Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




não. O que é humilhante, para mim e demais benfiquistas que se prezam, é levar um baile do Porto na Supertaça jogada em Agosto de 2010, com um frango daquele que é simultaneamente o pior e o mais caro guarda-redes que jogou em Portugal e cujo preço, dizem alguns, esconde uma negociata que muito prejudicou o Benfica mas beneficiou a empresa de construção do presidente do clube; são as três derrotas consecutivas com que o Benfica entrou na Liga e que o nosso treinador contava conquistar de caras; é o apelo que os dirigentes do Benfica fizeram aos adeptos para não irem aos jogos fora do Benfica, prejudicando jogadores e adeptos, e enfurecendo os clubes adversários que, não por acaso, mantêm relações próximas ou de simpatia com o nosso principal rival; é ser eliminado da Liga dos Campeões -- a mesma que o nosso actual treinador sabe que irá vencer -- na penúltima jornada e envergando uma camisola que celebra os cinquenta anos da primeira que o Benfica venceu, levando três secos de uma equipa chamada Hapoel e sendo repescado nos últimos minutos do último jogo por obra e graça de terceiros; é ser brindado com uma goleada nas Antas (cinco a zero) sem estar perto, sequer, de marcar um golo, e ouvir o estádio repleto de portistas cantar "a todos um bom Natal"; é saber que o clube gastou cento e tal milhões de euros para montar uma equipa que, contra os fracos, jogou muitíssimo bem durante a época passada e, depois da inarrável preparação de época imediatamente seguinte, assistir ao seu lento desmornamento e a uma desvalorização gravíssima dos principais jogadores; é saber que a SAD do Benfica decidiu, depois de vender os seus principais activos abaixo das cláusulas de rescisão, em desespero de causa e sem qualquer sucesso visível, tentar impingir 50 milhões de euros em papel comercial a um país em bancarrota; é saber que a equipa do próximo ano será maioritariamente constituída por jogadores contratados a custo zero e que o passe do Salvio, pelo qual o presidente do Benfica irá vergonhosamente e sem sucesso pedinchar ao Atlético de Madrid, clube no qual ainda hoje joga um jogador cujo passe é inutilmente detido por nós a 25%, só não acabará nas mãos do Porto se Pinto da Costa o não quiser; é perder a esperança de revalidar a Liga portuguesa após perder um jogo com o Braga, com um frango de Roberto e a expulsão de um jogador (Javi) que bem podia ter sido expulso nos dois jogos anteriores; é entregar o título ao Porto e a um treinador de 33 anos num jogo em casa, com um golo do Hulk, nova fífia de Roberto e um penalti inexistente a favor do Benfica, e que tudo isto aconteceu no único momento esta época em que nós, benfiquistas, nos podíamos arrogar de ter a melhor equipa em Portugal; é ter como um dos momentos mais altos da época uma vitória sobre o Marítimo, em casa, com um golo marcado no último minuto dos descontos; é ver o Porto festejar o título na Luz e que os dirigentes do Benfica, não contentes com o culminar de uma época enxovalhante, decidem apagar a luz do estádio e ligar o sistema de rega, oferecendo aos adversários um forte motivo para ridicularizarem o Benfica até ao fim dos tempos; é assistir à falta de brio de quem manda no clube e que acha normal, depois de perdido o título, baixar os braços, empatar com um Portimonense e um Olhanense, jogar miseravelmente com um Beira Mar e acabar a 21 pontos do campeão; é ver o Porto eliminar-nos da Taça de Portugal espetando-nos três golos na Luz e dando a volta a uma eliminatória que poucas equipas no mundo conseguiriam inverter, e nisto constatar que, nos dias que correm, ninguém no Benfica mostra ter alma para sequer lutar por algo semelhante; é ver o Porto golear os adversários fortíssimos que lhe aparecem pela frente com três jogadores que deveriam estar no Benfica (Álvaro Pereira, Falcão e James Rodriguez) e outro que por lá andou e não nos quis mais (Cristian Rodriguez); é saber que o Porto vai finalmente passar o Benfica em títulos e liderar o ranking por dois (com Taça, Supertaça e Liga Europa); é saber que o Porto dificilmente não termina esta época com o dobro dos títulos europeus do Benfica e que os respectivos dirigentes, não satisfeitos com isso, apostam em manter os principais jogadores de uma equipa que tem mais do que qualidade para ser campeã europeia; é saber que o Braga está dez lugares (33) acima do Benfica (44) no ranking da UEFA e que o Porto é, neste momento, o terceiro melhor clube do mundo; é, por fim, depois de tudo isto, sim, perder, e bem, no estádio do Braga e com o Sporting Clube de Braga, a possibilidade de ser goleado na final da Liga Europa pelo Porto, e acabar a noite a ouvir Pinto da Costa lamentar, com ironia, a eliminação do Benfica, e afirmar, carregado de razão, que o nosso clube seria o adversário mais fácil para o Porto.

Nenhum adepto do Benfica deve o quer que seja aos dirigentes e treinadores que por lá andam e serão precisas décadas para esquecer a humilhação que esta época representa. O Benfica já não é grande.

Autoria e outros dados (tags, etc)


comentários

Sem imagem de perfil

De João Afonso Machado a 06.05.2011 às 12:15

A taça da Liga da Europa já não passa do Douro para baixo. Só não percebo é porque temos de ir buscá-la a Dublin. A final podia ser cá, por exemplo no estádio do Beira-Mar, que está às moscas, ou mesmo no do Algarve, com uma PPP para lhe limpar as teias de aranha. Ficava tudo mais à mão.
Sem imagem de perfil

De Tiradentes a 06.05.2011 às 12:28


Isto só foi possível porque seis milhões andam, faz anos, a culpar tudo e todos pelos seus próprios erros nomeadamente as arbitragens nunca sendo culpa nem de jogadores, nem de treinadores e dirigentes.
Sem imagem de perfil

De Duarte a 06.05.2011 às 13:10


Permito-me apenas salientar um aspecto: no texto afirma-se que o Porto tem o dobro de taças internacionais do benfica:

Ora façamos contas: 2 Taças dos Clubes Campeões Europeus é igual a 2.
Já, 1 Taça dos Clubes Campeões Europeus, 1 Champions League, 1 Taça Uefa, 1 Supertaça Europeia e 2 Taças Intercontinentais dá 6!!!

É o triplo caro amigo!!!!
Imagem de perfil

De Jacinto Bettencourt a 06.05.2011 às 15:17

Caro Duarte,
não contei a Supertaça Europeia e as 2 Taças Intercontinentais da mesma forma que não contei com a Taça Latina (a primeira Taça dos Campeões Europeus, e que foi vencida pelo Benfica). Se as contarmos todas, o Porto tem 6 taças internacionais e o Benfica 3. No entanto, como ninguém as conta nos rankings, pareceu-me pouco interessante inclui-las.  Em bom rigor, nem representam competições mas meros jogos.
Sem imagem de perfil

De Benfiquista a 06.05.2011 às 13:50

Concordo. O Benfica tem sido gerido por amadores do futebol e profissionais dos negócios - no FCP é o contrário.

No entanto, continuaremos a ser maiores, muito maiores, porque somos 6 milhões pelo menos e são sobretudo as pessoas que fazem a grandeza de uma associação, de um clube, não os títulos pontuais (veja-se que o Sporting continua a ser um grande, apesar de nos últimos 20 anos ter estado ainda pior do que o Benfica).

O ciclo FCP também vai passar.
Sem imagem de perfil

De Portista a 06.05.2011 às 15:29

Não meu caro Benfiquista. O que faz um clube grande, são as conquistas. Actuais ou passadas. São essas conquistas que captam associados e dessa forma há uma correlação entre nº de sócios e conquistas.

O Benfica continua grande, mas neste momento, nós é que somos os maiores... No futuro, bem... porque não o Braga?
Sem imagem de perfil

De Luciano Rodrigues a 06.05.2011 às 15:28

Lúcido.
Sem imagem de perfil

De Miguel Dias a 06.05.2011 às 15:48


Jacinto disse: "a Taça Latina (a primeira Taça dos Campeões Europeus".
Não misture as coisas, como o próprio nome diz "latina", portanto reservada aos povos "herdeiros" da latinidade: Espanha, Portugal e Itália. Mas onde estão os outros europeus? Os ingleses (os tais que inventaram o futebol)? Os alemães? Os magiares? Os eslavos? Os escandinavos?
A Taça Latina foi exclusivamente jogada pelos espanhóis, italianos e portugueses, portanto nunca pode ter sido uma antecessora da Taça dos Clubes Campeões Europeus, a não ser que se possua uma noção muito limitada da Europa.
Imagem de perfil

De Jacinto Bettencourt a 06.05.2011 às 15:59

Caro Miguel,
ainda sei umas coisas do que digo (que aliás é certo e sabido).
A Taça Latina antecedeu a Taça dos Campeões Europeus com clubes de França, Itália, Espanha e Portugal. Entre os grandes, faltavam apenas Alemanha e Inglaterra. Os campeões foram Milan (2), Barcelona (2), Real Madrid (2), Benfica (1) e Stade de Reims (1). Se for ver a história da Taça dos Campeões Europeus, irá reparar que todos estes clubes foram vencedores ou finalistas nas primeiras 6 Taças dos Campeões Europeus.
Mas se quiser, podemos desconsiderar a Taça dos Campeões Europeus ganha pelo FCP em 1987; afinal, os clubes ingleses não participaram nessa edição...

«The tournament began in 1949, and was played between the league champions of each of the participating countries. Every four years, a ranking would be determined for the countries based on their sides' performances in the Latin Cup. The competition was last played for in 1957 following the introduction of the European Cup. Real Madrid played and won in both the European Cup and the Latin Cup in 1957. Immediately prior to the introduction of the European Cup, the Latin Cup was considered the most important cup for clubs in Europe.»
É óbvio, manifesto e conhecido que esta prova é um bocadinho mais relevante que a Taça Intercontinental...

O Benfica pode não ser grande, mas já foi enorme. Não confunda a minha insatisfação; eu não quero que o Benfica seja o Porto mas o algo imensamente maior que já foi.
Sem imagem de perfil

De Miguel Dias a 06.05.2011 às 16:25


Jacinto disse: "podemos desconsiderar a Taça dos Campeões Europeus ganha pelo FCP em 1987; afinal, os clubes ingleses não participaram nessa edição..." Assim como não participaram na edição de 1988 e 1990, quando o SLB foi finalista... mas o cerne da questão é que os ingleses foram excluídos, nesse período, por culpa própria, ao contrário da fase inicial da Taça dos CE, e depois os Hungaros e os Russos eram enormes a nível futebolístico nos anos 50 e 60 - basta lembrar que foram finalistas e vencedores a nível de selecções -, mas como não participaram nas provas clubísticas europeias não tiveram oportunidade de ganhar essas provas.
Imagem de perfil

De Jacinto Bettencourt a 06.05.2011 às 16:28

Caro Miguel,
estava apenas a mostrar-lhe que o argumento é absurdo. A verdade é que a Taça Latina era a mais importante competição europeia e que, contrariamente a todas as demais que foram sendo criadas, a única que era jogada pelos campões de cada país. Se quiser pode continuar a insistir nesse aspecto. Até pode chamar a atenção para o facto de a Taça ter outro nome. Mas não pode apagar os factos nem a história.
PS. Curiosamente, o primeiro clube português a disputá-la foi o Porto.
Imagem de perfil

De Jacinto Bettencourt a 06.05.2011 às 17:02

Acrescento que os enormes russos e húngaros eram tão bons e tão fortes que nunca tiveram uma final da Taça dos Campeões Europeus e muito menos um clube vencedor. Noto, ainda, que Puskás competiu sempre nas competições pelo Real Madrid.
Imagem de perfil

De Jacinto Bettencourt a 06.05.2011 às 17:08

Peço-lhe que ignore o "sempre", pois é sabido que Puskás jogou por outros clubes. O que eu queria dizer é que não jogou apenas pela selecção Húngara.
Sem imagem de perfil

De Nuno Pereira a 06.05.2011 às 16:34

Concordo em tudo, menos da última frase, como alguns já corrigiram.
O Benfica É grande. O Benfica continuará a ser grande enquanto continuar a ter um palmarés a nível nacional e internacional que poucos conseguem têm (e terão). O Benfica continuará a ser grande enquanto tem largos milhares de sócios e milhões de adeptos.
E, mesmo a nível desportivo, o Benfica teve uma boa época: ficou em segundo no campeonato, com mais de 10 pontos de vantagem para o 3º (e conquistado com alguma antecipação), chegou às meias finais da Taça de Portugal, às meias da Liga Europa (que já não atingíamos há alguns anos), e venceu pela terceira vez consecutiva a Taça da Liga (mesmo que tal não signifique muito). Foi pior que na época passada, é verdade, fomos humilhados mais que uma vez pelo Porto, também é verdade, mas não foi uma época completamente perdida.
Não podemos é voltar a repetir esta época para os próximos anos.
Sem imagem de perfil

De Daniel a 07.05.2011 às 00:50

No palmarés do futebol está quase a ser ultrapassado pelo Porto. E nas modalidades em que o Porto participa não ganharemos nada...
Sem imagem de perfil

De Pedro a 07.05.2011 às 14:52

E depois? se for ultrapassado pelo Porto? Alguém disse que o Porto, enquanto teve menos títulos no futebol que o Benfica, não era "grande"? esse argumento do número de títulos só interessa para vender jornais. os próprios adeptos que por aqui andavam o ano passado todos contentes quando o Benfica ganhava e deslumbrava, ou até este ano, quando conseguia 19 vitórias consecutivas, muitas delas a praticar um futebol de sonho, são os mesmos que agora anunciam a desgraça? preferem um regresso à década de 90? desde quando é que esta é uma época para esquecer? quem, lá para meio da década de 90, pensava que o Benfica, este ano, ia estar nas meias finais de uma competição europeia? quem? vocês, como o resto deste povo, só se sabem queixar. querem mudança? façam-na. montem uma lista e concorram às eleições. mas por favor, deixem de se queixar e lamentar como se isto fosse a pior coisa do mundo.... humilhados seriam se de repente não tivessem que comer ou casa onde viver. isso sim, humilhava. agora o Benfica perder uns quantos jogos para o porto? o que é que isso interessa, no fim do dia? no próximo campeonato começamos em igualdade pontual e tudo começa de novo.
Sem imagem de perfil

De Miguel Dias a 06.05.2011 às 16:48

Caro Jacinto,

não era minha intenção desvalorizar/desconsiderar a Taça Latina nem o mérito do Benfica em a ter ganho, nem eu pretendia desvalorizar o enorme peso do seu clube no futebol de então. Apenas pretendia argumentar que considerar os "latinos",e portanto os clubes a participar na Taça Latina, eram a Europa é um equivoco, porque os "latinos" não são/eram os únicos europeus, portanto considerar a Taça Latina como um troféu futebolístico representativo de toda a Europa, à semelhança do que passou a ser a TCE a partir de 1965, é um erro.
PS: penso que os franceses não participaram em todas as edições da Taça Latina, apenas nas 2 últimas edições, e foram os mesmo "gauleses" que posteriormente criaram a TCE, mas o chauvinismo francês não desejava a particpação dos britânicos em tais provas.
PS2: Mesmo que o meu clube, o FCP, tivesse ganho uma Taça Latina eu não a colocaria no mesmo plano que uma vitória na Taça dos Campeões Europeus, porque esta mais abrangente a nível das diversas nacionalidades europeias.
Cumprimentos.
Imagem de perfil

De Jacinto Bettencourt a 06.05.2011 às 16:56

Caro Miguel,
compreendido. Compreenda também que os adeptos do Porto não podem querer contabilizar supertaças europeias e taças intercontinentais -- títulos infinitamente menos relevantes que a Taça Latina -- e excluir a contabilização da última do rol de conquistas do Benfica. A relação proporcional de títulos entre os clubes é 2-3 ou 3-6; 2-6 não é certamente.
Perceba também que a grandeza que reconheço é ao que joga futebol; não aos adeptos. Não tenho nada contra si mas vejo em grande parte da horda de apoiantes do FCP´, e no seu juízo e argumentação, uma falta de qualidade e educação sem paralelo. Da mesma forma que escrevi o que escrevi, nunca vi um adepto do FCP admitir o historial de corrupção do clube e a vergonha que a mesma lhe suscita. Quem não sente, não é filho de boa gente.
Cumprimentos.
Sem imagem de perfil

De Miguel Dias a 06.05.2011 às 17:23

Caro Jacinto,

procuro ver o futebol e o meu clube sem cegueiras, sem ilusões e com alguma racionalidade, e é possível esta atitude.
"vejo em grande parte da horda de apoiantes do FCP´, e no seu juízo e argumentação, uma falta de qualidade e educação sem paralelo." Reconheço que tal situação existe, mas também é verdade para a maioria (não a si, que demonstra lucidez e educação) dos benfiquistas, não se pode argumentar com eles, dada a grosseria e falta de educação dos mesmos, a cegueira clubística não atinge apenas um clube, mas vários.
Quanto a " nunca vi um adepto do FCP admitir o historial de corrupção do clube e a vergonha que a mesma lhe suscita.", é um argumento que se pode considerar (embora nem sempre a pessoa que o utilize) de intelectualemente desonesto, ou seja, quando queremos tirar mérito às vitórias dos outros afirmamos que foi fruto da corrupção e não do trabalho.
Eu não sinto vergonha pela História do meu clube, reconheço que nem sempre foram utilizadas os "meios" mais legítimos para alcançar algumas, não todas, vitórias. Mas a verdade é que também nunca vi um benfiquista admitir o historial de "atropelos" que o seu clube cometeu ao longo da história do futebol português: o "desvio/roubo" de Eusébio com a conivência da PIDE e das autoridades de então; o aliciamento "ilegítimo" de um treinador (Bela Guteman) ao serviço do FCP; "desvios" de jogadores destinados aos FCP ou ao SCP, para os colocar a jogar em equipas satélites; o benefício das arbitragens descaradas no tempo do Estado Novo (vide caso Calabote).......
Os meios ilegítimos são como as moedas, tem sempre duas faces, podem ser utilizados por vários pessoas.
Imagem de perfil

De Jacinto Bettencourt a 06.05.2011 às 17:29

Caro Miguel,

eu pedi-lhe para comentar um historial de corrupção. Referia-me ao Apito Dourado, ao caso quinhentitos, à agência Cosmos, tudo o que sabe através de escutas publicadas e divulgadas. Não lhe pedi que tentasse desculpar os erros do FCP com erros antigos do Benfica (sendo que não há sequer comparação; não se sabe, nem se suspeita, da compra de árbitros; desvio de jogadores e treinadores é feito, é pena, mas sempre se viu, e de todos os lados; mesmo o benefício do Calabote, que não se verificou pois o Porto foi campeão nesse ano, foram 9 minutos de tempo extra). Vá, diga, tenha coragem, seha homem. Até sugiro o texto:

"O meu clube ao longo dos últimos 10 ou 15 anos enveredou por práticas altamente censuráveis e porventura ilegais e eu como pessoa de bem e portista preferia não ter qualquer sombra de ilegalidade sobre o meu clube." Note que não lhe peço que associe as ilegalidades às vitórias. Nem lhe peço que confirme que as práticas em questão são ilegais; basto-me com "porventura ilegais".
Será desportista a este ponto? Será que consegue? Seria o primeiro. Nem o Miguel Sousa Tavares, de quem muito gosto e que tão crítico foi de Pinto da Costa, é capaz hoje de dar o braço a torcer.
Sem imagem de perfil

De Pedro a 06.05.2011 às 21:03

[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

<BR class=incorrect name="incorrect" <a>caro sr</A> </A>. Bettencourt:
No caso Calabote , o agente corrompido foi punido com a irradiação enquanto, que o corruptor não foi sancionado. Já no caso Apito Dourado, o FC Porto só foi punido por uma justiça muito especial - a Justiça Ricardo Costa. O TAS, contra os intentos do seu clube e do Vitória Sport Clube, não puniu o FC Porto (talvez estivessem comprados por quinhentinhos ...). Ao contrário de Sócrates, cujo DVD não foi como prova, um livro patrocinado por Luís Filipe Vieira e escrito por Leonor Pinhão serviu para reabrir o processo. Este, teve direito a uma equipa de magistrados especial, incorruptível liderada por Maria José Morgado e foi transferido para Lisboa. Resultado? O mesmo dos juízes "amigos" de Pinto da Costa.
Voltando ao Apito Dourado da Justiça Ricardo Costa, o Estoril Praia ( na altura propriedade de José Veiga) e FC Marco foram punidos pela alteração, pouco clara e a favor do Estoril, do local do jogo (para o estádio do Bessa) que disputaram. Curiosamente, o mesmo José Veiga, na qualidade de responsável pelo futebol do SL Benfica e ainda como maior accionista da Estoril Praia SAD, acordou com Manuel Damásio e António Figueiredo, ex-presidente e ex-vice-presidente do seu clube, a alteração do local do jogo Estoril vs Benfica para o estádio do Algarve com o argumento de que a receita desse jogo cobriria o orçamento do Estoril da época seguinte. O Benfica ganhou, o árbitro calçou umas botas gentilmente cedidas pelo Benfica, o jogador do Estoril  foi expulso, Litos enojado com toda a história demitiu-se, o Estoril desceu de divisão e, em Outubro, o jogadores do Estoril faziam greve porque não recebiam os seus salários.
Mais, Vandinho foi suspenso por três meses por tentativa de agressão ao treinador adjunto do seu clube enqunto que Jorge "Melhor-Que-Mourinho" Jesus foi suspenso por onze dias!
Será que o senhor tem coragem para dar o braço a torcer e dizer que Benfica, pelo menos nos dois últimos títulos nacionais, enveredou por práticas altamente censuráveis e porventura ilegais? Que o Hulk foi vítima do mesmo "tratamento" que o tratador da águia Vitória e que, por isso, foi injustamente penalizado? Será que tem coragem para reconhecer que a "mão de Vata com feijão encarnado" foi uma prática altamente censurável e porventura ilegal como relata António Boronha no seu blog?
Sobre os adeptos, devo lhe dizer que comentários como o seu sempre os ouvi em casa, no estádio das Antas ou em conversa com amigos portistas. Se, se der ao trabalho de contar todos os adeptos mal-educados, bêbedos ou simplesmente estúpidos verá que a maioria é adepta do seu clube (afinal, o Benfica é o clube mais popular e o povo tem o nível que tem). E, caso se tenha esquecido, foi Rui Gomes da Silva, vice-presidente do Benfica, que escancarou a porta a esta catástrofe do Sócrates com a ridícula tentativa de silenciar Marcelo Rebelo de Sousa
Imagem de perfil

De Jacinto Bettencourt a 06.05.2011 às 21:20

Caro Pedro,
vou assumir que se enganou nos factos pois não respondo a mentirosos.

1. No caso Calabote, ninguém foi punido por corrupção. O árbitro foi irradiado por ter omitido no relatório que havia estendido o tempo útil do jogo por mais 4 minutos (acho que num total de 9). Não houve qualquer corrupção, nem nunca se falou de tal. Não invente.

2. O FC Porto foi punido com base em provas obtidas pela PJ e testemunhos. A decisão foi confirmada pelo Conselho de Justiça da Federação, no qual Ricardo Costa não tinha assento. As escutas são por todos conhecidas e se tem pudor, o mínimo que pode fazer é evitar falar deste caso.

3. Acho piada que alguém que não aceita escutas da PJ, decisões do TAS, confirmações do CJ, aceite a teoria, sem qualquer evidência, de que uma brigada especial da PJ, procuradores, juízes, conselheiros, foram todos corrompidos. O que é óbvio, nega. O que não se prova, afirma. Lindo.

4. Patrocinar um livro não é crime.

5. A equipa da PJ enviada para o Porto procedeu, com autorização de um juíz, a escutas. Essas escutas eram válidas e hoje, por acaso, estão disponíveis na Internet. Os inspectores até podiam ser benfiquistas pedófilos: quem aparece nas escutas é quem fala.

6. A alteração do jogo do Benfica com o Estoril é permitida pelos regulamentos. Foi limpa. Eticamente censurável? Eu acho que sim. Acho que os jogos deviam jogar-se nos seus estádios. Sabe quem é o clube de que mais alterações beneficiou? O Porto, que inclusivamente chegou a jogar finais da Taça no seu próprio estádio.

7. Lembro-me muito bem do jogo com o Estoril. Foram expulsos dois e não apenas um jogador do Estoril. Lembro-me que deviam ter sido expulsos cinco. Foi um jogo muito agressivo com os jogadores do Estoril descontrolados (algo normal se nos lembrarmos que o treinador, sportinguista conhecido, estava furioso com a decisão da direcção, e que a imprensa anti-benfiquista havia posto em causa o brio dos jogadores e sugerido que o jogo estava ganho). Foi dos jogos mais difíceis do Benfica esse ano e muito bem ganho (se não me engano, golo limpíssimo do Mantorras a dez minutos do fim).

8. Vandinho foi suspenso por três meses por tentativa de agressão ao seu anterior treinador adjunto. Sabe porquê? Por causa da estratégia seguida pelo clube na defesa de Vandinho, e que se centrou no alegado desconhecimento de Vandinho sobre a qualidade do referido treinador adjunto. Acontece que este havia treinado o Vandinho na época anterior. Quer saber mais? Foi o Braga que juntou as gravações da SIC ao processo. Não foi certamente o Jorge Jesus o responsável. Acrescento que nesse jogo só um clube tem razão de queixa: Cardozo foi indevidamente expulso e esteve castigado 2 jogos quando hoje se sabe que não fez absolutamente nada, e o Benfica viu um golo mal anulado do Luisão que lhe dava o empate.

9. Tem  razão: Jorge Jesus merecia outro castigo.

10. O Benfica nos últimos dois títulos não enveredou por práticas censuráveis nenhumas. O Benfica não tem a culpa que o Hulk não se controle. O Benfica não tem a cula dos maus advogados do Braga. O Benfica fez muitas coisas más -- comunicados absurdos; proibição de cachecóis; guerras relativas a bilhetes; recursos de castigos de jogadores eticamente reprováveis;  etc. -- mas ganhou os dois títulos em campo.

11. Hulk foi justamente penalizado. A norma incriminadora e, consequentemente, a medida da pena, foram mal aplicadas, segundo entendeu o CJ. A questão é jurídica, complexa e interessante, mas o Ricardo Costa meteu água. Hoje, graças ao FCP e à clarificação introduzida no regulamento disciplinar, se o Hulk fizesse a mesma coisa seria punido com a pena que o Ricardo Costa lhe aplicou. Digo-lhe ainda que o comportamento dos jogadores do Porto foi censurável e devia ter sido punido pelo próprio clube.
12.  A "mão de Vata com feijão encarnado" foi uma prática altamente censurável. Não sei se foi ilegal mas parece uma ssunto interessante.

13. Claro que há adeptos mal-educados em todos os clubes. A maioria não está no Benfica. A maioria está no clube que tem como cântigo principal uma ofensa a metade do país.
14. Concordo quanto aRui Gomes da Silva.
Sem imagem de perfil

De TPO a 06.05.2011 às 23:13

Jacinto, é religioso? Crê que deus dotou os benfiquistas de honestidade e castigou os portistas com falta de desportivismo? Ou acredita antes na ciência? Parece-me que está a sugerir que há alguma questão genética no assunto... que o fair-play faz parte do ADN só e apenas dos benfiquistas... algum fenómeno científico privou essa virtude dos portistas... É isso que está a sugerir?
Atenção, não estou a querer entrar nos outros aspectos da discussão que estavam a ter. Simplesmente reparei nesta sua espécie de observação a que já assisti várias vezes. Ainda há coisa de dois anos, ouvi um amigo benfiquista dizer que os adeptos portistas eram os piores, os mais arruaceiros, os que faziam mais estragos... enfim, parecia que os achava com mais falta de valores.
Foi um de muitos episódios do género a que já assisti. E continuo a perguntar-me... É mesmo verdade? Deus castigou os adeptos do FCP? Ou será um defeito genético?

Pois, claro que não... Não é verdade, e só não o reconhece quem não tem consciência do que é o futebol e de como este nos pode cegar. Gente má há em todo lado, adeptos violentos há-os em todos os clubes, assim como gente desonesta. Se há mais num ou noutro clube...? Contar os actos condenáveis de uma e doutra parte não vai trazer a resposta.

Só intervim porque acho absurdo que alguém faça esse tipo de observações, e gostava que quem as fizesse as justificasse...
O meu amigo que há dois anos teve o tal comentário de rigor semelhante ao seu, depois dos incidentes em que os adeptos do Benfica estiveram envolvidos este ano, reconheceu que estava errado, e que o seu comentário de há dois anos foi parvo e incosciente... "Epa, pois, bestas há em todo o lado..."

E o Jacinto? Vai ter mais cuidado com as coisas que diz, com o modo como as diz para que não sejam feitas certas ilações? Vai ser mais consciente?
Ou vai continuar a culpar Deus ou a Ciência?

Comentar post