Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Dos avisos

por Rui Crull Tabosa, em 01.11.09

Ernani Lopes é uma das mais respeitáveis e lúcidas vozes que se podem ouvir em Portugal.

Aos políticos e empresários tem recomendado, de acordo com as respectivas esferas de responsabilidades, a redução do endividamento público, a "criação de uma política económica estrutural assente nos domínios dotados de potencial estratégico", mas também o incremento das exportações nacionais e, last but not least, a aposta num investimento público selectivo, neste último caso, exactamente o contrário do que aí parece vir.

Mas Ernani Lopes foi agora também duro. Particularmente duro.

Avisou que "Portugal está a definhar", lembrando "o doente que não morre mas também não melhora". Constata que "Vale tudo para enriquecer de qualquer maneira e depressa, sem critério, e isto dito de uma maneira elegante, é uma percepção materialista ordinária da sociedade portuguesa", para sentenciar, pleno de actualidade: "É a golpadazeca do ordinareco que faz umas jogadas, umas burlas, umas corrupções, umas porcarias, umas porcarias, condenando o país" (sic).

Alguém o ouvirá?

Em tempo: agradeço ao primeiro comentador, que não se quis identificar, o link da peça da SIC referente a este Post.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Amêijoa Fresca a 01.11.2009 às 18:50

Com Portugal a definhar
de forma ameaçadora,
não é preciso adivinhar
qual a marca reveladora.

A política sucateira
da nossa democracia,
traduz a embusteira
desta suja plutocracia.

O tráfico de influências
entre gente engravatada,
é marcado por saliências
de mofatra ocultada.

Os problemas endémicos
parasitam a sociedade,
como vírus pandémicos
toldados de voracidade.

Vence o golpe ordinário
arrecadando uns milhões,
como um chupista unário
parasitando os mexilhões.

Comentar post