Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Um abraço para os nossos militares no Afeganistão

por Luís Filipe Coimbra, em 26.12.09

No momento que em Portugal se debate a "liberdade e direitos dos géneros", conviria recordar, nesta quadra festiva, os nossos soldados que lá longe também dão uma ajuda para que o Afeganistão não volte a ser um País governado por uma ultra minoria de fanáticos, inimigos dos Direitos Humanos e até da sua própria história e cultura milenares.

Em Portugal defende-se o direito ao casamento entre mulheres; no Afeganistão, os militares portuguese defendem o direito "mínimo" de, ao menos, as mulheres afegãs poderem aprender a ler e a escrever numa escola, com ou sem burka.

Por isso, eu que sou pela paz, apoio a guerra contra os taliban. Custe-nos o que custar.

Bem hajam camaradas portugueses! Há pessoal por aqui que vos respeita e admira!

 

 


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Pedro Morgado a 27.12.2009 às 18:03

Se hoje se defende o casamento de mulheres em Portugal é porque já alguém lutou para que elas tivessem o direito a aprender a ler e a escrever, a trabalhar, a votar e a não levarem porrada em nome da manutenção da família católica.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.12.2009 às 22:03

Vitórias recentes, certo? Nem Direito podiam frequentar sabia?
E a história do chefe de família?

Todavia, confesso que a tradição de valores, que se encontra enraizada em muitos e muitos de nós, continua a impedir que se vejam as coisas com um discernimento (objectivo). Mas deixai-as, que ninguém tem nada que ver com o que fazem, cada um é livre de fazer o que quiser desde que não choque com a liberdade dos outros.


 

Comentar post


Pág. 2/2