolitik.blogspot.com/2008/11/quo-vadis.html
Sem imagem de perfil

De mono a 14.11.2008 às 16:47

Será idiota?
Já ouviu algum professor dizer que não quer ser avaliado?
Sem imagem de perfil

De rodrigo moita de deus a 14.11.2008 às 17:05

já.
Sem imagem de perfil

De rodrigo moita de deus a 14.11.2008 às 17:08

mas gosto do recuo: ah! nós queremos muito ser avaliados. só que em 20 anos nunca conseguimos encontrar um modelo que nos agrade.
Sem imagem de perfil

De mono a 15.11.2008 às 18:09

Agora, convenhamos, este modelo, aparentemente é tão válido e traz tantas vantagens às escolas como uma avaliação baseada no jogo do galo ou do pedra-tesoura-papel.
Sem imagem de perfil

De David Silva a 18.11.2008 às 13:42

Como é que o Rodrigo é avaliado nas suas funções?
Sem imagem de perfil

De mono a 15.11.2008 às 18:07

Acredito que sim, numa classe de cento e tal mil professores deve haver quem não queria ser avaliado. Mas isso não é válido para a maioria.
Já agora, eu não sou professor.
Sem imagem de perfil

De Gabriel Silva a 14.11.2008 às 17:23

Concordo 200% com as suas palavras! Bem escrito, dito e falado!
Sem imagem de perfil

De Z a 14.11.2008 às 17:29

Rodrigo, o problema dos alunos é que com este regime os que faltam com justificação (doença, consultas médicas, nojo) são equiparados aos que faltam injustificadamente.

Claro que a esmgadora maioria dos que hojes se manifestaram estava apenas a aproveitar para n ter aulas. Mesmo assim num debate que se quer sério, n convém sacrificar a verdade em nome de ter graça. Sobretudo quando se tem razão, como me parece que o Rodrigo têm.
Sem imagem de perfil

De Daniela Major a 14.11.2008 às 18:09

Há limites honestamente. O Rodrigo já leu o estatuto do aluno, alguma vez na sua vida? Os alunos não querem acabar com as faltas querem voltar ao estatuto antigo que não tinha problema nenhum. Neste as faltas para chumbar são tanto as justificadas como as injustificadas, já para não falar no facto de que quem passa o limite de faltas ainda tem uma medida correctiva e depois de passar mais um limite de faltas ainda tem um exame. Ou seja é tudo uma maneira de BARRAR o chumbo, entende? O que se quer é que se chumbe definitivamente a disciplinas onde se dá faltas INJUSTIFICADAS.
Há limites para esta ignorância
Sem imagem de perfil

De jeronimo a 14.11.2008 às 21:28

Acredito que tenha lido o estatuto do aluno. Mas garantidamente não o percebeu. Adiante. Só não percebo é porque tendo esse novo estatuto entrado em vigor há bastante tempo só agora é que os míudos vêm para a rua, sem perceberem porque o fazem. Terá a ver com a proximidade das eleições ? Mas se eles não votam, é para fazer um favor a alguém. Vão mas é estudar que têm muito tempo pela frente para fazer figura de patetas.
Sem imagem de perfil

De Oriana a 14.11.2008 às 23:43

Ó homem! Só agora é que o EA está a começar a ser aplicado nas escolas pq no ano lectivo transacto ainda não constavam dos regulamentos internos. Por isso, só agora é que os putos estão a perceber o que lhe calhou na sorte.
Sem imagem de perfil

De Tiago Moreira Ramalho a 15.11.2008 às 13:18

Eu também adoro teorias da conspiração amigo Jerónimo, mas a verdade é que gosto ainda mais de um comentário com fundo de verdade, o que não é o caso. Apesar de a lei ser de Janeiro, só neste ano lectivo é que é aplicada e transposta para os Regulamentos Internos. O problema é que com as alterações ao modelo de Gestão Escolar, o Regulamento Interno ainda nem está feito em muitas escolas porque é feito pelo Conselho Geral que em muitos sítios ainda nem está formado. Informe-se... para não fazer figura de pateta...
Sem imagem de perfil

De Jeronimo a 17.11.2008 às 12:12

Está-me a dizer que a prática habitual é só protestar quando a lei entra efectivamente em vigor ? Yeah, right. Até parece que os míudos que são entrevistados fazem a minima ideia sobre o que estão a protestar. Até parece que a contestação simultanea não serve os propósitos de quem quer lançar a ideia de incompetetência do ministério. Deixe mas é de ser pateta e use os ovos para fazer uma omolete, que ganha mais com isso.
Imagem de perfil

De António de Almeida a 14.11.2008 às 18:18

Será que o Estatuto da Carreira Docente e o Estatuto do Aluno foram elaborados por um assessor utilizando o Magalhães?
Sem imagem de perfil

De jeronimo a 14.11.2008 às 21:31

Aposto que nunca leu nem um nem o outro. Mas já se deve ter pronunciado sobre eles inúmeras vezes, como se tivesse toda a autoridade para o fazer. Está ao nível dos miúdos dos ovos ...
Sem imagem de perfil

De Yosseph a 14.11.2008 às 18:30

homem, você parece daqueles tipos que andam na faixa da esquerda a 120 e não deixam passar ninguém só porque querem impor aos outros os limites do código da estrada, frustrados por não serem polícias. Chiça!
Sem imagem de perfil

De paulo barata a 14.11.2008 às 19:31

Meu Caro Rodrigo, Como acompanhante e leitor (e apreciador) habitual do que vais postando, não resisto no entanto a esta tua contínua insistência e defesa de uma peregrina ideia - de que os professores não querem ser avaliados! Não sei a que tipo de professores te estás a referir mas não certamente à sua grande maioria (que muito provavel/ até esteve em Lisboa no último Sábado), querem, exigem e sempre conviveram com a avaliação. É obvio, e reconheço a sua existência, que tal como noutras profissões, há gente que resiste a qualquer alteração que os obrigue a trabalhar mais e, helas..., até obtiveram a sua formação de uma forma "mais leve e pouco exigente", aproveitando mecanismos que a lei permite...seguindo aliás o exemplo de muito boa gente com responsabilidades no país. Ou seja, admito, e é uma vergonha, que também existem entre os professores muitos que defendem com todas as forças mecanismos facilitistas de evolução (e formação ) das sua carreiras mas aí meu caro, o mesmo também exite noutras classes profissionais. Por exemplo, na engª...sei o trabalho que dá, antes, durante e após o curso, mas sabemos que essa exigêcia não é extensiva a muitos outros cursos..de engenharia...! Em resumo, é perigoso tomar a núvem por Juno.
Sem imagem de perfil

De j a 14.11.2008 às 21:20

Talvez fosse mais inteligente informar-se antes de criticar tudo e todos

Comentar post


Pág. 1/2