Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O LSD deve correr abundante no Terreiro do Paço

por Ana Margarida Craveiro, em 20.10.10

É que só pode: O Orçamento do Estado define  que a entrada em vigor do novo Código Contributivo, em Janeiro, faça subir a taxa paga pelos trabalhadores independentes dos actuais 24,6% para 29,6%.

 

Pessoas, no mundo real, aquele em que as pessoas nascem e morrem, os recibos verdes não são prestação de serviços. São ordenados, pagos 12 vezes por ano, e normalmente bastante baixinhos. Tendem a ser a única forma de rendimento dos jovens, e também de alguns menos jovens (a chamada precariedade já vai até aos 40 anos). Significam a única possibilidade de trabalho para muita gente, sem qualquer segurança (não implicam contratos), sem subsídios de espécie alguma. Se se fica doente, não se é pago; se se é pai ou mãe, não há subsídio; paga-se por inteiro a segurança social (160 euros, mais cêntimo, menos cêntimo). Obrigar esta gente a pagar ainda mais impostos é daquelas medidas que despertam o Thoreau que há em mim: If the machine of government is of such a nature that it requires you to be the agent of injustice to another, then, I say, break the law.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 20.10.2010 às 22:13

..."Por mim, na sexta-feira de manhã, ainda consegui aguentar um quarto de hora a escutar na rádio o primeiro-ministro no Parlamento, a meter os pés pelas mãos e as mãos pelos pés, a não responder com clareza às questões que lhe eram colocadas, a retomar a técnica da evasiva trapalhona para se furtar às suas próprias contradições, a ter a insolência de meia-tijela de fingir que se esquecia do seu próprio trajecto político, feito de afirmações inconsequentes, de promessas não cumpridas e de garantias caídas num saco roto. E passados esses 15 minutos em que tive vergonha, como português, de ouvir o que estava a ouvir, achei a prestação tão enjoativa, tão pantomineira, tão sem categoria e tão indigna de um país membro da União Europeia, que mudei para a Rádio Amália porque esta, em matéria de fado e triste sina, sempre transmite coisas bem mais autênticas e decentes."

"Triste Sina" in http://dn.sapo.pt/inicio/opiniao/interior.aspx?content_id=1690312&seccao=Vasco%20Gra%E7a%20Moura&tag=Opini%E3o%20-%20Em%20Foco
Vasco Graça Moura

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






subscrever feeds