Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




estamos todos de parabéns

por Rodrigo Moita de Deus, em 29.06.09

Vamos finalmente ter uma rede nacional de abastecimento de carrinhos electricos. São 320 "areas de serviço", em mais de 20 concelhos um pouco por todo o país. Uma rede que criará perto de 22000 postos de trabalho. A cerimónia de apresentação é hoje à tarde, no Pavilhão de Portugal. Estamos todos de parabéns. Especialmente o governo. Pela sua visão. Pouco importa que ainda não haja carrinhos electricos (estão previstos lá para 2011. previstos). O que importa é que não há muitos países a investir tanto em coisas que ainda não existem.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Ricardo Joao a 29.06.2009 às 13:00

Convinha talvez lançar desde já o concurso...estou a enganar quem?...vai ser por ajuste directo...para os painéis informativos para colocar nas auto-estradas, qualquer coisa do estilo 20km EDP, 48km EDP, 107km EDP... por uma questão de transparência e para benefício da concorrência do sector.
Sem imagem de perfil

De xpto a 29.06.2009 às 13:07

Tens toda a razão Ricardo. Esta coisa da propaganda na política é um flagelo. Quem não se recorda daquela torre do Frank Gery anunciada pelo Santana e que virou parque de estacionamento. ou menos virou parque de estacionamento. Agora estas coisas anunciadas pelo Socrates que só vão dar emprego a Ucranianos e a pretos, está mal. Muito mal.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Joao a 29.06.2009 às 14:15

A minha crítica visava sobretudo o monopólio do sector (mais um), no entanto devo discordar de si no que respeita à criação de emprego: está bem, está muito bem, seja para que indivíduo for! E por falar nisso, cá estamos todos à espera dos anunciados 150.000 novos postos de trabalho... De facto a propaganda é um flagelo...
Sem imagem de perfil

De PMS a 29.06.2009 às 14:38

bingo.
Sem imagem de perfil

De Amigo Laranja a 29.06.2009 às 15:24

a partidocracia capturou, não só o sistema político como o próprio Regime e as instituições do Estado, impotentes para refrear o egoísmo partidário e o seu estreito calculismo eleitoral.

Comentar post