Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Bloco de notas

por Henrique Burnay, em 22.01.09

Soares era um politicão, Cavaco um autoritário, Guterres um mole, Durão fugiu, Santana um irresponsável.  Nunca aconteceu, em Portugal, haver suspeitas sobre um primeiro-ministro ou um primeiro-ministro sob suspeita.

 

A partir de Abril, mesmo que o governo caia, não é provável que se marquem eleições antecipadas. A menos de seis meses da data prevista para as eleições não se podem marcá-las antecipadas.

 

Faz sentido que Sócrates prefira ir a votos o mais cedo possível. Quanto antes, menos grave será a situação económica.   

 


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 23.01.2009 às 00:03

Só "não percebo" (?) uma coisa: sendo a Espanha um país com várias nacionalidades crismadas de autonomias, consegue contudo fazer cumprir os mandatos saídos de eleições gerais. A situação política e partidária aparenta ser mais estável e sólida que a portuguesa, onde existe um Estado unitário, sem minorias nacionais etc. Qual é o problema?
Pois, a Espanha é uma opressora e medievalesca monarquia....
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.01.2009 às 01:32

Duas maiorias absolutas seguidas que não chegam ao fim. A primeira porque o presidente socialista queria travar a investigação do processo casa pia (pj logo a seguir às eleições ficou sem dinheiro para pôr gasolina nos carros que fosse) e a segunda porque o governo socialista quer dar um golpe. O termo chave(z) é socialista.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





subscrever feeds