Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Se o país não endoideceu, anda lá perto...

por Francisco Proença de Carvalho, em 04.02.10

Não sei se muitos já se aperceberam disso, mas estamos a criar um país perigoso.
É perigoso:
- Um país em que se banalizam as escutas telefónicas como meio de prova e, pior, mesmo que inválidas, publicam-nas impunemente na internet e meios de comunicação social;
- Um país em que qualquer pessoa já pensa duas vezes antes de falar ao telefone;
- Um país em que se faz política com base em escutas telefónicas judiciais declaradas nulas;
- Um país em que um Juiz de um Tribunal de 1.ª Instância, impunemente, não cumpre despachos do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça;
- Um país em que a maior parte dos casos mediáticos e importantes vão parar às mãos de um único Juiz de Instrução (como acontece no DCIAP);
- Um país em que um jornalista (à noite) e opinion maker (de manhã) pretende noticiar e opinar com base em alegadas escutas de um amigo de supostas conversas de café de terceiros;
- Um país em que um grupo de deputados do partido do governo propõe a publicação na internet dos rendimentos dos cidadãos como forma de combate à fraude e corrupção.
Isto não é o país das maravilhas… Temos muitos problemas. Mas talvez seja melhor ter alguns corruptos, do que viver num país de bufos, invejosos e vouyeurs. Espanta-me ver tanta gente a apoiar determinadas causas e a achar que os fins justificam todos e quaisquer meios. Repito: isso é perigoso, muito mesmo…


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De FMF a 04.02.2010 às 15:47

Pois é Jorge Silva. Essa préclaridade toda é muito assertiva até ao dia em que os meios se estiverem nas tintas para os seus direitos e se vir na circunstância de ter que provar o contrário do que dizem de si.
Sem imagem de perfil

De Jorge Silva a 05.02.2010 às 23:18

Teorias meu caro..teorias! Teorias da treta que em nada preocupam a quem é honesto! Como resultado temos o quê? Temos o constante e permanente BRANQUEAMENTO da criminalidade. E digo-lhe mais...das coisas que já me chateiam é observar essa realidade e depois ter ainda e aturar o "parlapié" dos juristas...Farto, meu caro...FARTO! Farto desta treta toda!

Comentar post