Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




manifesto anti DECO

por Vítor Cunha, em 18.11.10

De todas as empresas portuguesas, há uma que me causa uma enorme desconfiança: chama-se DECO (formalmente é uma associação, como se lê nos estatutos).

 

A DECO é uma espécie de guia iluminado do consumidor: diz-nos a toda a hora o que devemos fazer, mesmo que ninguém lhe pergunte.

 

A DECO tem opinião sobre tudo, menos sobre a DECO.

 

A DECO edita livros e revistas, lança cartões de crédito (!), associa-se a bancos para promover o crédito pessoal e à habitação, faz «parcerias», diz-nos como tratar o acne, aconselha-nos vinhos e faz testes a bicicletas, entre outras coisas.

 

A DECO promove pessoas e lança políticos.

 

A DECO é uma associação e as pessoas têm liberdade de se juntarem: mas não queiram juntar a Humanidade às vossas causas e coisas.

 

 

Posto isto:

 

nesta semana recebi um e-mail (spam, claro) que não pedi com mais uma iniciativa da DECO e com o sugestivo assunto: "Aparelhagem Mini Hi-Fi gratuita a vossa espera".

Querem vender-me uma assinatura da revista. Tentei perceber o preço e o caminho foi infernal (são as chamadas boas práticas de defesa do consumidor); se contratar oferecem-me um toca música ("aparelhagem mini hi-fi compact sound system") e um muito útil medidor de distâncias digital.

 

Haverá quem nos defenda desta «Defesa do Consumidor»?

 

 

 

 


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Imagem de perfil

De joca a 18.11.2010 às 17:17

Uma multi-nacional com fins lucrativos da pseudo-defesa do consumidor é apenas mais uma das ironias da nossa sociedade...

Comentar post