Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Matriosquita My Love

por Henrique Burnay, em 03.12.06
Eu já disse que não tenho particular simpatia pelo drama de Luísa Mesquita, mas não é isso que aqui está em causa. Para começar, é lá com eles – não sou eleitor do PC nem estou nas margens de o ser. Além disso, como expliquei, acho que por cá, regra geral, se vota em partidos e não em Deputados. Mas o despedimento de Luísa Mesquita não deixa de me lembrar o poema de António Gedeão, em tempos dito por Odete Santos num programa do Herman. Isto é, portanto, uma homenagem. Pronto, mais ou menos.


lavagem de mãos e outras medidas profiláticas

Sem imagem de perfil

De ASD a 04.12.2006 às 00:37

É o PC no seu melhor! É a poética do PC. É a primazia do partido sobre tudo o resto incluindo os eleitores, o povo. Agora Luísa desce a calçada ... e a escadaria de S. Bento, sem retorno... pelo menos pelo PCP. Junto-me à homenagem mais ou menos prestada pelo Henrique, felicito-o a ele e ao João Vacas pela produção, pela recriação poética, bem mais ou menos.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.





subscrever feeds