Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Confesso que fiquei chocado com a entrevista de José Galamba, advogado dos terrorista da ETA ao jornal i 

 

Além da total vacuidade e banalidade do conteúdo e após tripla insistência do entrevistador, José Galamba dá-nos uma resposta que secundariza e desdramatiza o drama o sofrimento e a violência exercida sobre as vitimas da ETA. E mais, por vezes essa violência tem justificação.

 

Simpatiza com as vítimas da ETA ou não?

Claro, é evidente. Em princípio. Não quer dizer que não possa conceber que haja, às vezes, casos em que possa ser necessária a violência, violência legítima. Resistência à invasão espanhola.

 

Vale a pena recordar ao Sr. José Galamba que até hoje, a ETA assassinou mais de 6000 vitimas inocentes. 6000 pessoas que ficaram sem pai, sem marido, sem irmão, sem filhos.

 

Vitimas inocentes, gratuitas cujo único pecado foi estarem no local errado na hora errada ou terem desempenhado com profissionalismo e sentido de dever a função para a qual foram nomeados, 

 

Lamentável e desprezível esta posição. Fraco homem este.

 

 


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.01.2010 às 21:19

Então, penalista de serviço, diz-nos qual é a lei, mas não dês pontapés na gramática, pá.
Imagem de perfil

De Réspublica a 20.01.2010 às 21:40

Olha a educadinha já não assina...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.01.2010 às 13:46

Jorge Andrade
Imagem de perfil

De Réspublica a 21.01.2010 às 14:12

Qual Jorge Andrade o jogador de futebol ou o actor?
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 21.01.2010 às 16:23

O da espinha bífida...

Educadinha
Imagem de perfil

De Réspublica a 21.01.2010 às 17:32

Oh deseducadinha, ainda não percebeste que não sou o Jorge Andrade... a tua guerra com ele não é a minha!!!
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 22.01.2010 às 12:22

Ná me digaaaaaaaaaaaaas.Então o gajo dos perdigueiros é o Ega?!!!!O que fala dos IP´s.Ai....Vou descobrir, ai vou vou. Mas os emails foram simpaticos....E vendo bem as coisas, não havia erros...és capaz de ter razão resputica.
Já que me tratas por «tu», olha,também te trato, mas ex
excepcionalmente ...sem confianças ... eu de vez em quando também desço escadas...E não me dou com bipolares...hoje dizem uma coisa e logo a seguir outra.



Educadinha
Imagem de perfil

De Réspublica a 22.01.2010 às 18:54

Para acabar definitivamente com a conversa! Não sou o tal Jorge, não o é o Ega , não sei quem é, nem com quem V. Ex.ª troca e-mails! Quanto a descer escadas tenha cuidado não caia, e por exemplo atendendo ao meu cargo normalmente não me dou com gente ordinária e sem nível, que tem por tendência por em causa a filiação dos outros, por isso passar bem e espero claramente que não me volte a dirigir a palavra.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.01.2010 às 14:39

Você tem espinha dorsal, de certeza? É que até aqui temos a ideia que você funciona como um pêndulo. Cai..cai..na gramática, nas baboseiras que escreve, diz-se jurista...mas qual a universidade que lhe passou o canudo...com tanto erro e bostada que escreve?!
 
Ordinário e sem nível é você e quem teve a infeliz sorte de o parir. Ora diz uma coisa, ora diz outra.  Quanto aos emails...descanse, que pode crer que vou descobrir a origem, e que o tal jorge andrade, o dos perdigueiros vai aparecer...e que vou ter o especial prazer de esfregar no trombil tudo aquilo que um frustrado ou frustrados ( incluindo você) se atreveu a escrever com ordinarices sob o meu nick.
 
Faça um favor aos juristas deste país, sobretudo aos advogados. Não diga que é advogado. Os seus erros de expressão e de raciocínio são francamente vergonhoso s. Envergonha a classe.Fique caladinho. Aprenda o significado de impropério e alguma coisa de etiqueta. Posso apresentar-lhe alguém do meio, para o ensinar a ser um gentleman.
Já agora...fale-me do seu cargo...que eu falo-lhe do meu...aconselho-o a munir-se de fraldas...e a fazer-se acompanhar de coca - cola, por causa da soltura.
Estamos entendidos? Carácter não se compra. Nasce-se com ele! Consistência também não se compra.
Estamos realmente entendidos?
 
Educadinha

Comentar post