Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Aviso

por Paulo Pinto Mascarenhas, em 06.02.07

TV Bloco

Não critiquem os Gato Fedorento porque eles estão acima da crítica. De qualquer crítica que não seja escrita por eles, é claro. Não podem ser criticados porque esganiçam logo aqui d' el rei que estou a ser censurado. É engraçado como um grupo de humoristas tão geniais que criticam tão mordazmente tanta gente - e tão bem, reconheça-se - expondo muita gente ao ridículo mais atroz - estão no seu papel, acrescente-se - se dão a este triste papel de falarem em censura ou tentativa de censura apenas porque alguém se lembra de os criticar.

Aquele choramingar de que um deles enviou um sms a Herman José a dizer que só agora compreendiam o que ele tinha passado, essa então, é para guardar na gaveta das piadas desperdiçadas. Lembre-se que o programa de Herman José foi retirado do ar na RTP por um motivo completamente estapafúrdio (e, para mim, não há nenhum motivo aceitável para se censurar seja o que for). Porque estava a fazer uma série de retratos cómicos de figuras históricas, entre as quais se contava a rainha "Santa" Isabel. Os Gato Fedorento foram criticados por mim e por algumas outras poucas minorias de telespectadores que ajudaram a que a audiência deles atingisse o milhão de espectadores no último domingo. E foram criticados porquê? Porque em plena campanha eleitoral quiseram ridicularizar os argumentos de um dos lados em confronto no referendo ao aborto.

Não foi só o Prof. Marcelo que foi brindado com a caricatura dos Gato, foram todos aqueles que entendem que o "Não" é a verdadeira despenalização e que o Sim representa o aborto livre até às 10 semanas, condenando todas as mulheres que o façam nem que seja um dia depois. Claro que esta é a minha opinião, falível, como outra qualquer. Mas é apenas uma crítica, nunca apelando ou sugerindo qualquer tipo de censura. Bem pelo contrário. 

Recentremos a questão, como diriam os senhores do Prós&Contras de ontem. Não sei o que outros disseram sobre a caricatura de Salazar - alguma desonestidade intelectual de Ricardo Araújo Pereira na confusão entre o que é inconfundível - ou mesmo sobre o episódio da TV Bloco. Eu limitei-me a escrever que achava genial a caricatura que tinham feito de Marcelo e que esperava agora pela caricatura do vídeo de resposta de Louçã, o que teria certamente também imensa graça e demonstraria pluralismo democrático - ou seja, que os Gato não estavam a tomar partido por nenhum dos lados neste próximo referendo. Fui desde logo mimoseado com os mais diversos ataques, certamente de fãs maioritários de RAP.

A verdade é que os Gato estão ainda hoje e todos os dias a fazer campanha por uma das partes. Essa campanha serve aliás de orgulhosa bandeira no principal blogue do Sim e está entre outros vídeos de campanha do sítio do Bloco de Esquerda. Os outros vídeos são partidários, mas não têm obviamente um décimo da graça ou do efeito pretendido. Os Gato podem fazer-se de vítimas de uma censura que ninguém lhes quer fazer - talvez seja mais um modo esperto de subirem nas audiências ou de promoverem o Sim no próximo referendo. Mas a esperteza é saloia e até ligeiramente salazarenta.


PS. Claro que Ricardo Araújo Pereira pode dizer que não me conhece de lado nenhum, como disse ao 24Horas. Pode, mas estará a faltar à verdade se o repetir em relação ao Rodrigo Moita de Deus, bastando ler os comentários de Zé Diogo Quintela a este poste para o saber.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De LuisM a 08.02.2007 às 15:26

Que rico país este. Um artista satiriza um político de partido A e surgem logo comentários que deve satirizar agora um politico do partido B para mostrar o "pluralismo democrático". Lindo. Já agora acrescento que devia até satirizar cada um dos lideres dos partidos com lugar parlamentar em Portugal para mostrar um maior "pluralismo democrático".
Se acham que o humor em Portugal é dominado pelos humoristas de esquerda deviam contra-atacar com humoristas de direita e fazer piadas com o Louçâ, o Sócrates e outros. Agora, querer impor ao humor ou aos humoristas que abordem obrigatoriamente os dois lados do topico é que é hilariante.
Sem imagem de perfil

De LuisM a 08.02.2007 às 15:29

Mas o mais interessante é que toda a gente caiu em cima dos Gato Fedorento por defenderem o sim num programa de humor mas ficam caladinhos em relação ao Marcelo Rebelo de Sousa que , num programa exibido minutos antes, fez propaganda ao Nao
Sem imagem de perfil

De João Carvas a 09.02.2007 às 10:37

É pá...e não se arranja aí pelo lado não um humorista que ridicularize os argumentos do Sim? De todo o Sim? Não? Pois...é que parece que os argumentos...são lógicos.
;)
Sem imagem de perfil

De Miguel Jeri a 09.02.2007 às 15:46

Eu acho que o RAP tem todo o direito de usar o seu potencial como humorista para intervir politicamente. NENHUM humorismo é absolutamente isento, e penso que também nenhum do bom humorismo é absolutamente comprometido. Aliás, acho de muita coragem esta nova versão do Gato Fedorento, que obviamente transimite ideias e opiniões dos mesmos. Quem não gosta não é obrigado a vê-los - mude de canal.
Desde que não difamem ninguém. E não o fizeram.
Sem imagem de perfil

De Kprg a 11.02.2007 às 17:08

fffdf
Sem imagem de perfil

De anónimo a 11.02.2007 às 18:23

Grande anormal
Sem imagem de perfil

De eagle a 16.02.2007 às 15:18

1º Liberdade de expressão
2º O humor não tem de ser coerente
3º Por muito que diga o contrário, está a censurar
4º Rábulas são rábulas e valem o que valem
5º O objectivo de um humorista é fazer rir
6º O humorista pega no assunto que quiser e/ou no personagem e satiriza-o
7º O humorista é livre de satirizar o que quiser quem quiser da forma que quiser
8º O humorista não tem de contrapor uma rábula ou uma sátira com outra para ser justo
9º Não sou humorista mas gostava de ser
10º Este ponto é só para acertar no número par de pontos
Sem imagem de perfil

De GMaciel a 19.02.2007 às 14:52

Não sei bem porquê, mas isto cheira-me à portuguesíssima "dor de corno".
Primeiro porque a "caricatura-brinde" ao papagaio Marcelo foi uma penada de génio, segundo porque se alguém usou o espaço público, pago por nós, em descarada campanha pelo não, foi o dito papagaio, terceiro porque os argumentos do supracitado papagaio raiavam o ridículo, para dizer o mínimo, quarto, e que nada tem a ver com o post em si, como mulher senti um profundo asco pelo depenado papagaio pela argumentação usada, quinto e último porque PPM, entre soluços e dentadas, denota alguma dificuldade em separar a realidade da ficção que construiu em volta da sua pessoa, a isso se chama paranóia.
Não, não é busca de protagonismo, quem o faz sabe como o fazer, é tão-somente o colocar-se em bicos de pés para sobressair por entre as cabeças da multidão.
Sem imagem de perfil

De Horácio Lima a 09.05.2007 às 01:29

Vocês são mesmo idiotas, ainda não perceberam que o RAP confundiu a campanha pelo Sim que fez para o BE com um programa de TV onde é pago por todos os contribuintes? Força PPM, estamos consigo!
Sem imagem de perfil

De MarianaLourenço a 21.02.2007 às 00:23

"Porque em plena campanha eleitoral quiseram ridicularizar os argumentos de um dos lados em confronto no referendo ao aborto. "

-O programa em que foi transmitida a rábula sobre o prof. Marcelo foi transmitida no domingo, dia 28 de Janeiro... A campanha eleitoral só começou na terça-feira, dia 30.

Mais uma vez, e apesar de não ser a pessoa mais indicada para o fazer, visto nem se quer ter (bem) idade para estar aqui a comentar (provavelmente) aconselho a que pense melhor antes de lançar certo tipo de acusações... Porque (penso eu) não faz qualquer sentido estar-se a criticar assuntos ao qual não se tem o conhecimento suficiente para o fazer.

Já agora peço desculpa de, no meu primeiro comentário, ou por ter estado a comentar coisas que, se calhar, não me dizem respeito (no meu entender sim, visto ser fã do RAP), ou por ter dito alguma mentira (esforcei-me para que tal não acontece-se), ou por outra coisa qualquer de que possam vir a utilizar como argumento para dizer que não tenho razão (mais uma vez, esforcei-me para que tal não acontecesse, modéstia à parte, duvido muito que tenha acontecido).


Outra vez, Mariana , 14 aninhos...
Sem imagem de perfil

De MarianaLourenço a 21.02.2007 às 00:28

* (esforcei-me para que tal não aconteceSse)

Peço desculpa pela gralha ...
Sem imagem de perfil

De Carlota Castro Daire a 22.02.2007 às 01:22

Peço imensa desculpa, mas alguém me poderá elucidar? Quem é o Paulo Pinto Mascarenhas? Por momentos ainda pensei que estivessem a falar do Partido Popular Monárquico... Assim , fico na mesma.
Sem imagem de perfil

De Manuela Isidoro a 09.05.2007 às 01:32

Carlota, não seja burra e cultive-se. A ler sempre se aprende alguma coisa, sua idiota descerebrada e fã dos esquerdoides RAPs
Sem imagem de perfil

De leitor de parvalheira a 01.03.2007 às 19:38

Caro PPM, andaste a comer palhaçinhos ao pequeno almoço?

Comentar post