Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Valsa de um Homem Carente

por Carlos Nunes Lopes, em 20.06.09

A tarefa não era fácil. Sócrates teve apenas dez dias para ler o guião e representar esta nova personagem. A peça foi longa e não havia ponto.

Aqui fica uma singela homenagem pelo desempenho na apresentação pública da nova personalidade.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Amêijoa Fresca a 20.06.2009 às 12:40

A lamber feridas
da derrota eleitoral,
as posturas mal geridas
são do conhecimento geral.

A valsa da humildade
tem um ritmo insidioso,
a penúria de verdade
é de um brilho radioso.

Brusca foi a guinada
a caminho da humildade,
mas daí não resulta nada
de genuína verdade.

Comentar post