Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Ainda sobre os pacifistas de naifa na mão

por Nuno Gouveia, em 31.05.10

Reparem nas declarações da "activista" que aparece neste vídeo, onde podemos perceber o espírito com que estes "amantes da paz" entraram nesta missão: "Right now we face one of two happy endings - either Martyrdom or reaching Gaza". Alguns deles conseguiram um dos tais "happy endings" que esta senhora proclamava. Mas eram apenas "pacifistas"...

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Imagem de perfil

De Réspublica a 31.05.2010 às 20:22

Israel, Israel, Israel...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2010 às 20:46

Eu era incapaz de ser pacifista se, em águas internacionais, fosse abordado por uma força de exército. Isto já não questionando sequer a legitimidade de o estado de Israel existir ou a expansão a que temos - nós, Europa - assistido e, inclusive, apoiado.
Imagem de perfil

De toufartodebananas a 31.05.2010 às 21:12

É realmente necessário ter cuidado com as palavras da pacifista, ela pode matar algum Israelita com aquela conversa...e já agora os outros aiatolas a cantar vê-se logo que aquilo é um cântico de guerra para desencadear cataclismos capazes de engolir Israel....é preciso cuidado, pois lá dizia o filósofo que "mais fere a má palavra que a espada afiada"....vê-se logo que os ditos activistas estão a tentar ferir Israel com o fio da...conversa.
Sem imagem de perfil

De Pilatos a 31.05.2010 às 21:37

Se os judeus se meterem em mais uma guerra e aquilo começar a correr mal, espero bem que  não começem a gritar que o ocidente tem que ajudar os sionistas, Israel é um problema mas é um problema dos judeus e dos arabes pelo que só aos judeus e arabes diz respeito.
Sem imagem de perfil

De Pilatos a 31.05.2010 às 21:43

Todos os judeus deviam viver em Israel, mas mesmo todos, para que não ficasse nenhum em qualquer outra parte do mundo, excepto em Israel, talvez o mundo fosse mais pacifico devido à inexistência de lobby's judaicos que conseguem que um crime infame passe impune e ainda por cima seja saudado e aplaudido.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 31.05.2010 às 22:57

E se metesses dois dedos no cu e te rasgasses a meio?
Sem imagem de perfil

De David a 31.05.2010 às 21:46

Para não serem "contaminados" por opiniões de que não gostam, talvez não fosse má ideia ler o jornal israelita "Haaretz", por exemplo, e ver o que eles pensam deste crime de pirataria em águas internacionais.
Sem imagem de perfil

De kapitão kaus a 31.05.2010 às 22:01

Quando se aceita acriticamente a propaganda, não há argumentos válidos.
Aconselho a leitura de jornais de Israel acerca deste acto bárbaro, cometido em águas internacionais, por uma força militar que é suposto ter um comando e gente minimamente inteligente a dirigi-la.
http://www.haaretz.com/
Quais serão os custos? Só Deus sabe.
Sem imagem de perfil

De Euroliberal a 01.06.2010 às 00:44

Os barcos NÃO levavam armas. Ponto. Mas mesmo que levassem isso seria COMPLETAMENTE LEGAL, porque é justo uma tripulação mesmo civil defender-se de terroristas no alto mar.

E também o seria se fossem destinadas a Gaza, porque segundo o direito internacional a luta armada contra o ocupante é o único caso de guerra legítima (jurisprudência Nuremberga, não reconhecida pela cãozoada neoconeira). Logo levar armas para as resistência seria legal. Os aliados não fizeram outra coisa durante a II Guerra. Armas para De Gaulle, armas para os russos, para Tito, etc.

O que é crime de guerra e contra a humanidade são o apartheid, as limpezas étnicas, os massacres da maioria não judaica, o campo de concentração de Gaza (o maior da história), a pirataria, a agressão de todos os vizinhos que os criminosos sionistas cometeram desde a Nakba e que estes bandalhos neoconeiros como o agente da Mossad JMF vêm aqui justificar e banalizar.

Atenção, porque a simples defesa pública de crimes contra a humanidade como os citados pode ser severamente punida. Ver o que aconteceu a Brasillach em 1944…


Sem imagem de perfil

De Euroliberal a 01.06.2010 às 00:45

Parece que não há juristas por aqui: se a agressão israelita é ilegal (não há dúvidas), a reacção violenta e heróica dos tripulantes ilegalmente abordados é legal E nenhum era pacifista ou hippie: defendem o direito da resistência a golpear os ocupantes até à completa vitória final. São activistas prontos a morrer pela causa e provaram-no.

Só decadentes ocidentais amolecidos pela passa e pelo flower power podiam presumir que os activistas iam receber os terroristas com flores e gritinhos de “Make love not war”… Os mártires do Mármara mostraram como HOMENS se devem comportar perante porcos nazis e, francamente, são deploráveis certos comentários pretensamente “bem-pensantes” que por aqui se ouvem. Gritem “Morte aos nazi-sionistas” ou calem-se.

Os mártires serão vingados com o sangue de muitos porcos nazi-sionistas….
Sem imagem de perfil

De Golem a 01.06.2010 às 15:11

Euroliberal=Islamofascista
Depois de ler essa pilha de estrume que são os comentários deste personagem, sem dúvida uma espécie de bloquista com menos tento na língua que o omnipresente DO, quase que consigo imaginar a baba a escorrer-lhe pelo queixo enquanto escreve estas bestialidades. Se em vez de andar aqui pela Europa a gastar o nosso precioso oxigénio fosse mas é dar uma ajudinha no Darfur, por exemplo, aí é que se veria a sua coerência. Ou então dar o salto para Gaza para ajudar os irmãos do Hamas...
Imagem de perfil

De toufartodebananas a 01.06.2010 às 06:12

A nossa sociedade tem destas vantagens; a possibilidade de poder ler um comentário como o anterior...coisa que seguramente não acontece em Gaza ou em qualquer país do mundo Árabe. No entanto era bom que quem tem opiniões destas soubesse, ou não esquecesse que os rapazinhos do hamas "limparam" os irmãos da fatah em Gaza, depois de terem tomado conta daquilo. 

Comentar post