Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O estado sexual da Educação

por Paulo Pinto Mascarenhas, em 09.06.10

 

Questões como as da masturbação, da homossexualidade ou do aborto são respondidas através de exemplos práticos e desenhos figurativos. Recortar figuras de órgãos sexuais e identificar as diferentes idades a que correspondem ou um puzzle em que se agrupam figuras humanas nuas, são outros tantos exercícios propostos.

 

A Educação Sexual é agora obrigatória - e as "aulas" vão ser dadas na sua esmagadora maioria com o material "didáctico" da Associação para o Planeamento da Família, o mesmo que tanta polémica provocou em 2005. Só que de extracurricular, passou a ser dada "transversalmente" nas disciplinas curriculares e/ou extracurriculares. O desenho em cima é desse tempo, ainda que muitos semelhantes se possam encontrar nos manuais da APF. As escolas públicas não ensinam os nossos filhos a ler correctamente, mas querem ensiná-los a "acariciar-se".

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De p D s a 09.06.2010 às 12:24

Há largos anos que varios manuais utilizados pelo Ensino Publico, patenteiam alegremente muitos erros. Quer ao nivel do conteudo, quer ao nivel da metodologia aconselhada pouco ou nada conteem de verdadeiramente Pedagógico.

Este é o estado do Ensino.

Gostava muito de ver, na Sociedade em geral, um "levantamento" e uma já mais que previsivel "opinação geral" sobre os Manuais de Portugues, Matematica, Estudo do Meio...com o mesmo fervor e profundidade que se aplica aos Manuais de "Educação Sexual".

Este é de facto um dos maiores problemas da Educação em Portugal. No dia a dia ninguem liga. Quando toca a Violencia e Sexo, toda a gente opina barafusta e emite bojardas.

Mesmo que tudo esteja mal no capitulo da "Educação Sexual" que tal começarmos pelos fundamentos, pelas bases ???

Eu tenho para mim que: se os fundamentos e as bases foram estaveis, coerentes, com conteudos eficazes, e verdadeiramente pedagógicas facilmente se abordaram todos e quaiquer assuntos. Facilmente se irá entender e diferenciar o que é realmente util, e o que é realmente absurdo, na "Educação Sexual".

Até lá, por melhor que seja o "Manual do Sexo", este nunca será entendido.  
Sem imagem de perfil

De Miguel Madeira a 09.06.2010 às 14:57

Pelo que sei, toda essa conversa dos tais exercicios, dos desenhos como o de acima, etc., não apareciam nos manuais do APF; apareciam era nos livros que apareciam na bibliografia dos manuais.
Imagem de perfil

De Paulo Pinto Mascarenhas a 09.06.2010 às 16:44

Aparecem agora os desenhos e os materiais didácticos. Posso mostrar as imagens se quiser, mas basta comprar o i.
Sem imagem de perfil

De Sancho Pensa a 09.06.2010 às 22:34

Neste crescendo pedagógico, parece que os pedófilos querem sacudir a água do capote!... ai vai, vai haver surpresas!...o país vai virar casa pia!
Sem imagem de perfil

De Ricardo a 10.06.2010 às 11:25

Acha que a Escola Pública deve ficar indiferente e muda perante crianças para quem a masturbação é um pecado que causa cegueira ou crescimento capilar nas mãos?  


É aceitável que a escola permita a difusão da ignorância em prol de um alegado direito dos pais a transformarem os seus filhos em ignorantes por acção directa ou por falta de acção?


Acho que ninguém defende que deve ser esse o papel da escola no que diz respeito à Matemática ou ao Português.  Porque é que há-de ser esse o papel da escola em relação a qualquer outro tema?  Por razões religiosas? 


Desde quando é que a religião manda na escola pública?
Sem imagem de perfil

De clara a 10.06.2010 às 19:23

Ricardo,
Porque considera que os pais são mais ignorantes que os professores em matéria de ed. sexual? Quem falou aqui em religião???? Eu, mãe de dois filhos abrangidos pela idade em causa para a educação sexual obrigatória, RECUSO que esta seja dada aos meus filhos por estranhos. Tive de autorizar e inscrever a minha filha em aulas de Moral, mas para a Sexual não tenho opção. Acha normal???
Qualquer especialista em pedagogia diz que a educação sexual deve ser dada em casa pelos pais que devem mostrar abertura para responder a todas as perguntas sobre esse tema, mas não abordar directamente o tema sem que haja interesse manifestado pela criança. Sabe porquê? Porque algumas crianças têm mais maturidade para os assuntos do que outras da mesma idade. E para essas últimas, falar sobre essas coisas pode ser o equivalente a mostrar um filme pornográfico. Pura e simplesmente não têm preparação/maturidade para o ver. Se a escola tem de pecar, neste caso específico, que seja por defeito, nunca por excesso.
Sem imagem de perfil

De David Silva a 11.06.2010 às 09:10

"Religião e Moral" é de orientação Católica - está no nome.
A Educação Sexual, se for bem orientada (não sei nada desses desenhos e já tive de abordar o tema) tenta explicar de forma simples alguns temas que o miúdos colocam.
Eu pelo menos não ando a usar desenhos - penso que em Ciências eles têm as "bases" suficientes nesse aspecto (dou aulas ao 6º ano). Conversa-se. Se me sinto mais qualificado que os pais? Não. Não houve a formação prometida pelo Governo aquando do despacho que obrigava a Ed. Sexual a ser leccionada este ano. O que tento fazer é usar o bom senso, porque além das dúvidas e imaturidade dos alunos, há que ter cuidado com o que eles vão dizer em casa!
Quanto à leitura e à matemática, a escola não ensina àqueles que não querem - e são cada vez mais! - da mesma forma que a Ed. Sexual vai ser interessante para alguns e para outros é apenas mais um motivo de risota. Pelo menos até saberem que vão ser pais aos 15 ou 16 (na melhor das hipóteses)!

Já agora, algumas questões levantadas pelos alunos no "espaço" da Ed. Sexual:
- porque crescem as borbulhas?
- o que é a idade do armário?
- como lidar com o irmão mais novo/velho?
- como é fazer a barba?
também há as mais difíceis:
- o que é a ejaculação precoce?
- como é possível 2 mulheres terem sexo? (confusão entre sexo e penetração)

Numa altura em que o Governo criou uma espécie de "confessionário" para crianças em situações... difíceis, estes momentos nas aulas (que são anónimos - os alunos, comigo, escreveram as suas perguntas em papelinhos e eu não sei quem as colocou - a não ser que se denunciem) poderão ajudar a despistar problemas.
Sem imagem de perfil

De Gândavo a 11.06.2010 às 13:15

O problema está precisamente quando as coisas ficam a cargo do "bom senso" de cada professor.
Sem imagem de perfil

De clara a 11.06.2010 às 14:42

pois. mas as aulas de educação sexual vão começar a ser a partir dos 6 anos...
Sem imagem de perfil

De Antiprogresso! a 10.06.2010 às 20:43

Desde quando o teu ateísmo manda nos meus filhos?

Comentar post