Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Bloco de notas

por Henrique Burnay, em 22.01.09

Soares era um politicão, Cavaco um autoritário, Guterres um mole, Durão fugiu, Santana um irresponsável.  Nunca aconteceu, em Portugal, haver suspeitas sobre um primeiro-ministro ou um primeiro-ministro sob suspeita.

 

A partir de Abril, mesmo que o governo caia, não é provável que se marquem eleições antecipadas. A menos de seis meses da data prevista para as eleições não se podem marcá-las antecipadas.

 

Faz sentido que Sócrates prefira ir a votos o mais cedo possível. Quanto antes, menos grave será a situação económica.   

 


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Miguel a 22.01.2009 às 20:38

Memórias tão curtas...
Parece que Socrates tem um tio, Guterres tinha um cunhado

http://grandelojadoqueijolimiano.blogspot.com/2004/01/as-solidariedades-do-costume.html

E Soares era contabandista de diamantes africanos..

De facto, nota-se que o padrão é que os ex-primeiro-ministro socialistas têm sempre umas campanhas destas..

As tacticas mudam pouco ao longo de décadas, mas isso nao interessa nada...

Miguel
Imagem de perfil

De Henrique Burnay a 22.01.2009 às 23:29

O Miguel não percebeu, pois não?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.01.2009 às 01:38

Sobre o soares basta dizer isto: foi acusado (junto com o débil mental do "filho" de ser traficante de diamantes e armas pelo josé eduardo dos santos (são sempre os gatunos que melhor conhecem os seus concorrentes!); o governo ps nem o defendeu e ele (infelizmente) é um ex-presidente da república portuguesa; depois disse que iria processar o jesantos; em que tribunal o fez?????? (não pergunto pelo resultado porque sua majestade nunca apresentou processo, tal como paulo merdoso processou a torto e a direito mas disse não i processar Catalina Pestana, pudera!!!!!!).
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.01.2009 às 01:40

E o mesmo governo ps recusou-se a defender o débil mental quando timidamente o fez ao papá.
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 23.01.2009 às 00:03

Só "não percebo" (?) uma coisa: sendo a Espanha um país com várias nacionalidades crismadas de autonomias, consegue contudo fazer cumprir os mandatos saídos de eleições gerais. A situação política e partidária aparenta ser mais estável e sólida que a portuguesa, onde existe um Estado unitário, sem minorias nacionais etc. Qual é o problema?
Pois, a Espanha é uma opressora e medievalesca monarquia....
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.01.2009 às 01:32

Duas maiorias absolutas seguidas que não chegam ao fim. A primeira porque o presidente socialista queria travar a investigação do processo casa pia (pj logo a seguir às eleições ficou sem dinheiro para pôr gasolina nos carros que fosse) e a segunda porque o governo socialista quer dar um golpe. O termo chave(z) é socialista.

Comentar post