Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Se o país não endoideceu, anda lá perto...

por Francisco Proença de Carvalho, em 04.02.10

Não sei se muitos já se aperceberam disso, mas estamos a criar um país perigoso.
É perigoso:
- Um país em que se banalizam as escutas telefónicas como meio de prova e, pior, mesmo que inválidas, publicam-nas impunemente na internet e meios de comunicação social;
- Um país em que qualquer pessoa já pensa duas vezes antes de falar ao telefone;
- Um país em que se faz política com base em escutas telefónicas judiciais declaradas nulas;
- Um país em que um Juiz de um Tribunal de 1.ª Instância, impunemente, não cumpre despachos do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça;
- Um país em que a maior parte dos casos mediáticos e importantes vão parar às mãos de um único Juiz de Instrução (como acontece no DCIAP);
- Um país em que um jornalista (à noite) e opinion maker (de manhã) pretende noticiar e opinar com base em alegadas escutas de um amigo de supostas conversas de café de terceiros;
- Um país em que um grupo de deputados do partido do governo propõe a publicação na internet dos rendimentos dos cidadãos como forma de combate à fraude e corrupção.
Isto não é o país das maravilhas… Temos muitos problemas. Mas talvez seja melhor ter alguns corruptos, do que viver num país de bufos, invejosos e vouyeurs. Espanta-me ver tanta gente a apoiar determinadas causas e a achar que os fins justificam todos e quaisquer meios. Repito: isso é perigoso, muito mesmo…


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De vigilante a 05.02.2010 às 01:51

Pois é,isto das escutas é muito bonito mas é se for cantado,caso contrário é uma boa armadilha.Para os juizes é preso por ter cão e preso por não ter.Se fala em "caramelos" e a acusação for trafico de droga os juizes pensam sempre o mesmo:ou se confessa que os caramelos são droga e eles ficam com a certeza da acusação, se insiste que os caramelos são mesmo guloseimas eles acreditam que os caramelos são mesmo droga e que quem falava ao telemóvel sabia que estava ou podia vir a estar a ser escutado e como tal os estava a despistar.Isto é verdade e passou-se comigo. A determinada altura nas escutas ouvia-se eu a dizer a um amigo às 4 da manha para ir ter a minha casa,pois estava a dormir na minha mae .O</a> agente encarregue do processo descrevia as escutas como de facto tudo tivesse acontecido e sido presenciado pelo mesmo,o que era uma grande mentira pois à data dos telefonemas eu não era alvo de nenhuma investigação e como tal ninguem seguiu os meus passos.A verdade é que o agente com base nas escutas afirmava a pés juntos que eu tive um encontro em minha casa com o meu amigo,o que era uma grande mentira, pois que minha mae vendo-me vestir para sair alertou-ma para o facto de já não serem horas para sair de casa e como tal não fui a lado nenhum. A verdade é que o sr . agente que na altura dos factos estava com os ditos cujos no quentinho com a mulher em casa jurava que eu tinha saido nessa noite.
Factos como este foram muitos e é revoltante ouvirmos a nossa voz, quando pensamos que ninguem nos ouve e ao preço a que pagamos as chamadas,em pleno tribunal,ouvidas e interpretadas à letra, sem terem em conta os sentimentos de brincadeira e outros,bem como o tom e o timbre que port vezes damos às conversas que não têm nada a ver com a leitura fria e à letra que os magistrados dão às mesmas.Eu sei que um dia irei ser incomodado, quando estou revoltado com algo na nossa sociedade digo que era o primeiro a aderir a uma banda terrorista que pusesse estes gaijos na ordem.Digo da boca para fora porque quem me conhecesse sabe que abomino qualquer especie de terror que faça vitimas inocentes. Mas a verdade é que o digo ao telefone e um dia vou ser incomodado com uma acusação de terrorismo. Estou mesmo à espera.Considero as escutas úteis como meio de obtenção de prova,mas infelizmente estão a usa-las como prova o que é muito grave para as pessoas atingidas:A diferença entre eu dizer que mato fulano ou mata-lo é abissal,é a diferença entre estar vivo ou estar morto.Palavras para quê?

Comentar post