Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Hoje lia no Jornal i que há 80 mil pessoas a recibos verdes e que metade são licenciadas. Lembrei-me do livro de David Willetts que descreve bem como a geração dos Baby Boomers (nascidos entre 45 e 65) roubaram o futuro aos seus próprios filhos. Os Baby Boomers viveram um período económico extraordinário, compraram casas baratas que venderam caras, invadiram o sistema politico, dominam o sistema económico e ainda por cima tiveram poucos filhos o que faz que não tenham grandes responsabilidades futuras quando comparados com as gerações anteriores. A geração seguinte, não consegue comprar casa, não tem emprego seguro e está totalmente fora de sistema de direitos adquiridos que tantos continuam a defender.  Hoje são esses Baby Boomers, que vivem com regalias que a geração seguinte nunca alcançará, que tem o desplante de pedir aos jovens que lutem por causas e privilégios que só eles ainda mantêm num mundo que é só deles. Vale a pena reflectir!

 

 


comentários

Sem imagem de perfil

De Alexandre Kulcinskaia a 27.05.2010 às 17:22

Que grande verdade aqui foi dita Carlos.
E também nós temos os nossos Baby Bommers que hipotecaram o país no pós 25 de Abril e aquando da entrada de Portugal na Europa.
A situação que hoje se vive não foi de uma mudança mundial repentina, como disse o Primeiro Ministro.
Esta situação é o culminar de vários anos de caminhos mal escolhidos e medidas mal tomadas.
______________________________
http://kulcinskaia.blogs.sapo.pt/
Sem imagem de perfil

De Nuno Gonçalo Poças a 27.05.2010 às 18:44

Toda a razão. E o que pode fazer a geração seguinte?
Sem imagem de perfil

De terrivel a 27.05.2010 às 22:09

Temos a obrigação moral e ética de procurar descredibilizar ao máximo todo o sistema. Não sermos institucionalistas, dizer mal dos partidos, dos políticos, não votar, ser mal educado nas repartições públicas, insultar o pessoal político que conheçamos, chamar filhos da puta a gajos reformados desde os 50 anos e coisas assim e - o mais importante - fugirmos aos impostos sempre que pudermos.

Comentar post