Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A fortuna de Mesquita Machado

por Nuno Gouveia, em 14.02.09

O Correio da Manhã publicou hoje uma reportagem que coloca em destaque a podridão da justiça e do poder autárquico em Portugal. Tudo isto a propósito de Mesquita Machado, o presidente da Câmara Municipal de Braga há mais de 32 anos.

 

Durante oito anos a Polícia Judiciária do Porto investigou a família Mesquita Machado, e apesar de ter descoberto um autarca com uma vasta fortuna, e com muito dinheiro não se sabe bem de onde veio, a PJ arquivou o processo. Um facto estranhíssimo é que os valores transaccionados nas contas bancárias da família foram sempre bastante superiores aos rendimentos declarados.

 

O CM, que teve acesso ao processo, relata vários sinais de riqueza da família, onde os filhos também desempenham o seu papel. Carros de alta cilindrada, moradias de luxo e negócios suspeitos: o filho comprou um café no centro histórico por 400 mil euros, e a filha, pouco tempo depois de terminar o curso, adquiriu uma farmácia no valor de 450 mil euros. Além de vários cheques de milhares de euros de empresários da construção civil de Braga, como Domingos Névoa, endereçados à família.

 

Apesar dos indícios, a PJ não encontrou provas de conduta ilícita de Mesquita Machado. Os bracarenses atentos certamente conhecerão muitas histórias como estas relatadas pelo CM, e certamente pelo país fora, haverá outros exemplos semelhantes. O poder autárquico é uma selva!

 

Não deveriam ser criados mecanismos de controlo sobre quem amealha fortunas usufruindo de cargos públicos? Evidenciando um político sinais de riqueza incompatíveis com o seu salário, não deveria ser ele obrigado a provar de onde veio o dinheiro?


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Imagem de perfil

De Maria Araújo a 15.02.2009 às 01:56

Dizem que quem fica no poder mais de 10 anos, torna-se corrupto.
Sou de Braga. Fico "tola" com a quantidade desmesurada de prédios e Hipermercados, Centros Comerciais, vivendas nos arredores, que eu pensva nunca lá chegarem.
E o espólio que se encontrava debaixo do túnel que estão a prolongar, aqui no centro, onde vivo?
E o terreno lado do edifíco do antigo CTT, junta à Fonte do Ídolo, vi eu ao passar lá estes dias, também em obras, estava tapado com dois plásticos, que eu deduzo serem ruínas?
Um dos comentadores disse que ele, o Mesquita, dá o aval para construção, em troca de um ou mais apartamentos, é verdade.
Há anos que se fala disso.
Mas o povo gosta de ver obras.
O povo gosta de ostentação.
O povo nem se "apercebe" que paga a contribuição à camara, como eu pago 300 euros em Abril e Setembro de contribuição da casa...
Andamos a trabalhar para pagar a estes capangas que compactuam com esse senhor MM.
E com estas obras, provavelmente só deixará a camara quando se for....para outra vida, se houver.
Abraçó

Comentar post