Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




COMUNICADO

por 31, em 10.08.09

Daqui posto de comando do Movimento do 31 da Armada:

Durante a madrugada de ontem, e apesar da forte vigilância policial, elementos do 31 da Armada (Darth Vaders) subiram heroicamente até à varanda do Paços do Concelho e hastearam a bandeira azul e branca.

 

Há 99 anos atrás, no dia 5 de Outubro, um punhado de homens, contra a vontade da maioria dos Portugueses, tinha feito a mesmíssima coisa proclamando assim a república. O resto do país ficou a saber por telegrama.

 

Hoje, aproveitando as férias de verão e numa inédita acção de guerrilha ideológica, foi restaurada a legitimidade Monárquica. Podem permanecer calmos nas vossas casas: foi restaurada a Monarquia. E o país fica a saber pela internet. A acção foi devidamente filmada e o video será disponibilizado ao final da tarde.  

É o contributo do 31 para as comemorações do centenário da república.

 


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 10.08.2009 às 16:19

Facílimo:
1. Afonso Henriques
2. D. Dinis
3. D. João I
4. D. João II
D. João IV
5. O Príncipe-Regente que ao levar a capital para o Rio, evitou a perda da independência nacional
6. D. Pedro V
7. D. Carlos I


e ficam alguns de fora, que consolidaram as fronteiras e souberam guardar a independência nacional.


Quanto ao sr. AC Silva, faça bem as contas, contando com quem INTENCIONALMENTE ficou em casa para não participar na festividade de índole banqueira/especulativa que são são as eleições para "p.r".  Não ponho lá os pés e o tal sr. residente de Belém teve o voto de menos de 1/3 do eleitorado. grande coisa...Image
Sem imagem de perfil

De António a 10.08.2009 às 16:25

O seu argumento é mais que válido, mas tal não impossibilita o Povo de ir votar se assim um entender. Já num regime monárquico o Povo tem que obedecer a alguém pelo simples facto de ele descender de alguém que já detinha o poder por sua vez descender de outro alguém. Afinal o que tem um rei de especial para usufruir do direito de governar um Povo? E por favor não me venham com aquele velho argumento monárquico que um rei nasce e é criado no sentido de vir a ser um governante exemplar...
Sem imagem de perfil

De karocha a 10.08.2009 às 18:57

Caro António
Caso não tenha reparado, num regime Monárquico o povo,não obedece ao Rei ou Rainha.
Assim como numa República o Presidente é o garante máximo e, o povo também não lhe obedece.
Voltando às Monarquias,o povo vota para o governo, caso não tenha reparado o Zapatero é do PS o PP perdeu as eleições,No Reino Unido o Brown é o primeiro Ministro e o povo vai às urnas inclusive para eleger o Presidente da Câmara, and so on , and so on....
Os meus melhores cumprimentos
Manuela Diaz-Bérrio
Sem imagem de perfil

De João Afonso Machado a 14.08.2009 às 22:18

QUANDO O POVO NÃO QUISER A MONARQUIA, O REI NÃO ESPERA PELO FIM DO MANDATO NEM SE RECANDIDATA.
VAI-SE DIGNAMENTE EMBORA.
E CONTINUA A AUXILIAR O SEU POVO, COMO D. MANUEL II NA 1ª GUERRA MUNDIAL, JÁ NO EXÍLIO.
Sem imagem de perfil

De EMS a 10.08.2009 às 16:29

"5. O Príncipe-Regente que ao levar a capital para o Rio, evitou a perda da independência nacional"

Eu por não gostar de eufemismos muito compridos simplesmente diria: "O Príncipe-Regente pôs-se na alheta"
Sem imagem de perfil

De João Amorim a 10.08.2009 às 16:53

A transferência da sede do governo Português para o Brasil foi planeada em reuniões do Conselho de Estado com bastante antecedência, caro EMS.... informe-se antes de vir para este blogge mandar patacoadas
Sem imagem de perfil

De 'tas é parvo a 12.08.2009 às 11:37

Para alem de que durante a Segunda Guerra Mundial também o governo de Salazar tinha um plano de contigencia em caso de invasao...que também era fugir para os Açores...afinal qual é a diferença?!

Comentar post