Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O crime compensa

por Manuel Castelo-Branco, em 23.04.09

 

 

Otelo Saraiva de Carvalho foi o líder operacional das FP-25 de Abril. Este facto foi julgado e provado em tribunal. Entre os crimes de que foi  acusado, estavam o assassinato de 17 pessoas, de uma forma fria, brutal e cobarde. Apesar disso, Otelo foi promovido a Coronel por despacho conjunto do Ministro da Defesa e das Finanças.
Entre as vitimas, estava o meu Pai, Gaspar Castelo-Branco, Director Geral dos Serviços Prisionais, assasinado a sangue frio, de forma cobarde, com dois tiros na nuca. Apesar da sua coragem e sentido de dever, Gaspar Castelo-Branco, foi ostensivamente esquecido pelo poder vigente. No ano da sua morte, foi proposto para uma condecoração, recusada por Mário Soares.
Hoje, Otelo é promovido a Coronel, com uma indemnização superior aquela que receberam as famílias das vítimas que assassinou. Não vale a pena expressar ainda mais a minha vergonha, revolta e incompreensão. Este Ministro que o promoveu, não tem memória nem vergonha, não merece o meu respeito nem dos Portugueses.

 

 

PS 

Gaspar Castelo-Branco não foi assassinado por se opor ou discordar das FP-25 Abril, mas porque no exercício da sua função, ao serviço do Estado, cumpriu o seu dever, acatou ordens com coragem e sentido de dever. Era o homem certo no lugar errado e por isso foi morto.  Foi o mais alto funcionário do estado a ser vitima dos terroristas das FP-25 de Abril.
 


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Sérgio Bernardo a 24.04.2009 às 15:28

Existem limites de decência naquilo que podemos dizer. Eu não sei que bases tem o Miguel para acusar a pessoa em questão de ser esquecido em relação aos muitos que foram presos e torturados. Gostaria aliás de compreender quem deu direito ao Otelo e seus párias de acusarem, julgarem e matarem alguém a sangue frio. Se havia "esquecimento" em relação a torturas certamente havia tribunais para julgar. O que aconteceu foi que as pessoas que no prec tomaram conta deste país, em vez de quererem instaurar uma democracia, queriam uma ditadura comunista. Agradeço aí a homens como Ramalho Eanes e outros que impediram essa deriva. Não contentes com isso levarm o nosso país para a cova, destruíndo, eles sim, todo o aparelho produtivo do país, nacionalizando empresas que se tornaram cheias de vícios, aumentando o nosso fosso em relação ao resto do mundo. Aqui está um verdadeiro e reles crime que gente como o Cunhal, o Soares, o Otelo e outros nojentos do prec deveriam realmente responder.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





subscrever feeds